semente de luz

Usuário Growroom
  • Total de itens

    918
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

4 Neutral

Sobre semente de luz

  • Data de Nascimento 10/28/2003

Contact Methods

  • Website URL
    http://
  • ICQ
    0

Profile Information

  • Gender
    Female
  • Location
    Kaya Wood
  • Interests
    natureza poesia anarquia psicodelia.....

Últimos Visitantes

1124 visualizações
  1. Otimo ter te encontrado ! Vamos manter contato :)

  2. Ô saudade grande demais da conta desse lugar!!!

  3. :hahaha: :hahaha: muito bom scrollok!! das antigas .. eu não tinha visto esse episódio o Agostinho além de careta, é cheio de preconceitos. "primeiro começa na maconha, depois vai pra cocaína e termina no homosexualismo"
  4. Com uma visão do povo bem simples, mas bem legal os relatos, até do tiozinho q dizia q era mentira de pescador Sobre esse documentário eu acho q não, mas sobre o verão da lata tem um tópico A História Das Latas De Maconha Em Alto Mar No Rio Vai Virar Filme
  5. mas como realmente tudo gira em torno do dinheiro. 100R$ por alguns becks?? surreal mas de qq forma é um grande passo
  6. Lamentável que ainda tenhamos que saber de notícias como estas. A Bahia sofre as sequelas da era ACM um caso claro de preconceito e violencia gratuita. boa sorte pro Robson!!
  7. Realmente faltou esse detalhe na reportagem No mais, espero que acabemos com essa proibição estúpida. 2010 somos nós!! TÁ DOMINADO! TÁ TUDO DOMINADO!!
  8. ANÁLISE DE UM CASO PARANÓICO (Caso Schreber) Patrícia Alvarenga Lima Paranóia, segundo Kraepelin (1913) é uma "psicose caracterizada pelo desenvolvimento de sistema delirante crônica, imutável, produto de causas endógenas, que evolui conservando o paciente em perfeita lucidez do sensório e ordem no pensamento, vontade e atividade" (Frota, 1983, p.420). Mas de acordo com muitos autores da contemporaneidade, por exemplo, os autores do CID - 10 (1993), a denominam como um transtorno delirante, que pode aparecer como uma reação psicopática, com sintomas patoplásticos na senilidade, paralisia geral, intoxicações, psicoses afetivas, ou ainda, uma subforme da esquizofrenia. Os sintomas mais presentes na paranóia são os delírios sistematizados, não alucinatório, que progride lentamente e acaba por denominar todo o pensamento do doente, alterando conseqüentemente, o seu comportamento. (Frota, 1983) A paranóia também é caracterizada por delírios místicos, persecutórios, eróticos, megalomaníacos, enciumados, reformadores, entre outros. Que se mostram de acordo com o tema e com o conteúdo do transtorno delirante, delimitando assim o tipo de comportamento do doente. Freud, no caso Schreber, relatou que a paranóia tem sua etiologia num conflito de uma fantasia de desejo homossexual reprimida, caracterizado por delírios de perseguição. Segundo Freud (1992), as formas de paranóia conhecidas podem ser representadas como contradições de proporções únicas, eu (um homem) o amo (um homem). Para Freud, a característica mais peculiar na formação da sintomatologia paranóide se concentra no mecanismo de projeção. Uma percepção interna é suprimida, e ao invés de seu conteúdo, após sofrer esse tipo de deformação, ingressa na consciência sob a forma de percepção externa. Nos delírios de perseguição, essa deformação consistiria numa modificação afetiva, tendo como conseqüência à percepção distorcida do que internamente seria amor, externamente ser percebido como ódio. (Fenichel, 2004) Schreber era um juiz que ao assumir um de seus cargos, começou a ter delírios e conseqüentemente começou a surgir atitudes ambivalentes em relação a Deus e pela idéia de tornar-se mulher e salvar o mundo. Freud em sua interpretação do caso frisou que Schreber através de sua patologia tentava resolver seu complexo paterno, principalmente por se tratar de um conflito homossexual passivo. Schreber tentava proteger-se com a formação de idéias delirantes resguardando-se do seu conflito infantil em relação ao seu pai. Freud também salientou que a pessoa a quem o individuo dirige os delírios e afirmar que estar a persegui-lo, atrelado a esses delírios percebe-se sentimentos de ódio e que essa pessoa hoje temida foi em outra época uma pessoa amada e querida, ou é um representante funcional dessa pessoa. No caso de Schreber seria seu pai, projetado na figura do seu médico Flechsig. Como sabemos que a repressão dos conflitos homossexuais foi a causa originária de seu transtorno, então a manifestação da libido homossexual não foi catequizada de uma forma que não fizesse com que houvesse a ocorrência de tais conflitos . O caso analisado por Freud, ou seja, Schreber, delirava e acreditava que seu médico, Flechsig, o perseguia, para que os dois tivessem algum tipo de contato sexual. O médico então então se tornou o objeto da libido homossexual, e sua constante luta contra impulsos reprimidos pelo individuo e a sociedade da época