Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'Cancer'.



More search options

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Avisos
    • Avisos
    • Bem Vindo ao Growroom
    • Blog
  • Cultivo
    • Informações Básicas
    • Solos e Substratos
  • Outros temas relacionados
    • Notícias
    • Ativismo - Cannabis Livre
    • Segurança e Leis
    • Eventos e Competições
    • Cannabis e a Saúde
    • Cannabis Medicinal
    • Comportamento
    • Culinária
    • Artes, Filosofia, etc
  • Multimidia Cannabica
    • Galeria de Fotos
    • Galeria de Vídeos
  • Cultivo Medicinal
    • APEPI

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Location


Interests

Encontrado 14 registros

  1. As reivindicações - às vezes selvagens - sobre a cura do câncer com cannabis são freqüentemente descartadas como falácias conspiratórias ou charlatanismo. Afinal, se a cannabis realmente cura o câncer ela não poderia ser usada na medicina moderna? Não poderiam os médicos prescreverem isso aos seus pacientes? Não poderia a cannabis pelo menos ser classificada como um medicamento por parte do governo? O fato é que há um grande grupo de pessoas que fazem uma quantidade ainda maior de dinheiro com a venda e perpetuação de produtos químicos fabricados e indicados para o tratamento do câncer. Assim uma planta que pode ser cultivada em seu quintal representa uma grande ameaça para a fábrica de "dinheiro químico" que essas pessoas têm em sua posse. A maconha continua sendo classificada a nível federal como uma droga de Classe I. A DEA (Agência de Drogas Norte Americana) classifica como Classe I as drogas, substâncias ou produtos químicos definidos como drogas sem uso médico atualmente aceito e um alto potencial para o abuso ou dependência. Drogas de Classe I são as drogas mais perigosas de todos as classes de drogas, com severo potencial de dependência psicológica ou física. Alguns exemplos de drogas Classe I são: heroína, dietilamida do ácido lisérgico (LSD), maconha (cannabis), 3,4-metilenodioximetanfetamina (ecstasy), metaqualona e peyote. Atualmente 59.300 prisioneiros acusados ​​ou condenados por violar as leis de maconha estão atrás das grades. Destes, 17.000 estão atrás das grades unicamente por posse, não tráfico. Fazer cumprir as leis de maconha custa cerca de US$ 10 a 15 bilhões somente em custos diretos, sem mencionar os custos sustentados de encarceramento do indivíduo que não fez nada para prejudicar ninguém. Estima-se que o dinheiro gasto na aplicação de leis inúteis da maconha é o dobro do que se gasta com educação nos EUA. Há uma campanha ostensiva sendo travada pelo complexo industrial químico-farmacêutico para reprimir o uso e cultivo desta planta altamente benéfica. Com uma pesquisa rápida no youtube você encontrará dezenas de depoimentos e vídeos de pessoas que afirmam ter curado seu câncer com cannabis. Quão válidas são essas afirmações? É a ciência real que dá apoio a essas estórias de cura de câncer? A resposta é sim, elas são, de fato, apoiadas por estudos científicos. Tal como qualquer tratamento com uma taxa de sucesso de 100% é altamente improvável. Esta planta incrível permanecendo ilegal, em Classe I, fica incapaz de ser estudada em um fórum mais amplo e torna-se uma "farsa". Abaixo está uma lista de 34 estudos para os céticos por aí. Eles são classificados por tipo de câncer e tratamento (os estudos e pesquisas estão em ingês). Cura Câncer no Cérebro http://www.nature.com/bjc/journal/v95/n2/abs/6603236a.html http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11479216 http://www.jneurosci.org/content/21/17/6475.abstract http://jpet.aspetjournals.org/content/308/3/838.abstract http://mct.aacrjournals.org/content/10/1/90.abstract Cura Câncer de Boca e Garganta http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20516734 Cura Câncer de Mama http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20859676 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18025276 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21915267 http://jpet.aspetjournals.org/content/early/2006/05/25/jpet.106.105247.full.pdf+html http://www.molecular-cancer.com/content/9/1/196 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22776349 http://www.pnas.org/content/95/14/8375.full.pdf+html Cura Câncer de Pulmão http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22198381?dopt=Abstract http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21097714?dopt=Abstract http://www.nature.com/onc/journal/v27/n3/abs/1210641a.html Cura Câncer Uterino, Testicular e Pancreático http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/cam/cannabis/healthprofessional/page4 http://cancerres.aacrjournals.org/content/66/13/6748.abstract Cura Câncer de Próstata http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12746841?dopt=Abstract http://www.nature.com/bjc/journal/v101/n6/abs/6605248a. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3339795/?tool=pubmed http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22594963 Cura Câncer Colorretal http://gut.bmj.com/content/54/12/1741.abstract http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22231745 Cura Câncer de Ovário http://www.aacrmeetingabstracts.org/cgi/content/abstract/2006/1/1084?maxtoshow&hits=80&RESULTFORMAT&fulltext=cannabinoid&searchid=1&FIRSTINDEX=560&resourcetype=HWCIT Cura Câncer de Sangue http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12091357 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16908594 http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ijc.23584/abstract http://molpharm.aspetjournals.org/content/70/5/1612.abstract Cura Câncer de Pele http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12511587 Cura Câncer de Fígado http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21475304 Cura Câncer do Trato Biliar http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19916793 Cura Câncer de Bexiga http://www.medscape.com/viewarticle/803983 Cura Câncer em Geral http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12514108 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15313899 Fonte: http://www.realfarmacy.com/34-medical-studies-for-the-skeptic/
