Roberto Augusto

Usuário Growroom
  • Total de itens

    17
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

6 Neutral

1 Seguidor

  1. Segundo médico e deputado federal, usar drogas nunca foi nem será utilizada para tratar qualquer doença por Osmar Terra* 25/10/2014 | 17h01 Existe um movimento bem articulado para conquistar a legalização das drogas, hoje ilícitas, no Brasil. Ele se constitui num verdadeiro Partido Pró-Drogas, que se manifesta de maneira planejada e utiliza uma tática progressiva. O primeiro passo seria a descriminalização do uso, depois a liberação da maconha, e, logo após, a legalização de todas as drogas, deixando que o mercado regule seu uso. É uma cruzada que interessa a uma pequena, mas influente, parcela da sociedade, e que conta com parte da grande imprensa nacional. Essa parcela aglutina usuários que não querem correr riscos, filósofos da liberdade individual acima de tudo e poderosos interesses comerciais. Na última edição do caderno PrOA, foi publicada uma entrevista com o diretor do filme Ilegal, Raphael Erichsen, na qual, a título de preocupação com o tratamento para doenças raras em crianças, o cineasta tenta justificar a liberação da maconha. Argumenta no filme que essas crianças deveriam ter o acesso ao “canabidiol”, molécula presente na composição da planta da maconha, para seu tratamento. Exibe o desespero de mães que buscam tratamento para seus filhos para, de forma sub-reptícia, passar a ideia de que então é importante legalizar a maconha (não só o canabidiol), para uso medicinal. Logo depois, por que não?, liberar seu uso recreativo. O argumento central, mas dissimulado, é o de que existe uma molécula na droga, com efeito medicinal, e que por isso a droga é remédio e deveria ser liberada. Nada mais falso. No cigarro de maconha, existem mais de 400 substâncias que causam danos à saúde. Uma delas, o THC, causa transtornos mentais agudos e crônicos, desencadeia a esquizofrenia, incurável, e transtornos de humor como a depressão, com risco maior de suicídio. É causa importante de interdição de adultos jovens. Reduz reflexos, a memória, a inteligência e a capacidade de trabalho. Seus usuários têm mais dificuldade de conseguir emprego e de chegar ao curso superior. Quando conseguem, ficam entre os mais baixos salários (conferir os estudos de Ferguson, D.M., 2013, e Ferguson D.M. & Broden, J.M., 2008). Pesquisa do Hospital de Clínicas de Porto Alegre mostrou que a maconha é a droga mais envolvida em acidentes de trânsito com vítimas fatais, o álcool ficou em segundo lugar. (Pechansky e colaboradores, 2010). Além disso, a maconha causa dependência química, e quanto mais jovem o usuário, maior o risco. A dependência química também é uma doença incurável, e no caso da maconha, atinge 50% entre os que usam diariamente na adolescência (NIDA, 2010). Sem falar que a maconha usada hoje é uma variedade 10 a 20 vezes mais potente que a maconha de 15 anos atrás. Segundo a UNDOC, órgão da ONU, 83% dos dependentes de crack e heroína começaram nas drogas ilícitas com a maconha. Estudos da Fundação Britânica de Pneumologia (2012) mostram que o cigarro da maconha causa mais câncer de pulmão nos seus usuários que o de tabaco. Um dos maiores psiquiatras brasileiros, Valentim Gentil Filho, professor titular de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP escreveu em artigo para a edição número 148 da Scientific American (de setembro de 2014): “Um dos possíveis facilitadores dessa atitude liberalizante em relação à cannabis é que seus efeitos agudos e transitórios sempre chamaram mais a atenção que as ações permanentes e irreversíveis. Talvez por isso se afirme que a maconha é menos prejudicial que o álcool e o tabaco. Na realidade, a discussão sobre drogas ilícitas tenta transmitir uma mensagem