Bahseado

Usuário Growroom
  • Total de itens

    2207
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1264 Excellent

Sobre Bahseado

  • Rank
    Treinador de Gambás

Profile Information

  • Gender
    Male

Últimos Visitantes

7126 visualizações
  1. Suas colocações e os artigos complementando estão perfeitos, mano. E o modo como eu acabei fazendo minha afirmação de que não prejudica a microvida foi um equívoco cometido pela correria das palavras, pq dependendo como for feito pode realmente prejudicar. Só que volto a bater numa tecla, acho que o sistema que a gente cria dentro de um vaso deve ser visto de forma diferente do que grandes culturas. Ainda mais num cultivo de cannabis, mesmo o no-till, pelo que eu acompanho de alguns amigos que rodam esse sistema, vez ou outra ainda rola uma rega com alguma adição de matéria orgânica, além dos grãos que o pessoal deixa germinar e colonizar, então tá sempre rolando uma adição e a recolonização você garante nessas entradas. E acaba tendo que rolar esse aporte a mais por conta do tamanho do sistema que não é totalmente sustentável e ciclável por si só, apesar do pessoal estar fazendo um trabalho sensacional nas misturas e criando um solo riquíssimo em microvida. Como o ponto chave é o equilíbrio, com certeza se você pegar um sistema predominantemente orgânico e sair metendo fertilizante mineral o equilíbrio vai se perder e vai dar ruim. Mas acho válido utilizar desse recurso caso algum parâmetro no cultivo orgânico tenha saído fora do controle, como alguma carenciazinha que poderia ser facilmente suprida por algum sal, sem se preocupar se você vai acabar com a microvida do solo, saca? Não é o seu caso pq vi que você tem conhecimento da área, mas o pessoal aqui no fórum vive dizendo isso como se fertilizante mineral fosse um bactericida/fungicida haha. Se qualquer coisa fugir do equilíbrio, aí realmente vai mais prejudicar do que ajudar!
  2. E reafirmando o que o @Agrowgreen respondeu sobre isso, fertilização mineral (ou química, como costumam chamar), não atrapalha o desenvolvimento de microrganismos e não sei da onde o pessoal tira isso. Num laboratório, quando fazemos o cultivo de bactérias, por exemplo, a composição do meio de cultivo dessas bactérias nada mais é do que um fertilizante com elementos em proporções diferentes do que os que seriam utilizados pra uma planta. A gente pega água deionizada e adiciona vários sais pra compor esse meio de cultivo de bactérias, da mesma forma que pra compor um fertilizante mineral a gente adiciona vários sais com as proporções desejadas praquela cultura específica. Alguns meios de cultivo de microrganismos podem até ser utilizados diretamente em plantas, mas aí tem que tomar cuidado pq geralmente eles levam NaCl na composição e isso não é interessante pra planta.
  3. Não foi isso que eu quis dizer não, mano. Todos os solos brasileiros são velhos sim, tudo o que tinha de bom já foi lixiviado, sobrando só os íons que você citou e tem menos mobilidade, acidificando o solo. Só quis lembrar que quando a gente tá falando de turfa, humus e perlita eu acredito que esse conceito não se aplique porque nenhum desses produtos é diretamente derivados desses solos depois de todo o processo de intemperismo! Não quis dizer que os nutrientes se transformam e somem, mas por ex, você monta um solo com 50% perlita, 40% turfa e 10% humus, só pra dar aquela segurada nas primeiras semanas sem ter que fertilizar. Em pouco tempo, se você não adicionar mais nenhuma fonte de nutrientes, rapidamente tudo o que tá ali naquela mistura é consumido e sua planta vai passar fome. Nesse momento, acho muito mais seguro pensar num esquema hidropônico, utilizando o que restou no vaso apenas como "suporte", como se fosse a argila