contribuíram para a manifestação do conflito que deu origem aos sintomas de Schreber. Vale salientar que o pai de Schreber também foi um médico de grande êxito profissional, e que as fantasias e atitudes de ser transformado em mulher, ou seja, emascular-se pode ter assim retornado à atitude feminina em relação a que gostaria inconscientemente de ser dirigido ao pai e que representava seus desejos nos primeiros anos de vida. Schreber projetou inconscientemente esses sentimentos para seu médico, que em delírios o perseguia, corroborando assim, as suposições de Freud acerca dos mecanismos paranóicos serem conflitos homossexuais inconscientes e de maneira geral um tanto agressivo em relação à figura que está sendo dirigida tal conflito. Na psicanálise freudiana todo fenômeno patológico possui uma origem num mecanismo de repressão. E quando esse conteúdo que foi reprimido é irrupto, esta irrupção provoca a formação da sintomatologia patológica havendo uma regressão do conteúdo libidinal que foi fixado e reprimido no sistema inconsciente. Corroborando o que Freud afirmou como os delírios provenientes dos conflitos de Schreber em relação ao desejo inconsciente pelo pai ( complexo paterno ), e pela utilização por parte do ego desta libido liberada, ou seja, o desligamento libidinal para o engrandecimento do próprio, onde faz co que haja um retorno ao estágio narcisismo onde o único objeto sexual de uma pessoa é seu próprio ego. Com isso ocorre uma fixação nesse estágio, o que constituem uma medida de quantidade de regressão característica da paranóia. Freud (1992, p. 104) frisa bem a relação da paranóia com os mecanismos das neuroses dizendo que estas surgem a partir de um conflito entre o ego e o instinto sexual e que as formas que elas assumem guardam a marca do curso do desenvolvimento seguido pela libido e pelo ego. O estudo do delírio paranóico não foi muito abrangido pela psicanálise, só se tem evidencias de se tratar de alguma coisa ligada a índole narcísica, pois os pacientes e em especial Schreber que são portadores dessa neurose consideram o estabelecimento externo de sua integridade como algo muito importante para o mundo. O que pode ser observado em toda a descrição do caso e em tudo que foi visto, é que o conflito homossexual resultante do complexo paterno não foi bem explicado e explanado por Freud. Este explica paulatinamente o mecanismo paranóico a partir dos processos de regressão, repressão e negação originada de algum conflito de origem libidinal que foi reprimido e ficou fixado em algum momento do estágio fálico, não relatando como se deu tal conflito para que houvesse uma inserção de papeis sexuais, ou seja, onde a mãe está presente nesta etapa para resolver os complexos desta fase do desenvolvimento psicossexual? Por que o paranóico não consegue passar por o estágio fálico de forma a resolver tal etapa como a maioria dos outros indivíduos? O que teria acontecido com os pais de Schreber, em especial, para que houvesse essa distorção no processo de desenvolvimento desse individuo? Também não foi bem exposto de como Schreber vivenciou o conflito? E se o próprio com todo o seu poder intelectual, em momentos de lucidez, ou seja, quando esteve sem ter delírios, nunca se mostrou ciente de tal transtorno e o que fez para burla-lo? REFERÊNCIAS FREUD, S. O caso de Schreber, artigos sobre a técnica e outros trabalhos, v. XII 24 ed. Rio de Janeiro: Imago, 1992. FENICHEL, O. Teoria psicanalítica das neuroses. 10 ed. São Paulo: Atheneu, 2004. PINTO, G. F. Psiquiatria básica. 1 ed Fortaleza: Ed. Centro Médico Cearense-UFC, 1983. OMS. Cid - Classificação de transtornos mentais e de comportamentos da CID-10. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993. http://www.cchla.ufpb.br/deptpsic/psicopatologia/patricia_schreber.htm
  9. Falou tudo Jahbaa!! Já mandei uma mp pros mods... lamentável esse tipo de tópico... engraçado... claro, mas preocupante tbem, pois existem pessoas que usam das drogas pra justificar suas atitudes. Acho que todo mundo tem dúvidas e questionamentos, mas droga nenhuma vai ser solução. a ganja abre a mente mas não te leva a se transformar em outra pessoa.Isso seria seu inconsciente se manifestando e pesquisando sobre isso achei um texto hiper interessante. no mais pra descontrair .. lembrei de um quadro do jo soares das antigas :'>
  10. Muito complicado os dias offline do growroom. esse forum vicia, q tem q se preparar psicologicamente pra guentar :'> e tive q ter mais uma dose de paciencia quando ele tava online, mas nao dava pra ler nada Adorei o novo layout do gr, mas simplesemnte amei a ideia de poder usar esse mais simples pra acessar o site em lugares caretas hehehe parabéns pelas novas mudanças