de segurança que as evidências absolutamente não justificam.” Assim, afirmar que fumar maconha pode ser tratamento é uma manipulação absurda. Isso não impede, porém, que uma molécula da planta, como o canabidiol, não possa ter efeito benéfico em alguma doença rara. Se comprovado, ela deverá ser retirada da planta, isolada e utilizada para aquela finalidade específica, como um comprimido ou líquido. É muito diferente de fumar maconha “para se tratar”. Só para lembrar, a morfina é uma substância derivada da papoula, a planta que produz a heroína. No entanto, é utilizada em casos específicos de dor intensa. A bradicinina é uma substância com excelentes resultados em hipertensão arterial e vem do veneno da jararaca. Mas ninguém receita injeção de heroína para tratar dor, nem picada de jararaca para “pressão alta”! Uma coisa é usar determinada molécula de uma planta para fins medicinais, outra coisa é usar isso como desculpa para se drogar. Usar drogas nunca foi nem será tratamento para qualquer doença, muito pelo contrário. Quanto à exploração emocional do sofrimento alheio, para empurrar de contrabando a legalização das drogas, mostra que o Partido Pró-Drogas não tem nem terá limites éticos ou morais para conseguir seu intento. Cabe ao restante da sociedade ficar alerta e contra-argumentar, quem sabe também com um filme, mostrando a relação verdadeira e direta da maconha e outras drogas com a destruição física e mental de milhões de brasileiros, história que bem poderia ser contada por suas famílias devastadas pelo sofrimento. * Médico. Ex-secretário estadual da Saúde e deputado federal (PMDB-RS) Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/proa/noticia/2014/10/osmar-terra-afirmar-que-fumar-maconha-pode-ser-tratamento-e-uma-manipulacao-absurda-4628158.htm l
  2. Quem não está contente é quem ganhava com a ilegalidade da erva! Religiosos e Donos de clínicas que ganham isenções fiscais por "tratar" "dependentes"! Policiais corruptos! Políticos corruptos! E TRAFICANTES!
  3. Achei esse cara no YouTube, ele não fuma, mas pé a favor da legalização! Na minha opinião, quem não fuma serão os mais beneficiados com a regulamentação! Hoje, com a proibição, são as pessoas que não usam Cannabis, que mais sentem os malefícios da erva! E, é sempre bom lembrar, que, defender a regulamentação/legalização, não se confunde com defender o consumo da erva! Abraços Growers!
  4. "Legalização Da Maconha É Imperativa", Diz Luciana Genro
  5. Luciana Genro: 'Legalização da maconha é imperativa' Pré-candidata à presidência da República pelo PSOL, a ex-deputada federal Luciana Genro entende que "a guerra às drogas fracassou" e, na prática, se constitui em uma guerra contra os pobres; ela elogiou o modelo de regulamentação da maconha via controle do Estado adotado pelo Uruguai: "O Mujica nos dá um grande exemplo" Pré-candidata à presidência da República pelo PSOL, a ex-deputada federal Luciana Genro disse, em entrevista ao programa Conexão RS, da Ulbra TV, nesta quarta-feira (18), que a legalização da maconha é imperativa no Brasil. O programa foi exibido às 18 horas, ao vivo, pelos canais 21 da NET e 48 da antena UHF, e contou com a participação de jornalistas da emissora, do Sul21 e do portal Terra. A socialista entende que “a guerra às drogas fracassou” e, na prática, se constitui em uma guerra contra os pobres. E elogiou o modelo de regulamentação via controle do Estado adotado pelo Uruguai. “O Mujica nos dá um grande exemplo no Uruguai”, defendeu. Durante a entrevista, Luciana Genro também frisou a necessidade de haver uma taxação mais efetiva sobre as grandes fortunas e de o Brasil adotar um sistema tributário que incida mais sobre a propriedade e menos sobre os salários. “Temos uma proposta de revolução tributária. Hoje, a carga de impostos