  2. Boa tarde. Sou usuário do fórum há algum tempo, mas jamais postei coisa alguma porque todas as minhas dúvidas foram sanadas com pesquisa. Desde já dispenso qualquer um que pretenda responder-me que eu não devia ter criado este tópico (prefiro resposta nenhuma que resposta inútil). Criei este tópico porque meu pai recebeu um diagnóstico de câncer de próstata ontem, começará o tratamento semana que vem (radioterapia). Ele tem setenta e poucos anos de idade (ninguém sabe ao certo, nem ele ). Eu tenho um cultivo de cannabis, com três pequenas plantas fêmeas (preseed, postarei fotos mais tarde) florindo já há algum tempo (é meu primeiro cultivo). Tinha começado este cultivo visando aprender um pouco e obter algum fumo. Mas dadas as circunstâncias atuais, quero usar meus buds para melhorar a condição de vida do meu pai durante o tratamento. Eis a pergunta: Considerando que minhas plantas são pequenas (imagino que os buds secos não darão mais que 10g) e que meu pai é um pouco velho, o que eu poderia fazer de mais apropriado para ele com os meus buds? Fazer um bolo pra ele, ou algum óleo... A primeira ideia que me surgiu, naturalmente, foi fazer um óleo. Mas temo que meus buds sejam pequenos demais para que eu possa produzir uma quantidade significativa para ajudar meu pai. Outra pergunta, meus buds ainda não estão totalmente maduros, de modo que se eu cultivá-los por mais tempo, engordarão mais. Mas não se o que é mais conveniente: colhê-los agora e fazer algo para meu pai com eles ou deixá-los engordar enquanto meu pai inicia o tratamento e posteriormente colhê-los, já com maior rendimento. Desde já fico infinitamente agradecido a qualquer um que queira realmente ajudar, não estou pedindo nada além de informações, obrigado.
  3. Boa tarde galera, to aqui pois sou usuário da planta ja tem 6 anos, e a 1 ano atrás minha mãe foi diagnosticada com cancer de pulmão por fumar cigarro uma boa parte da vida dela, ela parou ja tem decadas mas parece que o estrago ja foi feito, ela luta a mais de 1 ano contra esse câncer e o tipo dele é muito perigoso pois é o que mais tem chance de voltar e causar metástase, o que infelizmente aconteceu. A cada dia que passa o estado da minha mãe piora e ja estou ficando doido, tenho a sensação de não poder ajudar em nada, mas sei os benefios da maconha, e tenho amigos cultivadores, penso muito em fazer uma comida com a maconha pra amenizar o sofrimento mas tenho medo de ter algum efeito colateral imprevisto, até porque cada um reage de uma maneira, e ela não pode saber antes de comer pois nesse meio tempo ela foi muito influenciada pela igreja, e ela nem pensa nessa hipotese de fazer o uso da erva, obrigado pela atenção pra quem ler, isso foi meio que um desabafo pois realmente estou num dilema e não consigo me decidir, tenho 20 anos e nao tenho condição financeira de procurar um médico pra tirar essas informações. Valeu
  4. http://www.meionorte.com/entretenimento/curiosidade/oleo-de-maconha-cura-cancer-de-intestino-de-homem-com-expectativa-de-vida-de-apenas-18-meses-270251 04 de Maio de 2015 às 11:40 ••• atualizado em 04 de Maio de 2015 às 11:39 Óleo de maconha cura câncer de intestino de homem com expectativa de vida de apenas 18 meses PUBLICADO POR Waldelúcio Barbosa Repórter Um paciente com câncer de intestino, dado pelos médicos com apenas 18 meses de vida restantes, afirma ter sido curado por óleo de Cannabis sativa – vulgarmente chamada de maconha. David Hibbitt, de 33 anos David Hibbitt, de 33 anos, foi diagnosticado com a doença em julho de 2012 e submetido a quimioterapia, radioterapia e cirurgia para remover seu intestino grosso. Os médicos disseram que o câncer era terminal, então ele decidiu testar o óleo de maconha como um último recurso. Agora, após exames realizados em janeiro, ele diz ter sido milagrosamente curado, creditando o feito à droga. “Amigos haviam me falado sobre óleo de maconha e eu refutei a hipótese. Eu nunca fui favorável às drogas. Mas, em fevereiro do ano passado foi-me dito que eu tinha apenas de 18 meses a cinco anos de vida e eu senti que eu tinha que tentar de tudo. Eu senti que a quimioterapia estava me matando e eu não tinha nada a perder”, disse Hibbitt, de Staffordshire, Inglaterra. Depois de pesquisar suas opções na internet, ele descobriu muitas informações sobre o óleo da droga e decidiu tentar. "Eu pago cerca de 240 reais em uma grama de um cara que eu conheci. Isso me dura cerca de um mês, normalmente. A droga entorpece um pouco e às vezes bate bem forte, mas bem longe de ser tão ruim como a quimioterapia. Eu só quero fazer outras pessoas conscientes de que existem outras opções”, relatou. Hibbitt foi diagnosticado com câncer de intestino depois de, inicialmente, descobrir que ele estava sofrendo de hemorroidas. Depois de passar por tratamento no Hospital Christie, em Manchester, o câncer voltou e ele tinha uma outra operação em julho de 2013, seguida por mais quimioterapia. Um mês depois, ele encontrou um caroço, e foi dito que o câncer estava nos gânglios linfáticos em sua