expandida que o pessoal usa pra dar estrutura pras plantas em hidro. É claro que vai ter mais nutrientes vindos da solução com ferts que vão se adsorver, mas a maioria ainda fica em solução, e nutrientes em solução também são prontamente disponíveis pra difusão. Com o tempo esse seu substrato pode acumular muito de um ou outro nutriente e ficar uma merda mesmo, por isso eu gosto de fazer uns flushs no meio do ciclo, principalmente entre vega e flora, geralmente com algum produto que consiga deslocar o que tá acumulado ali.. não tenho feito nos últimos ciclos mas costumava tentar simular a fórmula desses produtos desenvolvidos pra flush, que agora se não me falha a memória são basicamente compostos por Mg, S e uns açúcares em baixa quantidade. Claro que também tem que tomar cuidado pra não usar isso no meio do cultivo se não quiser carregar a porra toda com Mg, mas sigo mais ou menos nessa linha. E com certeza o medidor de pH do ML é uma porcaria! Mas infelizmente é o que tem pra hoje. Também acho mais seguras as fitinhas, mas tbm acho um saco usá-las hahaha. Se todo mundo pudesse ter um pHmetro de bancada tava legal! No geral eu até concordo com as suas ideias, só acho que tem alguns conceitos aí que precisam se distanciar um pouco da visão acadêmica de um agrônomo, onde você provavelmente teve tudo voltado a grandes plantações e sistemas de solo diferentes do que são utilizados num sistema pra cannabis. E muda bastante coisa, então muito do que a gente vê lá não se aplica, ou se aplica com algumas ressalvas. Também acho que o pessoal acaba complicando demais as coisas por aqui, cada mistura que o pessoal faz, mas isso também é fruto da proibição, a informação tá começando a avançar mais agora. Também acho que o caminho seja o equilíbrio e a agroecologia, mas os passos ainda são lentos. Agroecologia é algo "relativamente novo" até pras culturas tradicionais, quanto mais pra cannabis.. Mas tem um ponto importante aqui que eu preciso corrigir, então cuidado com as suas afirmações sendo que sua proposta é desmistificar um assunto que pouca gente domina. Dizer que clorofila tem cloro, apesar de intuitivo pelo nome, é um erro grande. O que você tem de "diferente" na molécula de clorofila é Mg. O nome com "cloro"fila vem de outra língua e só quer dizer "planta verde", nada com cloro.
  4. Só alguns adendos aí na minha opinião e do que eu me lembro vagamente.. Um substrato com perlita, turfa e húmus pode sim ser levado como hidro. A carga de matéria orgânica e nutrientes dessa combinação é baixa e muito rapidamente esses nutrientes adsoRvidos (adsolvidos não existe) originalmente nos colóides são consumidos e o que resta pra planta são principalmente os nutrientes que estão em solução, além do que vai sendo trocado com as poucas ligações presentes. Ainda assim uma água de torneira contém traços de todos os elementos, incluindo Ca, e uma rega continua com uma água pesada em alguns elementos, como o próprio Ca, pode sim levar a alteração do pH do sistema já que se trata de uma escala tão pequena dentro de um vaso. Se você quiser fazer adições frequentes de material orgânico, como mais húmus, tortas e chás aí já não dá pra levar como hidro mesmo e os conceitos que o Agrotech lançou podem se aplicar. Importante lembrar tbm que íons de H e Al a gente encontra nos solos provenientes de rochas depois de um longo processos de intemperismo e lixiviação dos elementos mais móveis, não em um substrato composto por perlita, turfa e húmus. E medidores de EC realmente não dizem o que tem ali, só a concentração relativa, mas é válido pra acompanhar se a água de torneira que você tá usando tá vindo mais pesada ou não, já que tem muita alteração desde a fonte, inclusive no tratamento com cloro, que tbm pode ser prejudicial pras plantas.. Numa hora você diz que medir o run off não é parâmetro pra nada, na outra você fala pra fazer o teste do EC da turfa medindo o run off. Se decide, mano hahaha. Realmente o run off não é um parâmetro preciso, mas fornece informações indiretas que podem auxiliar muito na hora de um diagnóstico, tanto pra pH quanto pra EC.
