Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'cultivo'.



More search options

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Avisos
    • Avisos
    • Bem Vindo ao Growroom
    • Blog
  • Cultivo
    • Informações Básicas
    • Solos e Substratos
  • Outros temas relacionados
    • Notícias
    • Ativismo - Cannabis Livre
    • Segurança e Leis
    • Eventos e Competições
    • Cannabis e a Saúde
    • Cannabis Medicinal
    • Comportamento
    • Culinária
    • Artes, Filosofia, etc
  • Multimidia Cannabica
    • Galeria de Fotos
    • Galeria de Vídeos
  • Cultivo Medicinal
    • APEPI

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Location


Interests

Encontrado 76 registros

  1. Fala piazada, este é a minha primeira postagem, espero estar postando corretamente. Qualquer coisa errado, só me avisar que corrigimos. Então, antes da duvida, só para esclarecer: eu estive por algum tempo tentando germinar semente de prensado sem sucesso. Até que um dia joguei uma semente num monte de cigarro que fica na varanda (o animal que construiu ela não fez um buraco pra escoar a agua) e numa semana chuvosa recebi um presente, uma mariazinha - eu tenho fotos dessa cena e de varias partes do processo, só não sei a forma segura de postar aqui, devo simplesmente anexar as fotos na hora da postagem?. Apesar de eu ja estar pesquisando sobre cultivo há algum tempo, plantei o pézinho num copo preto que não escoava a água(animal). Na primeira semana ela ja começou a murchar e eu rapidamente tive que fazer um transplante. Aqui vai o setup do vaso(4L): 40% perlita 10% vermiculita, 50% terra preta com humus (uma mistura comercial, comprei numa loja agricola aqui da cidade) e por fim somente uma pontinha de colher de calcario dolomitico. Esta mistura eu pretendo usar pra essa prenseed e mais uma que ta começando a germinar aqui. Além disso pretendo usar numas automaticas que estão pra chegar (). A minha duvida é a seguinte, no dia do transplante, eu deixei uma camada espessa no fundo do vaso (4L) de uns 4 dedos daperlita com vermiculita, depois uma fração misturada e por cima apenas a terra preta com humus. Eu tenho um termometro que eu deixo soterrado na terra, porém quando cavoquei com um palito de espetinho pra por ele, percebi que tem uma porção de raizes que eu achei superficial demais. Eu acredito que a terra preta retem toda a agua por cima. Baseado na ideia de quimiotropismo/hidrotropismo da raiz, pela beirada do vaso cavei até alcançar a perlita e preenchi o buraco com mais perlita. Fiz isso na regiao vaso que n tinha muita raiz por cima. Acredito que dessa forma a água vai alcançar mais a perlita e estimular que a raiz cresca pra baixo, o que vocês acham? Será que deixo a raiz assim mesmo? por favor pessoal, toda ajuda será bem vinda, é meu primeiro cultivo jah é mais, abraços!
  2. Galera, comecei o meu primeiro cultivo. Como sou novato queria algumas respostas para as minhas duvidas. Dimensao do Grow: 1.40x0.4x0.9 3 Lampadas Fluorescentes 45watts ( Estou usando 20/4 ) 8 cooler - 4 exaustao e 4 ventilacao ( Estou esperando chegar da net para instalar ) Minha plantinha esta com 8 dias ( Fotos ) e as duvidas comecaram a surgir: - Quando devo realizar a troca para o vaso vegetativa? - A quantidade de luz e ventilacao esta suficiente? - Qual a hora certa para comecar a usar fertilizantes? - Alguma outra dica construtiva? FOTOS http://imgur.com/HQGzr9Y http://imgur.com/OanDJKD http://imgur.com/t6WXqmp http://imgur.com/zLN7b7U http://imgur.com/xdpWP8V http://imgur.com/21iofSi http://imgur.com/vc813lM
  3. rmulekimthegod

    Duvidas

    Queria saber se alguem tem dicas do que estou fazendo de errado, ou de iluminação... Enfim.. vlw ai
  4. rmulekimthegod