virilha. Após chegar a esse extremo e sua doença ser dada como incurável, ele resolveu utilizar o óleo. Em outubro, ele teve uma operação para remover os linfonodos afetados no Hospital Universitário Real Stoke. Mas ele escolheu continuar tomando o óleo de Cannabis sativa, em vez de ter mais tratamento, indo contra as novas sessões de quimioterapia. Após uma varredura em janeiro, seu câncer havia sido totalmente curado. "Eu me sinto muito bem e espero que minha história ajude outras pessoas”, finalizou Hibbitt. O Cancer Research UK diz que está ciente de pacientes que realizam o uso de extratos de maconha para tratar a si mesmos, mas salientou "não há boa evidência" para provar que seja seguro e eficaz. O centro de pesquisa apoia ensaios clínicos sobre a utilização do fármaco e um canabinoide sintético para tratar a doença. Kat Arney, do Cancer Research UK, disse, em um comunicado: "Nós sabemos que os canabinoides - as substâncias químicas ativas encontrados na maconha - podem ter uma série de efeitos diferentes sobre as células cancerígenas cultivadas em laboratório e os tumores de origem animal. Mas, no momento, não há boas evidências de ensaios clínicos para provar que eles podem, com segurança e eficácia, assegurar o tratamento do câncer em pacientes. Apesar disso, alguns pacientes com câncer optam por se tratar com extratos de maconha. Os pesquisadores estão coletando experiências de pacientes para saber se esses tratamentos estão ajudando ou não, ainda que esta seja uma prova de fraqueza em relação aos ensaios clínicos adequadamente geridos. A Cancer Research UK apoia os ensaios clínicos para o tratamento de câncer com drogas à base de canabinoides, a fim de coletar dados sólidos sobre os benefício às pessoas com câncer.” FONTE:DailyMail
  5. [tradução livre] 500 Gramas de Óleo de Canabis. 6 Pacientes Terminais de Câncer. 12 Meses. 1 Questão. A Cannabis Mata o Câncer? O slogan do recentemente lançado Project Storm, um filme destinado a mostrar os efeitos positivos do óleo de cannabis em pacientes com câncer, implora por uma questão que a maioria da população consideraria inacreditável. No entanto, o homem por trás da ideia, Bud Buddies - liderado por Jeff Ditchfield - pretende quebrar todos os equívocos e responder a uma pergunta que até agora permaneceu sem solução. A ideia do Project Storm foi baseada em pesquisa realizada pelo Dr. Manuel Guzman e sua equipe na Universidade de Madri. Agora considerados pioneiros no campo de pesquisa com cannabis, Guzman realizou testes sobre a eficácia de canabinoides sobre o câncer. Depois de testemunhar a pesquisa em primeira mão, Ditchfield decidiu levar os testes para fora do laboratório, para o mundo real. Então nasceu o Project Storm. Uma montanha-russa emocional para dizer o mínimo, Bud Buddies conseguiu combinar o léxico científico específico da cannabis e seus derivados com genuínas e comoventes histórias humanas cheias de emoção. Embora esses temas pareçam paradoxais, a ciência do filme coloca ainda mais seriedade e validade nas histórias humanas. Elas são reais. A verdade está sendo mostrada para o público e ainda assim os pacientes terminais são forçados a agir como criminosos ao considerar a salvação na medicina alternativa. A verdadeira beleza do Project Storm reside na sua intenção. Pode ter sido incrivelmente tentador bombardear o público com informação espúrias e histórias de sucesso com o objetivo de expor uma resposta definitiva à pergunta do título. No entanto, o filme simplesmente pretende mostrar o que pode ser feito para ajudar as pessoas em necessidade e (sem revelar demais) mesmo quando não é evidentemente bem-sucedido nessa intenção, ele ainda detém o poder emocional que capta o muito mais o público do que uma enxurrada de informações que forçaria o telespectador a concordar com a premissa. Para os ativistas canábicos do mundo, este é mais um degrau de sucesso na escada da descriminalização. No entanto, eu não acredito que qualquer projeto anterior pôde mudar as mentes mais firmes da oposição com tanto sucesso como o Project Storm sem dúvida fará. E se acontecer de você fazer parte dessa firme oposição, eu sugiro que você dê uma olhada no filme - só ele pode mudar sua mente. Fonte: http://www.seedsman.com/blog/project-storm-cannabis-kill-cancer/
  6. Homem de 63 anos afirma ter se curado de câncer usando óleo de maconha O avô Mike Cutler teve células cancerígenas no fígado curadas após se medicar com óleo caseiro. Em sua luta contra o câncer, ele afirma que conseguiu curar-se da doença utilizando um medicamento muito polêmico e pouco habitual: óleo de Cannabis sativa, a famosa maconha. Mike Cutler tem 63 anos e, em 2009, após um desmaio em seu local de trabalho, foi diagnosticado com a doença, recebendo um transplante em novembro daquele ano. Três anos depois, a doença atacou novamente, no novo órgão que haviam lhe dado. Desesperado para sobreviver, ele começou a procurar na internet muitas formas alternativas de cura. Após ver um vídeo no YouTube, que descrevia o uso do óleo de maconha como uma forma de curar o câncer, ele resolveu experimentar. Três dias após tomar a droga, sua terrível dor desapareceu. Em sua última biópsia, realizada em maio deste ano, no Royal Free Hospital, em Londres, foi constatado o desaparecimento das células cancerosas de seu organismo. Um porta-voz do hospital confirmou que o Sr. Cutler não havia recebido qualquer tratamento contra o câncer desde seu transplante, em novembro de 2009. O pedreiro aposentado, que reside em Hastings, disse que o medo de morrer foi o principal motivo para a busca de alternativas no tratamento. “Tudo