  11. Acho q ele quis dizer q se esse é um assunto q é falado diariamente, norteia o cenario politico do mundo e pessoal tinha que pelo menos ter uma ideia do q é. "guantanamo, claro...é nos estados unidos" mas o engraçado é a reaçao dos deputados uns saindo correndo, qdo se falou de protencionismo, achando q era alguma coisa de nepotismo hoje o segurança do sarney deu umas porradas no Danilo Gentili no congresso tranquilamente enquanto estava sendo filmado...
  12. quer saber.... falou sim, pq aqui é um espaço coletivo e se voce chega aqui e fala o que quer, tbem tem q ouvir o que não quer eu nem conheço o avalo, mas depois desse post acima, ele subiu no meu conceito ele compreende a natureza femina e trata as mulheres com respeito. e nao sou eu q diz mas gentileza gera gentileza assim como o cabelo, a gnt discorda em varias coisas, mas nao é por isso q eu falo da maneira q ele escreve, pq da pra entender a estrutura da ideia. como voce quer dizer q é mal entendido... e nao é corrigir é dar um critica construtiva.... eu nao posso dizer pros indios daquele documentario dirijimos pra falar direito e tal, sabe pq?? pq o q importa ali é a sabedoria q eles tem pra passar, e nisso ele são melhores q muito neguim com diproma na maum. no entanto vc é um cara previlegiado q tem acesso a internet regularmente, pq em 2 meses voce tem 534 posts, e na maioria deles voce nao consegue fazer uma conexao coerente das ideias, utiliza o recurso do caps lock, se voce é tao internetez deve saber q isso significa. e pra completar usa de um dialeto q é tao mais complicado, pois o cerebro ja sabe a palavra correta e tem q pensar em escrever erradu.. purke?? e escrever errado como se fosse certo... pois vc escreve OTRO como regra e nao erro de digitaçao. a questão esta na argumentaçao, e isso requer o minimo de respeito pelo outro e ter o minimo de coerencia na ideia. eu te respeitaria muito se voce tivesse maturidade e mandasse uma mensagem privada falando tudo isso, mas vir aqui e lavar roupa suja.. se voce tivesse lido.... o que me faz repetir de novo.. num sei, mas babaca acho q tem entao voce tem uma relaçao com o cara é??? :'> :: muito estranho isso cara.... e realmente q tem q se meter pra tentar tirar gente que mais parece erva daninha ...mais uma vez voce sendo preconceituoso e novamente voce falando do que não sabe... eu só tenho o desprazer de ler suas idéias e pensamentos retrógrados. mas tenho um prazer enorme de zoar voce,mas acho q é isso q voce gosta ne? afinal voce deve ser meio sadomasoquista, sei la... ----------- nem preciso dizer q vou editar esse post em respeito ao forum e principamente ao board.. que é galeria de fotos desculpe falar de mais mas o q a gnt nao faz pra nao mandar alguem tnc??
  13. Esses caras do cqc são muito bons... e fala serio esse laerte bessa é uma besta.... eu achei um debate no yt q me lembrou a medida desse nobre deputado a discussão é sobre a reduçao da maioridade para 16 anos, de uma lado uma psicologa e sociologa, deputada do pt e do outro Afanasio jazadji, na epoca deputado pfl, fala q a febem funciona e defende a pena de morte. alem de dizer q pobreza nao é fator q influencie a criminalidade nos jovens. quem quiser rir um pouco hehe o mais ironico é q a pessoa q colocou o video apoia o Afanasio...
  14. Oh Jah Jah!! como voce nao quer ser mal interpretado menino??? além do ceu portugueis c complicadu, voce vem com umas frases de duplo sentido e nao quer ser criticado?? voce leu o q o Avalokiteshvara falou sobre a profissao dele?? i don´t think so... quer dizer.. eu axu ki naum o cara é cientista social e por acaso trabalha como policial, mas nao é policial militar... eu nem sabia disso, mas em momento algum eu ia ficar alfinetando o cara por causa da profissao dele e sim por sua postura no forum. e por sinal é bem construtiva e coerente. eu acho q o pessoal tem q ter bom senso ao escrever e a maneira mais produtiva de se trocar opnioes pessoais é por mensagem privada!! e não gerar posts desnecessarios.... daqui uns dias eu vou editar esse post, pois ele tbem é desnecessario, mas parece ser insuficiente, pois as pessoas se tornam reduntantes constantemente. infelizmente....a maioria das pessoas nao tem a humildade de editar seus posts... uma campanha...
  15. pois é avalo, os topicos foram unidos e as mensagens tbem teriam vindo junto, mas no caso nenhum dos tópicos tinham nenhuma. eu to falando isso, pq fui eu q vi os topicos duplicados e mandei uma mp pro moderador do board. ----------- pessoal fica empolgado em compartilhar as noticias e nem repara. parabens pela colaboraçao com o forum BC_Bud e CoffeeShop ainda mais com um artigo tão importante como esse. muito interessante tratar crianças com uma substancia q é menos agressiva q risperdal,um forte remédios antipsicótico imagina uma pessoa autista?? deve se sentir isolada do mundo, e talvez o thc auxilie de algguma forma q ameniza todos os transtornos q essa doença causa. eu nao conheco nehum caso de autismo pessoalmente, mas acho q deve ser barra, deve ser, tem que ter muita fé e esperança pra levar a vida.