    Duvidas

    Queria saber se alguem tem dicas do que estou fazendo de errado, ou de iluminação... Enfim.. vlw ai
  5. Para testes, Polícia Federal planta mais de 70 pés de maconha em estufa Experimento foi realizado durante um ano e meio nas dependências da superintendência regional do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre Por: Caetanno Freitas 19/01/2016 - 16h23min | Atualizada em 19/01/2016 - 16h23min Para testes, Polícia Federal planta mais de 70 pés de maconha em estufa O aumento no número de solicitações de perícias em sementes de cannabis sativa importadas apreendidas nos últimos anos no Brasil e a dificuldade em estimar a quantidade de maconha que pode ser produzida para consumo a partir do cultivo "indoor" da planta levaram a Polícia Federal a desenvolver uma pesquisa que a corporação definiu como inédita. Nas dependências da superintendência regional do Rio Grande do Sul, durante um ano e meio, a instituição plantou 73 pés de maconha em uma estufa improvisada no laboratório do setor técnico-científico. No nono andar do prédio da Polícia Federal, na Avenida Ipiranga, em Porto Alegre, os peritos germinaram sementes apreendidas de diferentes marcas e variedades entre o início de 2014 e setembro de 2015. As plantas foram cultivadas em uma pequena estrutura de madeira, de dois andares, com as paredes internas forradas com papel laminado, iluminação artificial e sistema de exaustão. Os peritos usaram temperatura e umidade relativa controladas e intervalos de luz e escuridão total. O ambiente tinha acesso restrito e câmeras de segurança. As plantas foram mantidas na estufa por períodos que variaram de quatro a 12 semanas. A maioria, 19 pés de maconha, foi cultivada por 4,5 semanas. Dezesseis ficaram seis semanas e somente cinco plantas completaram todo o período de cultivo. O perito criminal da Polícia Federal Rafael Ortiz, um dos autores da pesquisa, explica que entre os objetivos do estudo estava a busca de apoio científico para rastrear a origem de futuras apreensões no país. Maconha: é hora de legalizar? — O tráfico de sementes de maconha é um crime relativamente novo no Brasil. A partir de 2010, houve uma explosão de importação irregular, de contrabando. Então, começamos a pensar em como ter alguma ferramenta para saber a origem dessa maconha — diz o perito. O que saber para se posicionar sobre a legalização da maconha O número de laudos produzidos pela Polícia Federal teve um salto significativo: passou de 34 laudos, em 2010, para 2.192, em 2014, o que corresponde a 6.347% de aumento. Conforme Ortiz, a alta é um reflexo de uma cultura que vem ganhando força no país. Usuários compram sementes pela internet e plantam em casa para ter um "produto melhor", sem "financiar o tráfico". — No momento em que você compra uma planta proscrita, está agindo como criminoso. Essa ideia de que não está financiando o tráfico comprando sementes é errada. Você está agindo como um criminoso. Está alimentando essa cadeia — opina Ortiz.
  6. Amigos, uma dúvida técnica sobre plantio outdoor: no hemisfério sul, onde o dia mais longo (com mais horas de luz do sol) aconteceu em 2014 no dia 21 de dezembro, a floração começa imediatamente após este dia (ou seja, dia 22 de dezembro), pois as horas de luz começam a diminuir OU somente no dia 25 de março de 2015, quando o número de horas sem luz do sol torna-se menor do que 12h por dia? Li bastante sobre o assunto e achei essa informação bastante confusa. obrigado pela atenção!
  7. Galera estou iniciando meu diario do primeiro cultivo, depois de perder umas três sementes, aprendi como germinar sementes e também consegui fazer chegar no processo de vegetação, vamos ver como vai desenvolver até poder colher. E engraçado como você se apaixona pela planta!..rsrsrs
  8. O escritorio

    © Fumaça Tupiniquim

  9. greenpach

    P2 02

    Do álbum 1° Cultivo Indoor - Hidroponia vs orgânica (Big Bang Auto e Skunk Auto)

    Surgiu uma espécie de fungo ou mofo branco que apodrece a flor e seca o caule no local rapidamente. Primeira atitude foi antecipara colheita das flores afetas e aproximadamente 8 dias da coleita prevista e fazer o monitoramento. Nas plantas mais jovens vou pulverizar sulfato de cobre.
  10. greenpach

    P2 01

    Do álbum 1° Cultivo Indoor - Hidroponia vs orgânica (Big Bang Auto e Skunk Auto)