que eu tinha naqueles dias negros era meu laptop. Foi aí que comecei a procurar alguma coisa que pudesse me ajudar. Eu não podia aceitar que ia morrer”, explicou Cutler. "Quando descobri que estava curado, fiquei chocado. Eu sou um homem de família normal, não um drogado. Eu tinha uma doença grave e foi justamente isso que me ajudou”, relatou. Depois de comprar a droga através de um revendedor, ele começou a montar suas próprias cápsulas a partir do óleo, tomando uma por dia. Quando seus sintomas desapareceram depois de três dias, ele passou a cultivar a própria planta de Cannabis sativa em casa, para manter um suprimento constante de medicação. Sr. Cutler foi um dos palestrantes em evento recente que discutia o uso medicinal da maconha, juntamente com o professor David Nutt e a Membro do Parlamento Britânico Caroline Lucas, no Centro Comunitário de Brighton. Atualmente, Cutler está envolvido em campanhas para mudanças na lei, com o objetivo de permitir que o óleo e outras formas medicinais de maconha sejam legalizadas para tratamentos. Uma pesquisa publicada na semana passada por cientistas da Universidade de East Anglia, revelou que o principal ingrediente psicoativo encontrado naCannabis, o tetrahidrocanabinol (ou THC), ajuda a combater o crescimento de células cancerosas. De acordo com o Dr. Kat Arney, gerente de comunicações científicas do Cancer Research UK, os experimentos ajudam na compreensão de como os canabinóides afetam as células cancerosas em um nível molecular. "Isso poderia levar a tratamentos mais eficazes contra o câncer no futuro, mas ainda não há dados suficientes que comprovem que a planta ou canabinóides podem ser efetivos no tratamento, de forma totalmente segura”, explica. De acordo com dados da mesma instituição, os canabinóides ajudam a controlar o cérebro e sua atividade nervosa, o metabolismo energético, a função do coração, o sistema imunológico e até mesmo fatores da reprodução. Em função dessas descobertas, uma série de instituições têm intensificado suas pesquisas sobre o uso da maconha como uma droga medicinal. Fonte: http://www.jornalciencia.com/saude/mente/4185-homem-de-63-anos-afirma-ter-se-curado-de-cancer-usando-oleo-de-maconha- Fonte: DailyMail
  7. Você colocaria a Cannabis nas mãos de uma empresa que jogou veneno toxico em Aniston e foi responsavel por inumeras mortes causadas pelos seus produtos graças aos pesticidas que causam cancer? Não aceito ser uma cobaia!
  8. Bom dia guerreiros. Há algum tempo já venho nesse ativismo pela legalização estando sempre nas lutas da marcha. Sempre muito confiante que um dia conseguiremos. Bem, vou dizer logo. Minha mãe foi diagnosticada com câncer de intestino na última quinta-feira (27/03/14). Foi um choque muito grande, pois na nossa família câncer é um mal comum e que levou de nós os três últimos que tocou. Todos foram tão sofridos, tão difícil de ver aquilo. Com minha mãe não conseguirei ver essa pena, essa judiação das químios... Por favor me ajudem !!! Me ajudem a conseguir o óleo. Façam doações de pequenas porções. Aceito dicas de como tentar importar, mesmo que eu perca a mercadoria mais de uma vez durante as tentativas. Caso alguém ai possa me ajudar eu pago o frete ou alguma coisa a mais caso seja necessário. Desculpem pelo texto com tamanha imploração. Realmente é isso que vir fazer aqui, implorar, suplicar, pedir por ajuda, é minha mãe, tadinha ela tem chorado tanto, já deu a vida por encerrada, é dificil para mim não chorar também quando falo com ela e enquanto escrevo esse texto. Quem quiser dizer algo fique a vontade, quem precisar de meus contatos diga.
  9. Entenda os efeitos do uso da maconha no organismo humano Droga pode afetar atividade locomotora, humor, memória e pulmões. Substância pode ser usada com fins terapêuticos para tratar câncer e HIV. Os efeitos do uso da maconha no organismo podem variar de acordo com as características do usuário, com seu estado de espírito, com o ambiente em que ocorre o consumo e também com as características da droga, segundo o biólogo Lucas Maia, doutorando em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e pesquisador do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid). O especialista é coordenador do grupo multidisciplinar "Maconhabras", que, sob a supervisão do médico Elisaldo Carlini, professor da Unifesp, reúne pesquisadores de várias instituições interessados principalmente no uso medicinal da Cannabis sativa. Maia conversou com o G1 sobre os efeitos fisiológicos e psicológicos da droga, que teve sua venda e cultivo regulamentados por lei aprovada nesta terça-feira (10) no Uruguai. Veja, abaixo, algumas das ações da maconha no organismo humano: Atividade locomotora A maconha promove, de maneira geral, uma diminuição da atividade motora, fazendo com que a pessoa se movimente menos e possa chegar a um estado de sonolência. Porém, dependendo da dose de tetrahidrocanabinol (THC) – princípio ativo com efeitos mais pronunciados da maconha –, a reação também pode ser oposta, levando a uma sensação de euforia e intensificação dos movimentos. “Tudo o que envolve os efeitos da cannabis pode parecer ambíguo. Existem análises que mostram que esses efeitos são bidirecionais, dependendo da dose, do indivíduo e do ambiente”, diz Maia. Frequência cardíaca Principalmente em pessoas que usam a droga pela primeira vez, pode haver um aumento da frequência cardíaca. “Não chega a ser um efeito que pode levar a um infarto, por exemplo, mas é um aumento muito evidente. A pessoa pode se sentir incomodada e ansiosa, e isso pode ser um risco no caso de indivíduos que tenham