wet-coma-dreams

Usuário Growroom
  • Total de itens

    1755
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    6

wet-coma-dreams last won the day on May 2 2017

wet-coma-dreams had the most liked content!

Reputação

1725 Excellent

Sobre wet-coma-dreams

  • Rank
    daydreamer

Últimos Visitantes

8088 visualizações
  1. de vaporizador, se tu não deixou queimar dá pra comer de colher literalmente
  2. Cara, arrumar briga com vizinho não vale a pena, ninguém sai ganhando. Sabes que a lei tá do lado dele, ele não precisa ter provas pra te incomodar, basta ele chamar a polícia quando você estiver fumando, e o porco ir lá na tua porta e sentir o cheiro.
  3. po eu tava achando isso também, mas olha o que o cara falou: será que tão pensando em permitir cultivo se comprovar necessidade médica?
  4. Pacote de ebooks caso alguem mais queira, com os livros (em ingles):

    Marijuana Grower's Handbook_ The Indoor High Yield Cultivation Grow Guide (Ed Rosenthal), Emperor Wears No Clothes (Jack Herer), Closet Cultivator (Ed Rosenthal), Marijuana Cooking (Bliss Cameron), The Herbal Medicine-Maker's Handbook (James Green), The Cannabis Grow Bible (Greg Green), The Science of Marijuana (Leslie Iversen), The Handbook Of Clinically Tested Herbal Remedies (Marilyn Barrett), Hemp Diseases and Pests Management (J. M. McPartland)

    Quem quiser tem 48 horas pra baixar, depois é deletado:
    https://expirebox.com/download/76cc21c60c3444479722d224dc371880.html

     

    @Thas Dirijo

    1. blackweed
    2. Thas Dirijo

      Thas Dirijo

      Obrigado!!! Avante na divulgação de informações

    3. homem do campo
  5. Não sei se você veio aqui pra escutar isso, mas o primeiro passo sinceramente é parar de fumar. Você precisa ficar careta por um tempo para saber discenir os sintomas. Se você não está bem concentre-se em melhorar. A maconha só te faz bem se você estiver bem consigo mesmo. Eu tenho ansiedade e faço tratamento também, mas fiquei alguns meses careta. Hoje que estou melhor fumo nos fins de semana e é só alegria e emoções boas. Obedeça a sua intuição de estar perdendo a tesão de fumar 1, que depois de uns meses quando estiveres bem e você voltar a fumar vai ver que é bem melhor. Boa sorte
  6. Tem tanta coisa errada com esse post que sei nem por onde começar.. vai procurar ajuda irmão, falo isso por bem, cocaína destrói vidas. Não se mistura remédio psiquiátrico com cocaína, isso pode fritar teu cérebro e até matar, procura por "síndrome da serotonina" se não acredita. Até com maconha, usar antidepressivos do tipo SSRI é até seguro com moderação, mas com Ritalina pode zoar a tua pressão e dar problemas do coração. Não entendo por que você usa remédios, se for tratamento, a sua prioridade deveria ser parar com o pó, porque isso tá diretamente ligado à depressão. Se for pra ter barato com remédio controlado, não entendi a escolha. Falo isso mas entendo como é o vício, sinto muito e sugiro mesmo procurar ajuda. Resumindo, cheirar sertralina é o menor dos seus problemas. ps.: Estou usando SSRI e Ritalina, depois de muitos anos tentando ficar sem, e estou praticamente careta.. usando maconha bem moderadamente, sem problemas.
  7. Policial americano mata homem porque sentiu cheiro de maconha no carro. Foi inocentado das acusaçõe. Deu até vontade de vomitar.

    https://www.theguardian.com/us-news/2017/jun/20/philando-castile-shooting-marijuana-car-dashcam-footage

    1. Otto Mayer

      Otto Mayer

      Infelizmente esse padrão existe no mundo inteiro. Foda demais.

    2. Juniaum

      Juniaum

      Com relação à erva em Minnesota é assim mesmo. Ainda mais agora que estão lutando para o recreacional lá?