    Surgiu uma espécie de fungo ou mofo branco que apodrece a flor e seca o caule no local rapidamente. Primeira atitude foi antecipara colheita das flores afetas e aproximadamente 8 dias da coleita prevista e fazer o monitoramento. Nas plantas mais jovens vou pulverizar sulfato de cobre.
  11. 13-11-2014 às 15:12 Uruguaios estudam vender excrementos de morcego para cultivar cannabis O concentrado de fósforo e nitrogénio presente nos excrementos de morcego acelera a floração das plantas, uma propriedade conhecida pelos produtores de cannabis e que agora um grupo uruguaio de investigadores estuda com o objectivo de comercializá-lo como adubo orgânico. «Não tem nada a ver com a cannabis, é fertilizante», assegurou o zoólogo Enrique González, coordenador do Programa de Pesquisa de Morcegos do Uruguai, que actualmente analisa a matéria fecal destes mamíferos, conhecida como guano, para lançá-la no mercado agrícola. No entanto, González reconheceu que este adubo deve ter «alguma particularidade» para os produtores de cannabis, que, por enquanto, lhes serviu para atrair a atenção da imprensa uruguaia em relação à sua actividade académica. Em Dezembro do ano passado o Uruguai aprovou o Projecto de Lei sobre Controlo e Regulação da Cannabis e seus Derivados, que legalizou a produção e venda desta substância e desde Agosto qualquer cidadão que deseja cultivá-la na sua casa pode comparecer nos correios e solicitar uma licença de produtor. Uma vez concedida, estará habilitado para cultivar livre e legalmente até seis plantas de cannabis sativa e colher até 480 gramas de cannabis por ano para consumo pessoal. «No início da pesquisa, pusemos na Internet guano de morcego e apareceram 25 páginas, das quais 22 eram de clubes de plantadores de cannabis no mundo todo», disse o pesquisador. «Comparado com outros adubos, este devolve a matéria orgânica à planta e a absorção de nutrientes é feita mais lentamente, por isso que não é preciso adubar todos os dias», explicou Nacho Merlín, gerente de um «growshop» uruguaio que vende produtos para a plantação de cannabis e presta assessoria aos seus cultivadores. «Estaríamos interessados em vender um adubo produzido no Uruguai, porque o que se encontra no mercado do país são produtos importados e caros», explicou Nacho. Radicado no Museu de História Nacional de Montevidéu e integrado na Rede Latino-Americana para a Conservação dos Morcegos, o grupo científico que González trabalha para a pesquisa e conservação desta espécie animal, tão mitificada e estigmatizada pela cultura popular. As pessoas que lutam para a protecção de aves, baleias e cervos não sofrem «o terrível problema que enfrentamos, porque o nosso animal é demonizado injustamente», criticou. A venda do guano servirá para financiar o grupo, explicou o estudioso, que defendeu que «se desaparecessem todos os morcegos de um dia para outro, a população de insectos explodiria de tal forma que nos sufocariam». «No Uruguai vivem 23 variedades de morcegos, tanto em cidades como em zonas rurais», disse Nacho, que pretende estabelecer algumas directrizes responsáveis para c sua exploração. «Se um clube de cannabis for procurar guano numa colónia, não vai voltar um ano mais tarde para ver se foi afectada pela extracção, mas voltará quando este acabar, para comprar mais», advertiu. A recolha deve ser executada fora do período reprodutivo, que começa em Dezembro até ao final de Janeiro ou Fevereiro, e em dias frios para que os morcegos estejam letárgicos. Por outra parte, concretizar o aspecto legal, económico e sanitário destes fertilizantes, antes de lançá-lo no mercado, é fundamental para este grupo de cientistas. Assim, o uruguaio Juan Pablo Turbino, responsável da loja Yuyo Brothers, dedicada à venda de acessórios com motivos alusivos à cannabis, manifestou o seu interesse em comercializar este adubo, sempre e quando for convenientemente esterilizado. O guano de morcego, ao ser armazenado em espaços húmidos e fechados, às vezes contém um fungo, cujos esporos podem causar problemas respiratórios, por isso o grupo de González está a trabalhar para descobrir como eliminá-lo. Tanto Nacho como Turbino admitiram que o processo de legalização da cannabis no Uruguai, impulsionado pelo presidente José Mujica como forma de luta contra o tráfico de droga, gerou um aumento na procura de insumos para a sua plantação. «As pessoas entram no mundo do cultivo com a cannabis e acabam por plantar nos seus próprios terraços alfaces e tomates», assegurou Nacho. http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=744949