histórico pessoal ou familiar de transtorno de ansiedade ou pânico”, explica o biólogo. Diminuição da temperatura e aumento do apetite Assim como a maconha provoca a diminuição da atividade motora, também leva a uma diminuição da temperatura corporal, que configura um quadro de hipotermia. Ela pode ainda estimular o sistema digestivo e aumentar o apetite. Boca seca e olhos avermelhados também são alguns dos efeitos observados após o uso. Humor Quanto aos efeitos no humor do usuário, a droga tanto pode provocar relaxamento e calma quanto uma sensação de ansiedade e angústia. Novamente, isso depende das características do usuário e da substância. “Maconha com maior concentração de THC tende a induzir reações de ansiedade com maior frequência, em comparação com a maconha com menor concentração de THC, segundo estudos”, compara Maia. Quando o usuário tem histórico médico de ansiedade, os riscos de a droga despertar emoções negativas são maiores. Pulmões O cigarro de maconha contém muitos dos componentes também presentes no cigarro de tabaco comum. Para comparar os efeitos do tabaco e da maconha na função pulmonar, Maia cita um estudo publicado na revista científica “The Journal of the American Medical Association” (Jama) em 2012. Os pesquisadores investigaram a associação entre o uso de maconha e possíveis efeitos adversos sobre a função pulmonar em mais de 5 mil pessoas. Os resultados mostraram que o uso intenso por longos períodos (mais de 10 anos) esteve associado a um declínio da capacidade pulmonar. Porém, o uso moderado, por até 7 anos, não causou grandes prejuízos aos pulmões, diferentemente do que foi constatado em fumantes comuns que, com a mesma frequência de uso, já apresentavam fortes efeitos adversos. Memória A maconha prejudica principalmente a memória de curto prazo e também a chamada memória de trabalho. “São efeitos transitórios, principalmente durante o uso. Mas, se pensarmos que uma pessoa usa a droga todos os dias, vai estar o tempo todo sob esse efeito prejudicial e não vai reter informações”, diz o pesquisador. Maia afirma que, depois de 28 dias sem usar a substância, as funções de memória e cognição voltam a ficar estabilizadas. Dependência Maia afirma que, apesar de existirem casos de dependência de maconha, ainda não foram feitos estudos clínicos que demonstrem, de forma clara, quais são os mecanismos desse tipo de dependência. “É um estudo difícil de ser conduzido. O que se sabe é que de 5% a 8% dos usuários da droga ficam dependentes. A porcentagem é baixa se comparada a outras substâncias, como nicotina, cocaína ou heroína”, diz. A dependência, no caso da maconha, pode se caracterizar pela necessidade de aumentar a dose para obter os mesmos efeitos e também pelos sintomas de abstinência, como irritabilidade, falta de apetite e insônia. Uso terapêutico A eficácia do uso terapêutico da maconha está comprovada para reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia contra o câncer, amenizando náuseas e vômitos. Para pacientes com Aids em estágio terminal, que apresentem falta de apetite, a droga também pode estimular a fome e proporcionar uma melhor qualidade de vida à pessoa. Estudos mostram, ainda, a eficácia da droga para reduzir dores neuropáticas em várias doenças, como esclerose múltipla. Os efeitos analgésicos da maconha podem, inclusive, substituir medicamentos como a morfina em casos em que o paciente desenvolve intolerância ao fármaco. Em caso de glaucoma (lesão do nervo óptico), a Cannabis pode ter efeito redutor da pressão intraocular. Para quem tem epilepsia, estudos mostram que medicamentos à base de canabidiol podem ter efeitos anticonvulsivantes. Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/12/entenda-os-efeitos-do-uso-da-maconha-no-organismo-humano.html
  10. Traduzi no Google , pra quem nao entende ingles ( Site de onde foi retirada a informaçao - http://collapsereport.com/2012/10/10/spain-study-confirms-hemp-oil-cures-cancer-without-side-effects/) Óleo de cannabis e Câncer Por Mark Sircus Ac., OMD A ciência médica é fortemente a favor de óleo de cânhamo THC Laden como uma terapia primária do câncer, não apenas em um papel de apoio para controlar os efeitos colaterais da quimioterapia. O International Medical Association Verdades é colocar o óleo de cânhamo em seu protocolo de câncer. É uma lista priorizada protocolo cujo topo cinco itens são o cloreto de magnésio, iodo, selênio, ácido alfa-lipóico e bicarbonato de sódio. Faz todo o sentido deixar cair óleo de cânhamo para a direita no meio do fogo cruzado este nutricional de medicamentos anti-câncer, que são vendidos sem prescrição médica. O óleo de cânhamo tem sido reconhecida como uma das substâncias mais versáteis e benéfico conhecidas pelo homem. Derivado de sementes de cânhamo (um membro da família do achene de frutos), tem sido considerado como um superfood devido ao seu alto teor de ácido gordo essencial e a razão original de omega3 para omega6 e ácido gama-linolénico (GLA) - 02:05:01 . Óleo de cânhamo, é conhecido por conter até 5% de GLA puro, uma concentração muito mais elevada do que qualquer outra planta, ainda maior do que a Spirulina. Por milhares de anos, a planta do cânhamo tem sido usado em elixires e chás medicinais por causa de suas propriedades curativas e agora a ciência médica é zerar dentro das propriedades de suas substâncias activas. Tanto o tipo comercial legal de óleo de cânhamo e do óleo de cânhamo ilegal THC carga, são uma das fontes de proteína mais poder-embalados disponíveis no reino vegetal. Seu óleo pode ser usado em muitas aplicações alimentares e trans-dérmica. Em outros