é extremamente elevada sobre o consumo e o salário. Já o patrimônio e a riqueza são fracamente tributados”, criticou. Manifestações Questionada a respeito das depredações de bancos e prédios públicos provocadas por uma parte dos manifestantes durante protestos, Luciana Genro disse ser contra “qualquer violência gratuita”, mas lembrou que a violência da repressão policial é sempre muito superior às atitudes dos ativistas. “Sou contra que a polícia reprima as manifestações e que esses jovens que participam das lutas sociais sejam criminalizados. Esses atos de violência gratuita atrapalham nossa estratégia, que é ter milhões nas ruas. As pessoas se afastam, porque têm medo ou de quem depreda ou da reação da polícia, que é sempre muito mais violenta do que as depredações”, explicou. Contudo, para a pré-candidata do PSOL, “os bancos são os verdadeiros terroristas contra o povo”. Ela disse que compreende a violência manifestada nos protestos contra os bancos, mas acredita que esse método não irá modificar a situação do setor financeiro no país. “É legítima a indignação contra os bancos, mas é ineficaz sair quebrando porta de banco. Acho muito mais eficaz uma organização da indignação”, defendeu. Doações de campanha Em 2008, quando concorreu à prefeitura de Porto Alegre, a candidatura de Luciana Genro recebeu R$ 100 mil da empresa Gerdau e deflagrou um intenso debate nas fileiras do seu partido. Questionada sobre isso, ela disse que o episódio acabou gerando desgaste político, mas assinalou que não mudou suas posições políticas por conta da doação. “Se eu for considerar o desgaste político que tive e os míseros R$ 100 mil que eu recebi naquela campanha, talvez não tenha valido a pena. Mas tenho a minha consciência absolutamente tranquila, porque nunca mudei um milímetro as minhas ideias por causa de financiamento de campanha”, respondeu. Luciana lembrou que o estatuto do PSOL proíbe doações de empreiteiras, de empresas multinacionais e estrangeiras e de bancos. “Com esses três segmentos, não queremos diálogo”, acrescentou. 132 visitas - Fonte: Brasil 247 Link: http://plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=79462 Vídeo:
  6. DILMA E AÉCIO GANHAM MUITO COM O TRÁFICO E AS FICTÍCIAS POLÍTICAS PARA EXTINGUIR O USO DE DROGAS! ELES SE APROVEITAM DO CAOS QUE ELES MESMOS MANTÊM, PARA PEDIR VOTOS! MANTER O MACONHEIRO EM CONTATO COM O TRÁFICO É A MANEIRA DE GARANTIR FUTUROS USUÁRIOS DE CRACK E PERPETUAR O MEDO NA SOCIEDADE GARANTINDO ALGUNS VOTOS.... COMO EU QUERIA PODER ESCOLHER ENTRE O RENATO CINCO E O ANDRÉ BARROS PARA A PRESIDÊNCIA..... =D
  7. olhem essa pérola!!! TEORIA DA EVOLUÇÃO É ACHISMO SEGUNDO A EX-PSICÓLOGA! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA E OLHEM A INDIGNAÇÃO DELA POR A TEORIA DA EVOLUÇÃO SER ENSINADA NOS COLÉGIOS! É HILÁRIO!!!!! PARABÉNS AO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, UMA MULHER DESSA É UM RISCO A TODA A CLASSE PROFISSIONAL!
  8. Olhem o vídeo a partir de 43:30! O marido dela se cadastrou aqui no site e olhem as besteiras que ela saiu falando! Mas pelo menos agora ela não pode mais se intitular Psicóloga! \o/ http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-27--195-20140523
  9. A RBS é a máfia do RS, todos sabem.... não me espantou eles estarem defendendo o mercado deles....eles defenderam a ditadura gurizada... sem noção, jornal sem credibilidade nenhuma. Em Porto Alegre é fácil encontrar pichações "RBS MENTE" ou "ZERO HORA MENTE"... Zero Hora é a escória do jornalismo....
  10. Número do processo: 052/2.14.0000329-8 (CNJ 0000806-29.2014.8.21.0052) Nome dos vagabundos: MARCO ANTONIO BILHERI REIS LUIS FERNANDO MELLO MARQUES DA SILVA
  11. http://www.youtube.com/watch?v=o79k8Dmbt6E Mais um defendendo o mercado ilegal de maconha... Vamos lá comentar!