  12. Bom dia, Boa Tarde, Boa Noite... Galera to fazendo o Tópico para relatar O Dilema da minha casa com cannabis. Meus pais e minha família em geral tem a ideia de que a Maconha é uma substancia igualmente comparada com qualquer outra droga pesada (Heroína, Crack, etc) infelizmente como em muitas famílias a minha também tem que no meu caso é uma tia que se perdeu realmente, uma doente hoje em dia, nisso ganhei um irmão (que na verdade é um primo), nisso meus pais enxergam tudo como a mesma coisa e toda minha família Pois então.. Criando esse tópico para que eu e todos usuários do GR possam também relatar oque acontece não só em casa mais no seu dia a dia, formas de ativismo ou tentativas de conscientização do realmente é a Cannabis, que eu acredito que seja um passo que nos aproxima da Legalização... Se existir algum tópico já do tipo realmente não encontrei e peço perdão.
  13. http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2014/09/jovem-faz-diario-em-foto-e-video-para-exibir-online-plantacao-de-maconha.html 12/09/2014 12h39 - Atualizado em 12/09/2014 14h16 Jovem faz diário em foto e vídeo para exibir online plantação de maconha Perfil narra em imagens o desenvolvimento das ervas desde o plantio. 'Não compre, plante', prega o jovem investigado por tráfico em Campinas. Do G1 Campinas e Região A Polícia Civil de Campinas (SP) abriu investigação sobre o perfil em uma rede social que divulga uma espécie de diário, em fotos e vídeos, sobre o desenvolvimento de uma plantação de maconha. Nas imagens, o jovem narra fatos sobre a evolução do plantio das ervas desde as mudas até a transferência e crescimento em um terreno maior. O responsável pelo perfil prega na página o lema "Não compre, plante", mas será investigado por tráfico de drogas, além de incitação ao crime. O perfil público foi criado no Facebook em junho deste ano e tem mais de mil seguidores. O administrador da página chega a posar para fotos ao lado das plantas, que ele chama de "meninas". Por meio de vídeo, o jovem narra também alguns contratempos na plantação. "Essa aqui o boi tinha pisado em cima, eu falei que não ia tirar ela, e ela sobreviveu, dividiu em duas. Vamos ver como que vai ficar. Tô dando um talento aqui porque a chuva foi forte", conta enquanto filma, sem aparecer, um pé de maconha pequeno no terreno. Jovem faz diário na internet para registrar online plantação de maconha(Foto: Reprodução / EPTV) Em um vídeo postado em 3 de setembro, ele se orgulha de um dos maiores pés da plantação mantida por ele em um esconderijo não revelado na página. "Agora, a maior felicidade nossa é essa aqui. Olha quantas cabeças. Coisa linda! É canabis que não acaba mais", e encerra com uma provocação à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O delegado da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) Luiz Fernando Marucci afirmou que a polícia trabalha na tentativa de identificar e localizar o administrador da página, que deverá responder po tráfico de drogas. "Pelo material que estamos investigando já, demonstra que há uma quantidade grande de droga. E isso indica que essa droga que ele planta tem fins de tráfico, qual seja vender para outras pessoas com objetivo de lucro", afirmou. De acordo com Marucci, além disso, o responsável pelo perfil e todos os seguidores que compartilharam o conteúdo serão investigados pelo crime de incitação ao crime. "As pessoas que tomaram conhecimento desse conteúdo não precisam de fato plantar a droga para que o crime fique consumado. Basta a divulgação. À medida que você divulga ou incita a prática de algum crime, esse tipo penal já fica configurado", conclui. A pena para o crime de incitação pode variar de três a seis meses de detenção e a do tráfico pode chegar a 15 anos de prisão. A direção do Programa de Prevenção às Drogas informou que entrará com um pedido de retirada da página da rede.
  14. Quinta, 02 Outubro 2014 06:46 Pés de maconha mantidos com luz artificial são apreendidos em Itaúna Por G1 | Para: CBN Foz http://www.cbnfoz.com.br/editorial/brasil/minas-gerais/02102014-211283-pes-de-maconha-mantidos-com-luz-artificial-sao-apreendidos-em-itauna Um jovem de 20 anos foi preso com 12 pés de maconha plantados dentro de uma casa Rua Maria de Castro, no Bairro Nova Vila Mozar, em Itaúna. A Polícia Militar (PM) informou que para manter as espécies ele usava luz artificial e um ventilador instalados dentro de um quarto isolado com lona. Ainda segundo informações dos militares, testemunhas fizeram denúncia anônima informando que na casa ocorria tráfico de drogas. O suspeito foi preso em flagrante e levado para delegacia de Polícia Civil da cidade, onde prestou depoimento e foi liberado. Pés de maconha eram mantidos com luz artificial e ventilador (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
  15. Bas