capítulos na minha Vencer a guerra no livro Câncer vamos discutir em profundidade sobre ABL e câncer e também o interessante trabalho de Dr. Johanna Budwig. Ela usa óleo de semente de linho, em vez de óleo de cânhamo para curar o câncer - por meio de mudanças na parede celular efetuam - usando estes omega3 e omega6 carregados óleos medicinais. Na verdade não há outra forma de usar maconha medicinal sem fumar a folha. Segundo o Dr. Tod Mikuriya H., "Os habituais produtos de degradação irritantes e tóxicos da queima utilizada com o tabagismo são totalmente evitados com vaporização. Extracção e inalando canabinóides óleos essenciais inferiores à temperatura de ignição dos produtos de cannabis tanto brutos e refinados proporciona atenuação significativa de irritação na cavidade bucal, e árvore traqueobrônquica de produtos de degradação pyrollytic. [iii] Mikuriya continua dizendo: "Os habituais produtos de degradação irritantes e tóxicos da queima utilizada com o tabagismo são totalmente evitados com vaporização. Extracção e inalando canabinóides óleos essenciais inferiores à temperatura de ignição dos produtos de cannabis tanto brutos e refinados proporciona atenuação significativa de irritação na cavidade bucal, e árvore traqueobrônquica de produtos de degradação pyrollytic. "[iv] Rick Simpson, o homem nos vídeos acima mencionados, tem vindo a fazer óleo de cânhamo e partilhá-lo com amigos e vizinhos, sem cobrar por isso. Em doses pequenas, diz ele, que faz você bem sem você ficar alta. "Bem, você não pode negar seus próprios olhos pode?" Simpson pede. "Aqui está alguém morrendo de câncer e não está morrendo mais. Eu não me importo se o medicamento vem de uma planta de tomate, planta batata ou uma planta do cânhamo, se o medicamento é seguro e ajuda e trabalha, por que não usá-lo? ", Pergunta ele. Quando uma pessoa tem câncer e está morrendo esta questão atinge um ponto crítico. A bravura de Rick Simpson, do Canadá para nos mostrar como fazer o óleo de cânhamo para nos oferece muitas pessoas uma esperança que deve ser cada vez mais apreciada como seca dinheiro até para tratamentos de câncer caros. Nós vamos precisar de remédios baratos no futuro e não há nada melhor do que os que podem fazer razoavelmente barata nós mesmos. Para a maioria das pessoas no mundo é ilegal para que a escolha poderia vir a quebrar a lei ou morrer. Não há nenhuma pesquisa para indicar quais as vantagens que o uso oral de óleo de cânhamo vs vaporização mas podemos supor que a vantagem seria nutricional com a ingestão oral. Dr. Budwig Abaixo trabalho iria sustentar esse ponto de vista, especialmente para pacientes com câncer. A Ciência Segundo o Dr. Robert Ramer e Burkhard Dr. Hinz, da Universidade de Rostock, na Alemanha maconha medicinal pode ser um tratamento eficaz para o cancro. [V] A pesquisa foi publicada no Jornal do acesso antecipado Instituto Nacional do Câncer em 25 de dezembro de 2007 num artigo intitulado A inibição da invasão de células de cancro por via Cannabinoids expressão aumentada de Tecido Inibidor de Metaloproteinases-1 Matrix. A maior contribuição da presente descoberta da descoberta, é a de que a expressão de TIMP-1 mostrou ser estimulada pela activação dos receptores de canabinóides e para mediar o efeito anti-invasivo de canabinóides. Antes de agora os mecanismos celulares subjacentes a este efeito não eram claras e a relevância dos resultados para o comportamento de células de tumores in vivo ainda não foi determinado. Maconha cortes de pulmão crescimento do tumor do câncer pela metade, um 2007 Harvard Medical estudo mostra Escolares. O ingrediente ativo da maconha reduz o crescimento do tumor no câncer de pulmão na metade e reduz significativamente a capacidade de o câncer se espalhar, dizem pesquisadores da Universidade de Harvard que testaram a substância química em ambos os estudos de laboratório e mouse. Este é o primeiro conjunto de experiências para demonstrar que o composto, Delta-tetra-hidrocanabinol (THC), inibe a EGF-induzida do crescimento e migração no receptor do factor de crescimento epidérmico (EGFR) expressando células não pequenas do pulmão linhas celulares de cancro. Cancros do pulmão, que sobre-expressam o EGFR são geralmente altamente agressivo e resistente à quimioterapia. THC que tem como alvo receptores de canabinóides CB1 e CB2 é semelhante em função de endocanabinóides, que são os canabinóides que são produzidos naturalmente no organismo e activar estes receptores. "A beleza deste estudo é que estamos mostrando que uma substância de abuso, se usado com prudência, pode oferecer um novo caminho para a terapia contra o câncer de pulmão", disse Anju Preet, Ph.D., pesquisador da Divisão de Medicina Experimental . Agindo através de receptores de canabinóides CB1 e CB2, endocanabinóides (bem como THC) pensa-se que desempenham um papel numa variedade de funções biológicas, incluindo a dor e o controlo da ansiedade, e da inflamação. Os pesquisadores relataram em 15 de Agosto de 2004 da revista Cancer Research, a revista da Associação Americana para Pesquisa do Câncer, constituintes que maconha inibiu a propagação de câncer no cérebro em biópsias de tumores humanos. [Vii] Em um desenvolvimento relacionado, uma equipa de investigação da Universidade do Sul da Flórida observou ainda que o THC também pode inibir seletivamente a ativação e replicação do vírus herpes gama. Os vírus, que pode permanecer latente por anos dentro de células brancas do sangue antes de se tornar ativo e se espalhando para outras células, são pensados ​​para aumentar as chances de desenvolvimento de câncer, como o sarcoma de