  12. Dr. Alan Shackelford cogita adulteração dos resultados! (traduzido pelo Google ) A mídia internacional está denunciando que a 28 de outubro de 2013 a morte de 31- year-old Gemma Moss de Boscombe , Inglaterra, foi um resultado de "envenenamento cannabis. " O anúncio controverso faria Moss - que é suposto ter fumado metade de um conjunto antes de ir para a cama na noite de sua morte - a primeira fatalidade da maconha na Grã-Bretanha , disse que as agências. A BBC eo Daily Mail , entre outros estão relatando que após três meses de testes " extensas " , as autoridades estão dizendo Moss morreu de toxicidade da maconha e " pensa-se que ela pode ter sofrido uma parada cardíaca desencadeada pela droga", de acordo com a BBC . Mas os médicos e membros da indústria da maconha estão questionando o diagnóstico. " Não houve nenhuma história de todos os relatórios verificados de uma morte de cannabis de sempre, em 5.000 anos de história ", o Dr. Alan Shackelford , fundador e diretor médico do Amarimed de Colorado , que avalia os pacientes para o uso da maconha medicinal, disse ao The Cannabist em sexta-feira. "A maconha pode causar um aumento da freqüência cardíaca , e há uma possibilidade de que ele poderia causar um problema com alguém com uma doença cardíaca pré- existente - por exemplo, alguém com um ritmo cardíaco elevado . Mas não há nenhuma dose conhecida de cannabis que pode matar um ser humano. " Shackelford consultou vários governos estaduais e nacionais sobre a maconha medicinal , do Colorado para Israel. Ele logo vai viajar para a Nova Zelândia para se pronunciarem sobre o assunto. Ele disse que talvez tenha havido uma adulteração ou outro elemento envolvido na morte Moss ", embora os testes britânicos não revelou qualquer coisa do tipo , de acordo com os relatórios de mídia . "Nós vemos mortes inexplicáveis ​​não raro ", continuou Shackelford . " A cannabis é um arenque vermelho e um achado incidental. É mais provável que algum tipo de arritmia cardíaca que não foi causado por uma anomalia física que teria sido observado na autópsia . Mas não houve relatos de que eu estou familiarizado com de cannabis causar arritmia cardíaca . " Eu não tenho idéia o que causou sua morte, mas eu posso dizer com quase 100 por cento de certeza de que não era a cannabis que a matou . " Shackelford não está sozinho em seu pensamento. Instituto Nacional do governo federal sobre Abuso de Drogas respondeu à pergunta : "Você pode overdose e morrer de maconha ? " O instituto disse: " A resposta é não , não é muito provável. " O New York Daily News contatou vários médicos da Costa Leste para saber sobre as descobertas. "Desde a metade de uma joint ? Isso é ridículo ", o Dr. Yasmin Hurd , professor de psiquiatria na Escola de Medicina Icahn no Monte Sinai , disse ao Daily News. "Seria muito, muito, muito improvável que se obtenha uma dose letal da maconha se não foi adulterado com alguma coisa", Dr. Bradley Flansbaum , um hospitalista no Lenox Hill Hospital, disse ao Daily News. Fonte: http://www.thecannabist.co/2014/01/31/death-marijuana-reaction-gemma-moss-cannabis-poinsoning-post-mordem/3723/ OBRA DOS PROIBICIONISTAS GURIZADA! LEMBRAM DO CASO DA GURIA QUE SE SUICIDOU NOS EUA APÓS FUMAR MACONHA, E DEPOIS DESCOBRIRAM QUE A NOTÍCIA ERA FALSA? NESSE CASO, O LOBBY FOI PARA ADULTERAR O LAUDO, OMITINDO DOENÇA CARDÍACA PRE-EXISTENTE, OU A PRESENÇA DE OUTRA SUBSTÂNCIA!
  13. Cara, a princípio também achei a distância pequena, mas como não será permitida a propaganda externa no estabelecimento, e a entrada de menores não será admitida nem pelos frequentadores, acredito 200m foi uma boa escolha. Essa seria a maneira perfeita de regulamentar nossa erva! Será que algum político vai se apresentar para transformar em Projeto de Lei?