  5. Agrotech, é você??? Hahahaha
  6. Salve, casinha! Vi que o pessoal tem comentando bastante aqui sobre as strains com gosto e aroma de tangerina. Vou dever nas fotos, mas levei um ciclo com 3 Tangilope feminizadas da DNA Genetics. É uma cruza de Tangie x Chocolope. As três tinham um cheiro surpreendente de tangerina na flora, coisa que eu sinceramente duvidava que fosse encontrar algo tão pronunciado numa planta de maconha. Isso que eu não tenho feito bons flushs e minhas plantas não tem apresentado gostos muito bons. Depois de colhidas, uma tinha um gosto forte de tangerina logo no início, e as outras foram melhorando conforme a cura, mas a tangerina tá sempre presente. Além disso, eu costumo fumar fechado num dos quartos e algumas vezes, depois de sair desse quarto e ir perto da patroa, ela dizia que eu tava cheirando laranja. Tem coisa melhor que marofa de laranja? Hehe. A brisa também era muito gostosa, cabeça limpa e um rendimento relativamente bom. Infelizmente não consegui salvar uma delas e ainda não flori de novo porque tive que revegetar os clones das outras. O processo de revegetação dela demorou mais do que eu gostaria comparando com outras plantas aqui, mas uma hora foi. Tô com uma começando a flora e depois edito com uma foto dela mais avançada. Também cruzei elas com um macho de White OG da Karma e uma F1 já se mostrou fêmea, então logo solto o resultado dessa brincadeira também!
  7. Se é uma coisa que só te faz mal, pra que continuar usando? É só parar, cara. O THC em altas quantidades tem propriedades psicóticas sim, e se você tiver alguma predisposição pra alguma desordem neurológica, como sintomas psicóticos, coisa que parece que tem pelo relato de estar te fazendo mal e causando essa sensação de pânico, pode ser uma furada pra você. Mas você só relatou coisa ruim, então eu realmente não entendi pq você só não para e vai usar qualquer outra coisa, ou mesmo nada. Sobre os gemidos: deixa os vizinhos treparem de boa haha
  8. Magrão, onde é que você deu qualquer argumento, cara? Desde quando "ter pulso firme" é o que importa num presidenciável? Tá aí pedindo que as pessoas rebatam com informações quando você também não deu absolutamente nenhuma. Da onde você tira essa informação do Ciro aí? Igual falaram em cima, só pode ser reprodução dos teus colegas. O cara é super articulado, inteligente e HUMILDE, assume quando não sabe de algo e se compromete a estudar e entregar uma resposta digna. Até de ciência o cara manja. Não tem nada de coroné, nada de ladrão, não se queima e não tem nada de psicopata, ele tem é cacife pra trocar argumento com todo mundo e ainda joga várias coisas na cara que nem o Bolsonaro, que supostamente não tem rabo preso com ninguém, não tem coragem de fazer. Apresenta aí algum argumento DE VERDADE se você quiser tem o mínimo de respeito dentro de um debate, senão vai sair só como "bolsominion nem é gente" mesmo. A ÚNICA coisa útil que você comentou é sobre esse lance de não ter rabo preso, aí até entendo que o Bolsonaro não tenha muito a quem ceder favores mesmo, mas justamente por isso ele não tem é governabilidade, que foi o que tirou a Dilma do poder, a aliança foi quebrada e a maioria do congresso ficou contra ela. Qualquer presidente eleito, se não tiver governabilidade, ou seja, apoio dos deputados e senadores pra passar os projetos, não adianta de absolutamente nada ele ser eleito. Ao meu ver, além disso ser um fator negativo pro Bolsonaro, também tem certo peso a favor, pq talvez seja melhor ele sendo eleito e não podendo fazer nada do que a turma do Alckmin e do PSBD, por exemplo, que tem certa representatividade no congresso e tão aí há vários anos na sombra arquitetando e preparando o terreno pra acabar de vez com o país se chegarem numa posição maior.