Kaposi, linfoma de Burkitt e doença de Hodgkin. Em 1998, uma equipe de pesquisa na Universidade Complutense de Madri descobriu que o THC pode seletivamente induzir a morte celular programada em células de tumores cerebrais sem afetar negativamente as células vizinhas saudáveis. Então, em 2000, relataram na revista Nature Medicine que injeções de THC sintético erradicadas gliomas malignos (tumores cerebrais), em um terço dos ratos tratados, e vida prolongada em outro terço por seis semanas. Liderado pelo Dr. Manuel Guzman o time espanhol anunciou que tinha destruído tumores de câncer incurável cerebrais em ratos injetando-os com THC. Eles relataram na edição de Março de 2002 "Nature Medicine" que eles injetaram o cérebro de 45 ratos com células cancerosas, produzindo tumores cuja presença confirmada através de imagens de ressonância magnética (MRI). No 12 º dia eles injectados 15 dos ratos com THC e 15 com o Win-55 ,212-2, um composto sintético semelhante ao THC. Pesquisadores da Universidade de Milão, em Nápoles, Itália, publicado na Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics que os não-psicoativos da maconha compostos inibiram o crescimento de células de glioma de maneira dose-dependente, e seletivamente alvo e matou as células malignas através de apoptose. "Non-psicoactiva CBD produzir a actividade anti-tumoral significativa in vitro e in vivo, sugerindo uma possível aplicação de CDB como um agente antineoplásico." O primeiro experimento documentar Pot efeitos anti-tumorais ocorreu em 1974 na Faculdade de Medicina da Virgínia a mando do governo dos EUA. Os resultados desse estudo, apresentados de 18 de agosto de 1974, Washington característica jornal Post, que foram componente psicoativo da maconha, THC ", retardou o crescimento de cancros do pulmão, cancros da mama e uma leucemia induzida por vírus em ratos de laboratório, e prolongada suas vidas por tanto quanto 36 por cento ". Financiado pelo Instituto Nacional de Saúde para encontrar provas de que a maconha danifica o sistema imunológico, encontrado em vez que o THC retardou o crescimento de três tipos de câncer em ratos - de pulmão e câncer de mama, e uma leucemia induzida por vírus. O DEA rapidamente desligado do estudo e todas as pesquisas Virginia cannabis / tumor adicional, embora os investigadores descobriram que "THC retardou o crescimento de cancros do pulmão, cancros da mama e uma leucemia induzida por vírus em ratos de laboratório, e as suas vidas prolongadas por tanto quanto 36 por cento. " "Atividade Antineoplásica de canabinóides", um artigo em um jornal de 1975 do National Cancer Institute relatórios ", Lewis adenocarcinoma pulmonar crescimento foi retardado pela administração oral de tetrahidrocanabinol (THC) e canabinol (CBN)" - dois tipos de canabinóides, uma família de componentes ativos da maconha. "Os ratos tratados durante 20 dias consecutivos com THC e CBN reduziu o tamanho do tumor primário." Maconha alivia a dor que os narcóticos como a morfina e OxyContin tem pouco efeito sobre qualquer, e pode ajudar a aliviar o sofrimento de doenças como a esclerose múltipla, diabetes e câncer. De acordo com Devra Davis em seu livro História Secreta da Guerra sobre o Câncer, 1,5 milhões de vidas foram perdidas porque os americanos falharam em agir no conhecimento existente sobre as causas ambientais do câncer. É impossível calcular as mortes agregado de 'cura de câncer "reprimida, mas nós sabemos da terrível sofrimento de centenas de milhares de pessoas que foram presos por uso de maconha. Óleo de cânhamo com THC tem incluído a realização de um tratamento de câncer primário, que mesmo sozinho parece ter uma grande chance de virar a maré contra os tumores de câncer. Tem a vantagem adicional de segurança, facilidade de utilização, a falta de efeitos colaterais e de baixo custo quando se torna a si mesmo. Cercado por outros medicamentos anti-câncer substâncias em um protocolo completo, é difícil imaginar alguém a falhar e cair em sua guerra contra o câncer. THC deve ser incluído em cada protocolo de cancro. O bicarbonato de sódio é uma outra substância anti tumor excelente que reduz os tumores, mas é muito mais difícil de administrar do que o óleo de cânhamo THC. Os canabinóides são capazes de passar através de todas as barreiras no corpo como ácido alfa-lipóico para ingestão oral simples é suficiente. Com bicarbonato precisamos de aplicações intravenosas e muitas vezes até mesmo isso não é suficiente, muitas vezes temos que usar cateteres e poucos médicos do mundo estão dispostos a administrar este caminho. No final, todos os tratamentos de câncer que não são promovidos por oncologia mainstream são ilegais. Nenhum médico licenciado vai dizer que são a cura do câncer com bicarbonato de sódio que eles vão tratar as pessoas com câncer de explicar que eles estão equilibrando o pH ou algum outro perfil metabólico com este medicamento comum sala de emergência encontrada também a maioria das cozinhas do mundo. Mais do que vários estados já aprovaram leis que fazem a maconha medicinal legal, mas o governo federal não vai relaxar e deixar as pessoas a liberdade de escolher os seus tratamentos, mesmo que suas vidas dependem disso. Notas Davis que a covardia de cientistas, que publicam relatórios cuidadosamente referenciados mas puxar seus golpes no final, alegando que mais estudos precisam ser feitos antes que a ação pode ser tomada. Declarações como essas são explorados pela indústria que compra tempo para fazer muito mais dinheiro. É uma tentativa deliberada que cria dúvida pública atacado a partir de pequenas lacunas de dados e demais incertezas