    Growroom Na Colômbia

    O Growroom foi a Colômbia e registrou um dos maiores cultivos de cannabis e seguramente de altíssima qualidade. Genéticas selecionadas com muito cuidado por "El Gato" nosso amigo chocolateiro colombiano. Fomos recebidos com muito carinho e cuidado para essa emocionante aventura que vamos apresentar em 5 partes. A primeira parte traz a parte do crescimento das plantas. Primeiro plantas em vasos com casca de arroz, turfa e pedra pome. Ficam ali até atingirem um metro de altura quando são transplantadas para a "Pacha Mama" (a mãe natureza, a terra). Para que as plantas não floreçam e atinjam a altura desejada o fotoperíodo é complementado com lâmpadas fluorescentes. A floração é interrompida mantendo a luz ligada 18 hs por dia. Vamos deixar de papo e dá o play no vídeo!
  16. Fala galera, Segue o link com vários livros que encontrei. http://www.4shared.com/folder/iNiucSkQ/MJ_Guides.html Guias disponiveis: Basic Hydroponics System.pdf Beginners Guide to Growing Marijuana.pdf Cannabis Alchemy - D. Gold.pdf Cannabis Grow Bible.pdf How to Grow Medicinal Marijuana - Todd McCormick.pdf Joint Roller's Handbook.pdf Marijuana Chemistry - Genetics, Processing, & Potency - Michael Starks.pdf The Beginner's Guide to Hash-Growing.pdf Infelizmente todos em inglês. Pra baixar no 4shared você precisa ser registrado. Eu upo arquivos nele porque não tem restrição de velocidade. Divirtam-se Aceito presentes bjs. @edit adm por favor se estivar na área errada mover pra correta.
  17. Eae Galera, Entao estou com umas duvidas sobre que sementes seriam mais produtivas aqui no brasil, morro perto de sao paulo, no litoral e estou querendo plantar (outdoor/ indoor) so que nao sei que sementes pegar! Algumas dicas por favor!! Valeu.
  18. Bom dia Comunidade, Meu respeito e admiração por todos! Sou novatão, e iniciante. Comecei um cultivo de 3 seeds de prensado a 2 semanas, e coloquei um lampada fluorescente compacta 46w luz branca 6500k. Então eu notei, que começou a surgir um certo pó branco, na terra e comecei a perceber uma forte coceira vermelhidão nas mãos, e onde eu encostava no corpo passava a coçar dimais e ficar empolado também! Fiquei bastante preocupado, seria o caso de alguma alergia a planta?? Ou a luz??? Uma proteção resolveria? Abraços a todos Obrigado desde já
  19. Policiais militares apreenderam, na tarde desta quinta-feira (11), mais de 57 quilos de maconha em um imóvel situado na Iputinga, Zona Oeste doRecife. A casa onde a droga estava armazenada fica na comunidade Nova Morada, por trás da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá. No local, a PM também encontrou sementes e uma estufa onde a erva era cultivada pelos traficantes. Segundo o tenente do 11º Batalhão da PM, Gleidson Gonçalves, os criminosos fugiram antes da chegada da polícia porque o imóvel tinha um circuito de câmeras para monitorar o movimento da rua. “Eles escaparam ao perceber que estávamos nos aproximando e cercando o local”, contou. No local, também foi apreendido um revólver calibre 32. Droga estava pronta para ser distribuída na capital. (Foto: Reprodução / TV Globo) Criminosos montaram estufa em um dos quartos do imóvel. (Foto: Reprodução / TV Globo) Policiais militares encontraram vários frascos com a erva. (Foto: Reprodução / TV Globo) fonte http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/04/pm-pe-apreende-57-kg-de-maconha-e-destroi-estufa-para-cultivo-da-erva.html
  20. Buenas growers! Retomando um projeto mto bacana que rolou aqui em Porto Alegre, entre o Principio Ativo e o GR, convido os amigos para debatermos o modelo, material e todos detalhes necessários para a Oficina de Cultivo Caseiro 2013. Eu já tinha conversado com o Aquaponic, Chaplin, Chuck, Xambinho e demais maconheiros aqui no Sul e foi sugerida a seguinte grade curricular: 1 - introdução ao cultivo I 2 - introdução ao cultivo II 3 - Seedling 4 - vegetativo 5 - floração 6 - iluminação 7 - Exaustão e ventilação 8 - tipos de cultivo - terra, coco, hydroponia 9 - Organico ou Ferts? 10 - colheita Além do currículo de ensino penso em discutirmos ainda: - Material usado pelso alunos (penso no livro do Sérgio Vidal mas não sei como esta a disponibilidade pra venda) - Corpo Docente - Datas e sequência de aulas (já solicitei as datas disponíveis pra agendar na mesma sala da faculdade) A idéia é termos um modelo da oficina pronto para podermos replicar pelo país, caracterizando as questões sazonais do cultivo. Feito povo! forte abraço!!