  8. A maconha interage com antidepressivos? JEREMY KOSSEN O cannabis pode tornar as pessoas mais relaxadas, menos estressadas e, claro, mais felizes. Então, de forma previsível, as pessoas que sofrem de depressão ou ansiedade são muito mais propensas a usar cannabis - e mais do que isso - do que as pessoas que não sofrem com essas condições. Claro, muitas pessoas com essas condições também tomam antidepressivos prescritos. Conseqüentemente, é importante que os profissionais médicos e os pacientes sejam educados sobre possíveis interações que possam surgir combinando os dois. Notavelmente, apesar dos anos de pesquisas que investigam os vínculos entre o consumo de cannabis e os distúrbios psiquiátricos, poucos estudos rigorosos foram publicados que examinam de perto como a cannabis e os antidepressivos podem interagir. Pesquisas robustas do Google Scholar e do site National Institutes of Health PubMed produziram poucos estudos relevantes. Mesmo o site do National Institute on Drug Abuse (NIDA) traz muito poucas informações sobre este tema. Pesquisadores da Divisão de Psiquiatra Infantil e Adolescente do Centro de Saúde da Universidade de Connecticut realizaram uma extensa revisão da literatura científica limitada e publicaram um relatório, Psychotropic Medications and Substances of Abuse Interactions in Youth . Eles observaram - e estou parafraseando - que, embora se possa presumir combinar drogas psicoativas e medicamentos psicotrópicos, aumentaria as chances de os pacientes sofrerem efeitos adversos, houve (surpreendentemente) poucos relatórios documentando os efeitos adversos decorrentes das interações entre os dois. Os pesquisadores da Universidade de Connecticut explicam por que pode haver tão poucos relatórios: é possível que os eventos adversos sejam "relativamente raros" ou "não aconteçam". Além disso, "medicamentos psicotrópicos mais novos têm um índice terapêutico relativamente alto" - como uma classe de drogas, Eles são menos propensos a produzir interações adversas. No entanto, eles também observaram que a falta de reconhecimento ou conscientização poderia ser culpada, e os pacientes que experimentam efeitos adversos podem resistir a divulgar seu uso de cannabis por medo de estigmatização. No entanto, é provável que os antidepressivos mais recentes tenham um risco baixo a moderado para interações, enquanto os antidepressivos mais antigos apresentam um risco maior. Caracterizando o risco como "moderado", o RxList, um índice on-line de medicamentos publicado pela WebMD, aconselha os pacientes que usam cannabis a "ser cauteloso" e "conversar com o [seu] fornecedor de saúde". Riscos de interações medicamentosas Um dos desafios que enfrentam os médicos que prescrevem antidepressivos para pacientes que também usam cannabis (ou qualquer outra substância, para esse assunto) é que torna mais difícil prescrever a droga mais apropriada na dose certa, e o uso co-ocorrente de cannabis pode impedir Sua capacidade de avaliar com precisão a eficácia de medicamentos prescritos. Os médicos observam que uma das variáveis mais significativas quando os pacientes combinam qualquer tipo de droga - sem receita médica, prescrição ou ilícita - é a capacidade de medir em que grau cada um produz efeitos colaterais e como eles afetam o comportamento e o humor. Obviamente, quanto mais substâncias um paciente está usando, mais difícil é isolar os efeitos de cada um. É por isso que os médicos muitas vezes iniciam um paciente com um medicamento e adicionam outras drogas mais tarde. Os usuários de cannabis que estão considerando um novo medicamento de prescrição para tratar a depressão ou a ansiedade podem querer considerar - pelo menos temporariamente - abster-se do uso e permitir que os antidepressivos entrem em vigor. Allan Schwartz, LCSW, Ph.D. Um psicoterapeuta e um assistente social clínico licenciado no Colorado e Nova York, descobriu que (particularmente em pacientes graves) os pacientes devem se abster de cannabis e outras substâncias durante o tratamento. "Eu era, às vezes, capaz de conseguir que os pacientes concordassem em parar seu uso de maconha por algumas semanas apenas para que pudessem determinar se houve ou não uma melhora no humor", diz Schwartz. "Esses indivíduos ficaram surpresos, mas estavam dispostos a admitir que sentiam melhora real no humor e no funcionamento". Há também evidências para sugerir que os pacientes são mais propensos a usar indevidamente a cannabis ou a transição de uso ocasional para uso crônico