científicas. Eles têm feito isso com tudo certo até e inclusive a luz solar. Tudo é considerada perigosa, excepto os fármacos que são as substâncias mais perigosas de todos. Quimioterapia estômago violenta eo princípio morte de radiação são legais, mas seguro óleo de cânhamo THC Laden não é. É legal para os médicos para atacar as pessoas com seus venenos, mas você pode ir para a cadeia por tentar salvar a si mesmo ou um ente querido de câncer com o óleo de uma erva daninha jardim simples. Nossa civilização colocar-se com esta loucura, mas há um grande preço a ser pago. Em um mundo louco médica pessoas morrem de que não precisa e esta é uma terrível tristeza que destruiu a integridade e ética da medicina moderna. A ciência para o uso de óleo de cânhamo é credível, específica baseada em fatos, e está documentado em detalhes. Não há absolutamente nenhuma razão para não legalizar a maconha medicinal e criar uma produção imediata e distribuição de óleo de cânhamo THC para pacientes com câncer. Infelizmente vivemos em um mundo povoado com os governos e capangas médicos que preferem ver pessoas morrem mortes cruéis então ter acesso a um medicamento contra o câncer seguro e efeito. Enquanto isso, a Food and Drug Administration aprovou medicamento mais vendido da Genentech, o Avastin, como um tratamento para o câncer de mama, em uma decisão, de acordo com o New York Times ", que apareceu para baixar o limiar um pouco para a aprovação de certos medicamentos contra o câncer. A grande questão era saber se era o suficiente para uma droga temporariamente para parar o câncer de agravamento - como Avastin havia feito em um ensaio clínico - ou seria necessário para uma droga para permitir que os pacientes a viver mais tempo, que o Avastin não tinha conseguido fazer. Oncologistas e defensores de pacientes foram divididos, em parte por causa dos efeitos colaterais da droga, por vezes graves. " As diferenças entre Avastin e óleo de cânhamo são enormes. Primeiro Avastin vai ganhar centenas de milhões Genentech onde THC óleo de cânhamo não obterão nada um. Segundo que não existem efeitos colaterais graves ou até mesmo leve a tomar óleo de cânhamo e, por último, não é uma resposta temporária, mas uma solução real. Certamente óleo de cânhamo irá garantir uma vida mais longa. http://youtu.be/0psJhQHk_GI
  11. Cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, informaram nesta quarta-feira (22) a primeira evidência em humanos de que o consumo de bebidas alcoólicas aumenta o risco de alguns tipos de câncer, como o de esôfago. A descoberta surge quase 30 anos depois dos primeiros estudos que levantaram a possibilidade de um elo entre o álcool e tumores. Os resultados foram apresentados no 244º Encontro Nacional da Sociedade Americana de Química. Segundo a autora Silvia Balbo, que liderou o trabalho, o corpo humano metaboliza ? ou seja, quebra ? as moléculas de álcool contidas em cervejas, vinhos e destilados. Uma das substâncias formadas a partir desse metabolismo é chamada de "acetaldeído", que tem estrutura semelhante a um conhecido composto cancerígeno, o "formaldeído" -- ligado a tumores nos pulmões, nariz, cérebro e sangue (leucemia). Por meio de experimentos em laboratório com voluntários, os pesquisadores observaram que o acetaldeído também pode danificar o DNA, o que pode levar ao câncer. Para testar a hipótese, dez voluntários tiveram que beber doses crescentes de vodka (até três) uma vez por semana, durante três semanas. Os pesquisadores descobriram que, horas após a ingestão de álcool, os níveis de alterações no DNA aumentavam até 100 vezes nas células da boca dos indivíduos, e diminuíam depois de 24 horas. O mesmo efeito foi observado nas células sanguíneas. De acordo com Silvia, a maioria das pessoas tem um mecanismo de proteção natural altamente eficaz contra o efeito do álcool no DNA ? uma enzima chamada "desidrogenase" converte o acetaldeído em acetato, uma substância relativamente inofensiva. No entanto, alguns são mais suscetíveis a terem problemas. Entre esse grupo, estão 1,6 bilhão de pessoas de origem asiática que não têm essa enzima. Além dos orientais, alguns americanos (incluindo nativos do Alasca) apresentam uma deficiência na produção da desidrogenase. Os cientistas dizem, no entanto, que a maior parte dos indivíduos não desenvolverá câncer por beber socialmente, mas é importante lembrar que o álcool traz outros problemas de saúde ? ao fígado, cérebro e outros órgãos ? e aumenta os riscos de acidentes no trânsito. Fonte: G1/GLOBO
  12. Muito bem feito e com conteúdo. Vale a pena! Abraço comunidade.
  13. Título: What If Cannabis Cured Cancer ( 2010 ) Nacional: E Se Cannabis curasse o cancer? Gênero: Documentário Sinopse: Poderiam os químicos presentes na maconha previnir e ainda curar vários tipos de cancer? Poderiam as propriedades de regulação de tumor dos cannabinoides substituirem as drogas cheias de efeitos colaterais, Quimioteramia e todo o mal que faz enquanto cura? Descubra a verdade sobre essa medicina milenar com renomados cientistas em pesquisas com cannabinoides. Link do vídeo: http://www.megaupload.com/?d=56Q58VAI Link alternativo do video: http://www.megaupload.com/?d=DTB6LN6V Link da legenda: http://www.megaupload.com/?d=6VNGZ7U6 Link do video legendado no MegaVideo: http://www.megavideo.com/?v=LTKRI7CQ Depois vou juntar a legenda com o video e upar no megavideo. Release do video: MVGroup Legenda: Criada por mim, trazendo em primeira mão pra Growlera! Acabou de sair do forno. Minha primeira, e provavelmente, ultima legenda. Espero que gostem. Um dos melhores documentários que já vi. Abraço.