  21. O Growroom vai além do autocultivo Entrevista: Emílio Nabas Figueiredo Por Rebeca Lerer No processo de construção de um debate qualificado sobre política de drogas, a Pense Livre está conversando com especialistas, juristas, usuários, policiais, agentes de saúde e lideranças políticas para aprofundar e detalhar as propostas de mudança da Rede. Um dos pontos da agenda positiva da Pense Livre é regular o uso medicinal e o autocultivo da cannabis para consumo pessoal, como forma de romper o vínculo entre usuários de maconha e o crime organizado. Segundo a ONU, a maconha é a droga mais usada do mundo, representando cerca de 80% do consumo de substâncias consideradas ilícitas. Para entender melhor o contexto e propostas em torno do autocultivo de maconha, entrevistamos Emílio Nabas Figueiredo, advogado e consultor jurídico do Growroom.net, uma rede de usuários de cannabis que discute esta questão há mais de dez anos. O que é o Growroom, quantas pessoas participam e como funciona? O Growroom.net é um espaço de convivência de usuários de cannabis (maconha), onde cultivadores para consumo próprio trocam informações sobre a planta. O Growroom está online desde 2002 e atualmente tem 48.300 membros inscritos, dos quais centenas são ativos diariamente. Funciona como uma comunidade e plataforma de ativismo canábico, com regras rígidas de segurança e convivência, que excluem a participação de menores de 18 anos e permitem apenas a troca de informações entre seus membros. Como surgiu a ideia de criar uma comunidade como o Growroom.net? O Growroom surgiu da união de cultivadores domésticos brasileiros que frequentavam fóruns estrangeiros sobre cultivo de cannabis e sentiam falta de espaço para tratar da realidade brasileira. Nesses 10 anos de atividades, o Growroom participou ativamente da organização das marchas da maconha pelo Brasil, auxiliou na defesa de cultivadores presos através de seus consultores jurídicos, e também foi objeto de estudos acadêmicos e reportagens. Como diferenciar cultivadores de traficantes? A lei vigente diferencia o cultivo para uso próprio do cultivo para tráfico com base na expressão “pequena quantidade” e na não circulação da colheita. Porém, as autoridades não definem o que significa pequena quantidade e o que acontece é que presumem a circulação da safra no momento da prisão. E quais são as consequências disso? Primeiro, desconsideram que a cannabis, é uma planta de ciclo anual, ou seja, para ser autossuficiente, o cultivador tem que cultivar um número plantas para suprir o seu consumo até a próxima colheita, o que demora meses para acontecer. Em um cultivo com fins comerciais (para a venda), são necessárias uma extensa área de cultivo – uma verdadeira lavoura – e uma ampla estrutura de distribuição. Em segundo lugar, a “circulabilidade” da cannabis nunca é provada com investigação, a polícia simplesmente usa de sua fé pública para afirmar que a produção é destinada a terceiros ou para fins diversos do consumo próprio, o que impõe o enquadramento do cultivador para consumo próprio como traficante. O cultivadores hoje são considerados traficantes no Brasil? Hoje, o cultivador é sumariamente enquadrado como traficante pelas autoridades policiais, tem sua vida exposta na imprensa que, algumas vezes, entra em sua casa junto com a polícia. Após a prisão, as plantas apreendidas são pesadas como um todo, desconsiderando o fato de que somente as flores fêmeas são consumidas. Com isso, a quantidade de maconha informada no laudo pericial é muito maior do que a real. No fim, o cultivador é julgado e condenado como traficante, com base em denúncias anônimas e na quantidade de plantas. Qual é a proposta do Growroom para regulamentar o autocultivo de cannabis no Brasil? O Growroom vai além do autocultivo. Elaboramos uma minuta de projeto de lei onde propomos a regulamentação plena do ciclo socioeconômico da cannabis. Sugerimos a criação de uma lei específica para cannabis, considerando sua complexidade e suas substâncias intrínsecas e criando uma estrutura nova que, além de regular, também fiscaliza por meio de uma Agência Brasileira da Cannabis subordinada ao Ministério da Saúde e responsável direta pela questão. E como funcionaria este modelo? Propusemos a criação de um banco de informações da cannabis para fomentar pesquisas, divulgar informações idôneas sobre o vegetal e seus usos, desenvolver ações de prevenção e saúde e um fundo para financiar essa nova estrutura. Os recursos desse fundo viriam de uma contribuição sobre a cannabis comercializada. E como seria regulamentados a venda e o consumo da cannabis? O Growroom sugere o veto à publicidade aberta de produtos da cannabis, seu uso em locais públicos e em estabelecimentos comerciais próximos às escolas e o uso e cultivo por menores de 18 anos, exceto em caso de prescrição de uso medicinal. E o autocultivo? O autocultivo seria independente de quantidade de plantas ou de área de plantio, sendo regulado pela destinação exclusiva para consumo