quando estão deprimidos. Na verdade, aqueles que sofrem de ansiedade ou depressão usam cannabis a taxas entre duas e oito vezes maiores que aqueles sem essas condições. Anedotalmente, muitos médicos relatam que alguns pacientes que usam cannabis, álcool ou outras drogas durante o tratamento - particularmente aqueles com depressão grave ou transtorno bipolar - são menos propensos a aderir aos protocolos de tratamento, incluindo medicamentos prescritos e intervenções comportamentais (por exemplo, terapia comportamental cognitiva , Psicoterapia, etc.). Schwartz diz que viu os pacientes entrar e sair de seus medicamentos, muitas vezes com resultados desastrosos. "Eu testemunhei diretamente a tragédia dos pacientes que saíam de seus medicamentos para transtorno bipolar, usando maconha e acabando re-hospitalizado em pior forma do que qualquer tempo antes da recaída", afirma Schwartz. "Na verdade, foi minha experiência que muitos desses pacientes infelizes experimentaram múltiplas recidivas e foram apanhados em um ciclo interminável de hospitalizações marcadas por períodos de instabilidade no meio". Além desses riscos generalizados, cada classe de antidepressivos é única e associada a efeitos colaterais variáveis e interações potenciais. Com base em uma revisão da literatura científica, abaixo é um resumo das classes mais comuns de antidepressivos e riscos associados: Inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRIs) Os SSRI - como Prozac (fluoxetina), Paxil (paroxetina), Zoloft (sertralina), Celexa (citalopram) e Lexapro (escitalopram) - são os medicamentos mais comumente prescritos para tratar a depressão. Os pacientes relatam menos efeitos colaterais e interações medicamentosas com ISRS do que muitos outros tipos de antidepressivos. Possível risco de interação da cannabis : baixo a moderado As interações adversas com cannabis parecem raras. No entanto, tem havido alguma especulação alimentada por relatos de casos isolados de que a combinação de cannabis e ISRS poderia aumentar o risco de hipomania - uma forma leve de mania - em populações vulneráveis (por exemplo, pessoas com transtorno bipolar). Geralmente, no entanto, muitos médicos favorecem os ISRS porque a ocorrência de interações adversas com outras drogas é relativamente rara. Inibidores da recaptação de serotonina e norepinefrina (SNRIs) Exemplos incluem duloxetina (Cymbalta) e venlafaxina (Effexor XR). Possível risco de interação da cannabis : baixo a moderado Uma classe mais recente de antidepressivos, as interações adversas entre SNRIs e cannabis ou outras drogas são raras. Inibidores da recaptação de norepinefrina e dopamina (NDRIs) Exemplos incluem bupropiona (Wellbutrin, Aplenzin, Forfivo XL). Notavelmente, os NDRIs são um dos poucos antidepressivos em grande parte ausentes de efeitos colaterais sexuais. Eles também são prescritos para ADHD e cessação do tabagismo. Possível risco de interação da cannabis : baixo a moderado Houve muito poucas interações adversas relatadas. Inibidores da monoaminoxidase (IMAOs) Exemplos incluem tranilcipromina (Parnate), fenelzina (Nardil) e Isocarboxazida (Marplan). Os MAOs caíram fora de favor para o tratamento devido a efeitos colaterais relatados e interações perigosas (que podem ser fatais) com inúmeros alimentos e medicamentos. Possível risco de interação da cannabis : alto Uma pesquisa de relatórios de casos sobre PubMed documentando interações adversas entre cannabis e MAOIs não produziu nenhum resultado. No entanto, dado o perfil de alto risco das IMAOs para produzir efeitos colaterais significativos e induzir interações adversas com inúmeros alimentos e medicamentos, o uso de cannabis não é recomendado. Antidepressivos tricíclicos Exemplos incluem imipramina (Tofranil), amitriptilina, doxepina, trimipramina (Surmontil). Embora os efeitos colaterais e as interações relatados sejam menos comuns com os tricíclicos do que os IMAO, mais pessoas relatam efeitos colaterais indesejáveis com tricíclicos do que os antidepressivos mais recentes. Conseqüentemente, eles geralmente são apenas prescritos para pacientes que não responderam a outros tratamentos. Possível risco de interação da cannabis : alto Um relato de caso documentou um menino de 17 anos com depressão e insônia que receitou 25 mg de amitriptilina. Depois de falar com os amigos do adolescente e fazer uma pesquisa no quarto dele, os pais confirmaram que a única substância que ele usava era a cannabis. Ele foi verificado no ER por um batimento cardíaco