  9. Então mano, eu vi esse valor pelo site em português, mas quando você clica que quer comprar os ingressos eles mandam pro mesmo site, o do ticketuno! Mas aí no site deles a entrada pros 3 dias tá dando 400 ou 450$, não lembro ao certo agora, e se é em peso uruguaio os valores de conversam em real também não parecem estar muito correspondentes! Aí fiquei confuso hehehe. Mas tô querendo encostar!
  10. Qual o valor das entradas em reais? O site em português mostra uma coisa, no ticketuno mostra outra e não consegui chegar até o final do pagamento pra checar
  11. Valeu mais uma vez, ze! Sigo na busca aqui e logo venho dar o Review de qual eu escolher!
  12. Pessoal, dando mais uma procurada aqui acabei ficando na dúvida entre o Extreme Q ou o VapirRise 2.0, que tá até um pouco mais em conta. O que me dizem?
  13. Valeu, ze e sativa! Acho que vou acabar pegando um mesmo!
  14. Salve galera, Queria ouvir algumas dicas e sugestões sobre vapes de mesa! Comprei um CFX no ano passado pra poder fumar em qualquer lugar mas acabou que eu tenho fumado muito mais em casa, e aí acabo dando preferência ao beck ja que não preciso gastar a bateria do aparelho, além de preferir o ato de fumar mesmo hehe. Mas o vape é ótimo! Acontece que, apesar de nunca terem reclamado por aqui, tô querendo me expor menos e dar uma controlada na marofa, mas tbm não vou ficar usando o CFX o tempo todo, então tava pensando em investir num vape de mesa, preferencialmente de balão. Infelizmente o Volcano tá fora de cogitação pq custa mais de 3k. Tava cogitando pegar um Arizer Extreme Q. Alguém tem experiência com ele ou alguma outra indicação? Valeu!
  15. Mano, não deu um ou dois dias depois de tirar aquelas fotos e as plantas deram um boom legal. Eu sou muito ansioso, então sempre passo por um período de "porra, minhas plantas não vão render nada, não tão engordando nada" no início da flora haha. A resina já tá mais evidente, deram uma engordada e tão com um aspecto mais bonito mesmo. Acho que é só coisa da minha cabeça mesmo, e como já vi você dizendo que tem planta ótima que quase não engorda, sigo na fé de que o fumo delas vai ser sensacional! Tive uns problemas com fertilização mesmo! Eu não tenho dado nitrogênio faz bastante tempo, seguindo só com maxibloom, aquelas que tão piores foram resultados de umas super fertilizações de teste ainda na vega pra ver se melhoravam ou não, quando elas tavam bem travadas. To tentando pegar bem leve agora! E eu acabei puxando a sardinha pra uma Tangilope porque o cheiro de tangerina que tá exalando dela é uma coisa fora de sério. Eu ouvia o pessoal falando que Tangie tem dessas mesmo, mas sinceramente eu não acreditava que pudesse chegar a tanto. O bagulho cheira mais que a própria tangerina hahaha. As outras cheiram menos, mas ainda lembram bastante. Elas tão um pouco mais gordinhas também! Mas se as White OGs tão com a estrutura normal, pode ser que essa minha nóia seja reflexo dos meus problemas de fertilização que demorei pra acertar mesmo. Só mais uma questão com relação as OGs: agora que tão um pouco mais avançadas na flora, o cheiro delas tá ficando parecido com a da minha Skunk #1, algo próximo a uma fruta muito doce e apodrecendo já. É algo esperado mesmo delas ou você acha mais provável que apareça algum outro cheiro característico? Valeu pelos esclarecimentos, fico mais tranquilo aqui pra me segurar até o final da flora!