próprio dos adultos residentes no imóvel instalado. Em caso de comércio por quem não é autorizado, propomos penas administrativas com a cobrança de multa e dos tributos sonegados. Vocês se inspiraram em países que já regulamentaram o autocultivo? Qual o melhor modelo em prática hoje? Ao elaborar a proposta de regulamentação do Growroom, foram pesquisadas as experiências da Califórnia, Espanha e Holanda. Contudo, nenhum desses modelos nos parece ideal. Na Califórnia, só é autorizado o cultivo para fins medicinais; na Espanha, o cultivo individual e cooperativado é permitido, mas somente tem acesso à cannabis quem é membro de um Cannabis Social Club; e na Holanda o cultivo doméstico é meramente tolerado, sem haver qualquer regulamentação que dê segurança jurídica aos cultivadores. Atualmente, a expectativa é pelo inovador modelo de regulamentação que está sendo discutido no Uruguai, que embora possua um viés estatizante, possivelmente permitirá o cultivo doméstico. O cultivo doméstico de maconha pode ser parte de uma política de redução de danos? Considero o autocultivo redução de danos individual, pois o cultivador supera a figura do simples usuário na medida em que precisa esperar meses para obter seu resultado. Ao mesmo tempo, o indivíduo tem acesso a uma substância sem herbicidas ou pesticidas usados nas lavouras que abastecem as “bocas de fumo”, o que melhora sua qualidade de vida. No âmbito social, o autocultivo também pode representar uma grande redução de danos, pois aquele que cultiva deixa de fomentar o tráfico mantido pelo proibicionismo, o que significa que o dinheiro que iria para a guerra às drogas, passa a circular em meios lícitos como contas de luz e de água, ou no comércio de fertilizantes. Quais são os riscos desse modelo? Nem todo usuário tem aptidão para ser jardineiro. Por isso, além da regulamentação do autocultivo é necessária a regulamentação do acesso seguro para os demais usuários. Há também riscos pontuais, como a necessidade de uso das normas técnicas no momento da construção da estufa de cultivo indoor – uma instalação elétrica mal feita pode gerar problemas. Outro risco é em relação ao consumo da cannabis mal cultivada ou colhida de forma prematura, pois as flores jovens vêm com concentrações diferentes de canabinóides. Mas todos esses riscos podem ser minimizados com a divulgação de informações.
  22. Anteprojeto proposto por juristas permite até o cultivo da maconha(Fotógrafo Divulgação) Propostas de alteração do Código Penal Brasileiro que ampliam a permissão para abortos, reduzem a pena a quem tirar a vida de pacientes em estado terminal (eutanásia), liberam o transporte de entorpecentes e até autorizam plantação de maconha dividem opiniões de juristas, religiosos e autoridades. Considerradas liberais, estas e outras mudanças no anteprojeto foram montadas por uma comissão especial de 15 juristas considerados de “notório saber” e recebidas esta semana pelo Congresso. Para entrar em vigor, as alterações deverão ser votadas na Câmara dos Deputados e entre os próprios senadores. Depois, terá de ser sancionado pela presidente Dilma Rousseff. O volume possui mais de 500 páginas e condensa a proposta de alteração e suas justificativas. O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp presidiu Comissão Especial de Juristas. Em caso de aprovação, a liberação do aborto - permitido em caso de anencefalia, estupro e risco de vida da gestante - será ampliada também quando médicos ou psicólogos constatarem que a mulher não apresenta condições psicológicas para seguir com a gravidez. Esse atestado, no entanto, deve ocorrer até a 12ª semana de gestação. Sobre a liberação do transporte e facilitação do consumo de drogas, o projeto impõe como condição a comprovação de que será exclusivamente para uso pessoal, em quantidade suficiente para, no máximo, até 5 dias de consumo. Vale tanto para transportar (a cocaína e o crack, por exemplo), semear, cultivar, colher e estocar (no caso de drogas como a maconha). O promotor criminal Antonio Ganacin é contra uma série de alterações propostas. Entre elas, a liberação do aborto. “Eu sou a favor do aborto nas medidas que hoje estão em vigor. Liberar da forma como foi proposto é quase que legalizar em qualquer situação. Quem vai atestar a capacidade psicológica da paciente?” Sobre a liberação do transporte e consumo da droga para uso pessoal, o promotor é contrário. “Sou contra a liberação, mas já está praticamente em vigor porque a pena é branda.” Ganacin também critica a criação da tipificação de crime de homofobia. De acordo com ele, a pena é alta e impraticável. “No código é uma coisa, mas na prática é outra, se a pena fosse mais branda, talvez surtisse mais efeito, mas certamente o Supremo não