acelerado (taquicardia). O médico assistente informou que, sem intervenção, as interações adversas poderiam potencialmente ser "ameaçadoras para a vida" e advertiram os médicos contra a prescrição de tricíclicos para tratar a depressão ou a insônia em pacientes que usam cannabis ou outras drogas. Outros relatórios de casos foram arquivados citando preocupações semelhantes. Sedativos Os sedativos não são tecnicamente considerados antidepressivos. No entanto, muitos pacientes com depressão também são sedativos prescritos. Tanto a cannabis como os sedativos podem fazer com que as pessoas se sintam sonolentas ou sonolentas, um efeito comumente relatado em medicamentos sedativos prescritos, como clonazepam (Klonopin), lorazepam (Ativan), fenobarbital (Donnatal) e zolpidem (Ambien). A mistura de cannabis e esses medicamentos podem amplificar esses efeitos. Possível risco de interação da cannabis : alto Do ponto de vista farmacológico, o potencial de interações adversas decorrentes da combinação de cannabis e antidepressivos (com poucas exceções notáveis) parece bastante baixo. No entanto, existem outros riscos a considerar: mais notavelmente, os antidepressivos podem ser menos eficazes ou levar mais tempo para o trabalho; Os pacientes podem estar em maior risco de entrar e sair dos protocolos de tratamento, prolongando assim a recuperação; E, finalmente, o risco de transição de uso moderado para uso problemático é significativamente maior em indivíduos com depressão. Para pacientes com depressão grave (ou bipolar), os riscos são ainda maiores. Os indivíduos devem considerar cuidadosamente esses riscos e moderar seu uso de cannabis em conformidade. Cannabis de alto CBD para ansiedade Finalmente, os pacientes devem ter em mente que, embora haja evidências de que doses baixas de THC podem produzir efeitos desejáveis (como euforia e relaxamento), altas doses podem fazer o oposto - muito THC pode aumentar a ansiedade (ou mesmo induzir um ataque de pânico) . O segundo canabinoide mais proeminente em cannabis, CBD , contrariando muitos dos efeitos adversos do THC e evidências preliminares significativas sugerem que o CBD pode ser útil para combater a ansiedade, a depressão e outros distúrbios psiquiátricos. Portanto, se você está passando por ansiedade ou depressão e opta por usar cannabis, procure strains que sejam altas em CBD .
  9. Se tu tá falando de prensado, beleza, tem motivo pra ter nojo, mas nada que algumas semanas de molho em álcool de cereais 90% não resolva. Só fazer extração. Se tu tá falando de verde, pensa assim: se o ABV não tiver nenhum ponto queimado, é mais seguro que comer torrada levemente queimada no café da manhã.. É só descartar o ABV que queimar (mesmo de leve) e guardar aquele marronzinho uniforme
  10. Alguém tem algum modelo de e-mail para enviarmos para o gabinete do Alexandre Moraes?
  11. umedece com spray de água de leve, pega uma pinça esterilizada e tira COM CUIDADO. da próxima vez planta ela um pouquinho mais fundo na terra, que evita isso acontecer
  12. Po, ABV pra insônia é tiro e queda, só tem que acertar a dose. Quer dizer, dá um sono animal, só não curto ficar comendo muito porque aumenta muito a tolerância. Mas se eu fosse apenas usuário medicinal eu iria comer só pouquinho pra nem dar barato nenhum, só aquele soninho. Se tu não tem nojo, pega uma colher de sopa e mete guela baixo de estomago semi-vazio, tomando leite ou iogurte pra lavar. Se tu tem tudo isso de ABV, dá pra deixar de molho com álcool de cereais por 1 ou 2 meses em pote de vidro protegido da luz, chacoalhando todo dia, depois deixar evaporar o álcool até chegar na concentração desejada, aí coa com filtro de café e joga fora o sólido. Dá pra fazer bem concentrado e pingar umas 10 gotas no chá pra dormir muito bem.. Abraço
  13. olha que engraçado, o Cervantes vendendo CBD pena ser 40 dólares por grama...
  14. Opa mano , me disse um suporte aqui no óleo eu li uma tópicos e vi vc neles acho que pode me ajudar, sobre o processo de aquecer o óleo no preparo como que eu faço pra converter o máximo de thc em CBN ? Quero fazer com as minhas flores aqui extrair o kif e tals, se tiver como converter quase tudo do thc em CBN pra mim seria lindo adoro o CBN pra me sedar e de quebra ficaria sem o thc que eu não posso usar em dose alta mais. E vc pode me dizer com suas experiências e relatos qual a melhor forma de produzir o óleo ? Pode ser com link de tópicos ou explicar aqui tanto faz. Fico grato desde já desculpa amolação aí valeu 