irá permitir que uma pessoa fique presa cinco anos por esse crime”, explica. Ponto da proposta aplaudido pelo promotor é a possibilidade de barganha, ou seja, o advogado da parte pode entrar em acordo com o promotor para decidir a pena antes da audiência de instrução e julgamento. “Imagine uma hipótese: duas pessoas são acusadas de tráfico, uma delas é presa e a outra foge. O que foi preso pode colaborar com a investigação e o próprio promotor fazer acordo para diminuir a pena”, afirma. No entanto, segundo Ganacin, a reforma do código é, de maneira geral, importante. “A comissão de juristas foi muito bem escolhida e deve trazer bons resultados, apesar de eu ser contra a algumas alterações.” Já a presidente da OAB de Rio Preto, Suzana Quintana, vê como positiva a liberação do aborto para mulheres que não se sentem psicológicamente capazes de continuar com a gravidez. Para ela, essa é uma forma de impedir o aborto clandestino, muito praticado. “Apesar de ser crime, muitas mulheres fazem o aborto de forma clandestina e acabam morrendo.” Suzana concorda com a descriminalização do porte, transporte e cultivo de droga para consumo próprio também. “O legislador está apenas atualizando a lei. Atualmente você pode consumir, mas não pode comprar e nem plantar. Oras, de que maneira essa pessoa vai obter a droga para consumo se não for comprando ou plantando? Já o padre Ernesto Pedro de Oliveira Rosa, da paróquia Nossa Senhora do Brasil, é contra o que ele classifica como “banalização do porte de drogas”. Segundo ele, a liberação do consumo é um incentivo à prática de crimes e falta de amor ao próximo. “Para que liberar algo que sabemos ser tão nocivo ao ser humano?”O padre também critica a liberação do aborto. “Sou contra a permissão em qualquer hipótese. Respeito a vida.” O promotor criminal José Heitor dos Santos também critica a redução da pena para quem comete a eutanásia. Segundo ele, a pena de dois a quatro anos pode fazer com que alguns juízes perdoem o criminoso. “Se for aprovada dessa maneira, é a mesma coisa de autorizar o Estado ou alguém a matar. Não somos capazes de decidir sobre a morte de alguém. Quem define o que é estado terminal?”, indaga. Com relação à tipificação dos crimes de homofobia, perseguição e bullying, o promotor é favorável. “Nosso código penal já é um idoso e precisa se atualizar. Esses crimes não eram tão comuns naquela época. Essa atualização é importante para o avanço da sociedade”, avalia o promotor. Para Suzana, a tipificação da homofobia é bem vista. “Já passou da hora de tornar crime. Todo preconceito deve ser combatido”, conclui. Outra alteração proposta pela comissão de juristas é o endurecimento da Lei Seca. Caso seja aprovado, o texto não prevê a tolerância de 6 decigramas de álcool por litro de sangue e também passa a acatar toda forma de prova, como vídeos, fotos e o relato policial. Para o promotor José Heitor, essa é uma grande mudança, que vai endurecer a lei e punir com mais rigor criminoso. “Se a pessoa vai dirigir. tem que estar com todos os seus sentidos muito bem apurados e já sabemos que o álcool não permite isso”, diz. Reportagem: Victor Augusto http://m.diarioweb.com.br/noticia-detalhes/99761/novo-codigo-penal-libera-ate-plantio-de-maconha
  23. Por favor, estou começando agora, li coisa pra caramba, mas é muita coisa :S Oque eu sei que preciso pra plantar até agora é : -Vaso de 4 Litros -Fertilizante -Terra -Semente -Vermiculita (Pra arear a terra ?) -Mini Estufa -Lampadas Acham que só com isso, ja é possivel plantar, e não deixar a planta morrer ? Oque eu preciso aqui, é que me digam oque usar, cada pessoa no forum diz que é preciso de algo, mas não tenho dinheiro pra gastar com mil coisas, pra plantar uma planta ! Não sei qual marca usar, quanto menos dinheiro eu gastar, melhor ! Podem mandar links, dicas, oque for, pra me ajudar, por enquanto é só isso que preciso saber, paz !
  24. Após receber denúncia anônima de que numa residência havia plantação de maconha e uma arma de fogo, Policiais Militares foram ao local, no domingo, e constataram o fato. No fundo da casa, eles encontraram cinco mudas de maconha, sendo que uma delas já estava germinada e com folhagem, porém nenhuma arma foi localizada. A equipe fez apreensão das mudas, que foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia. Na residência não havia ninguém. O Comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar, Major Carlos Henrique Cardozo, enalteceu os Policiais Militares de Tapejara por mais uma apreensão realizada no município. A Polícia Militar precisa da sua ajuda denuncie a criminalidade, ligue para os telefones 181 NARCOTRÁFICO e 190, não sendo necessária a identificação. Fonte:http://www.reporteroliveirajunior.com.br/site/?p=48438