    1. Mostrar comentários anteriores  %s mais
    2. MobyDick4i20

      MobyDick4i20

      Eu queria saber uma temperatura exata pra eu abaixa mais o thc, tipo em um link lá de 17% de thc caiu pra 13% se rola isso em umas plantas se ficar 30-50% de cbd e 10% de thc as vezes não me dá bad, mais to até desanimado de fazer acho que vou ter que comprar pra sempre mesmo foda demais não achar nada sobre isso , vou correr atrás de uns gringos pra eu ver se algum me ajuda com isso , porque já me falaram que dá pra aumentar o cbd e diminuir o thc mais como não souberam dizer não adiantou nada RS. Eu fico só pensando como que é o óleo que doam pra crianças e idosos aqui no Brasil se tem muito thc. 

    3. MobyDick4i20

      MobyDick4i20

      O mais certo pra mim é tentar o kit teste fuleira pra ver se funciona mesmo pra achar um feno 0.3 thc , ai o óleo ou rax ficaria com muito cbd tipo 30-50% e de thc 3-5% no máximo ai acho que daria pra tentar, o óleo que eu uso é de hemp zero thc, o frasco todo de 1500mg de cbd tem 0,04 thc  .

    4. MobyDick4i20

      MobyDick4i20

      Aqui nas pesquisas do fórum só achei com thc teste em óleos tem vários , com cbd não achei nenhum falando sobre isso que eu preciso saber fico pensando aqui muito pouca informação pra ajudar quem precisa produzir pra não comprar. Parece que quem produz secretamente pra doar não quer compartilhar o que aprendeu , então no final das contas acaba ficando na mãos de poucos igual a indústria quer mesmo , mais tudo bem vamos se virando aqui rs usando cbd no vapor mesmo e comprando o óleo até aparecer um luz.

  15. Fala BF beleza? Cara, sabes dizer onde encontrar o tal do Supa Sílica? Pergunto pra ti porque lembro de ler você falar que usa. Está em falta em todo lugar que vejo na Internet. Valeu.

    1. Mostrar comentários anteriores  %s mais
    2. black flag

      black flag

      É, não acaba nunca mais. Eu uso tipo 0.6ml em 8L de água.
      Antes de comprar o litro eu tinha 100ml fracionado que demorou uns 2 anos pra terminar.

    3. Agente
    4. UniaoHemp

      UniaoHemp

      Nuss, aumentou pra crl mesmo o preço.