splash38

Usuário Growroom
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutral
  1. Boa noite, Fiz a um tempo atras um post sobre alguns problemas nas folhagens da planta (http://www.growroom....111#entry848111), que infelizmente causou a "morte" de duas das minhas plantas. Como aparentemente o problema era no solo, eu fiz um transplante para um solo um pouco melhor, diferente porem do solo que eu postei no topico citado acima. Nao encontrei perlita na minha cidade, mais tentei melhorar a drenagem e oxigenacao como pude, e claro adicionei humus e fertilizantes. Uma coisa que eu notei eh que uma das plantas esta se desenvolvendo bem melhor do que as outras, e bem mais rapido, porem pelo que ando lendo no forum e assistindo em documentarios eu tenho a impressao de que esse crescimento esta um pouco lento. Tirei fotos durante algum periodo, segue abaixo. Meados de Marco: 4 de Abril: 15 de Abril: 1 de Maio: Alguem que tenha mais experiencia na area, o crescimento esta realmente lento? PS: Vou fazer transplante daqui a algumas semanas para o vaso definitivo, e ate la conseguirei arrumar perlita, e talvez um substrato pronto descente, tirando isso, teria alguma outra razao para as bordas das plantas estarem levemente queimadas? PS2: Quando fiz o primeiro transplante notei que as raizes estavam muito pequenas, alguma dica? Algum aviso? Obrigado
  2. Boa tarde, eu ja vi esse documentario aqui no forum mais se eu nao me engano ele esta hospedado no MEGAUPLOAD, que hoje em dia nao existe mais. Entao eu aproveitei que eu estava querendo assistir esse filme e depois de conseguir baixa-lo eu coloquei ele no youtube pra facilitar a visualizacao de terceiros... Segue o link das 5 partes: Parte I: Parte II: Parte III: Parte IV: Parte V: E se a maconha curasse o câncer? Os creditos desse documentario nao pertencem a mim. Country: USA Language: English Release Date: 5 July 2010 (USA) Poderiam os químicos presentes na maconha previnir e ainda curar vários tipos de cancer? Poderiam as propriedades de regulação de tumor dos cannabinoides substituirem as drogas cheias de efeitos colaterais, Quimioteramia e todo o mal que faz enquanto cura? Descubra a verdade sobre essa medicina milenar com renomados cientistas em pesquisas com cannabinoides. Andrew Weil, M.D. "A hugely important film" - Julie Holland, M.D. NYU School of Medicine Este excelente documentário de Len Richmond, narrado por Peter Coyote, reúne depoimentos de gabaritados médicos, cientistas, psiquiatras e botânicos, dentre outros doutores e PhDs, versando sobre uma temática das mais fascinantes da Ciência de hoje-em-dia: a utilização medicinal da maconha e as possibilidades de vencer o câncer por esta via. A investigação sobre o sistema endocanabinóide humano e a relação simbiótica dos neurônios com o THC é "uma das áreas mais quentes das neurociências" da atualidade, segundo Denis Russo Burgierman, que em seu livro "O Fim da Guerra" escreve: "...'é extraordinária a quantidade de coisas diferentes que a maconha faz num único paciente', declara Gúzman. Essa atuação múltipla, para certos pacientes, é uma dádiva. Para alguns doentes de câncer, por ex., ela ao mesmo tempo reduz a dor, diminui a neuropatia, que é um dano no sistema nervoso, favorece a reserva de nutrientes, melhora o apetite, inibe o vômito, aumenta o bem-estar, combate a depressão, ajuda a suportar os outros medicamentos e, se Gúzman estiver certo em sua hipótese, ainda contribui para diminuir os tumores. Normalmente, cada um desses sintomas seria tratado com um remédio específico e cada um desses remédios causaria diferentes efeitos colaterais e dano cumulativo no fígado." (BURGIERMAN, 2011, pg. 91-92) Além disso, como já é amplamente comprovado e conhecido, "muitos pacientes de câncer ganharam o direito legal de fumar maconha fornecida pelo governo. A cannabis reduz os enjoos terríveis e debilitantes causados pela quimioterapia. Essa pode ser a diferença entre viver e morrer, porque alguns pacientes só conseguem seguir com a quimio depois de se livrar desses efeitos indesejáveis. Além do mais, a planta diminui a dor e melhora o sono." (pg. 81) Só mesmo a cortina de fumaça formada pela repressão e pelo preconceito é que cega alguns homens-de-poder quadradões para as toneladas de evidências indicando que esta planta, tão demonizada pelos ignorantes e tão idolatrada pelas mais variadas culturas através dos milênios, sem dúvida alguma é um dos maiores prodígios terapêuticos que a Natureza têm a nos oferecer. É fato: a maconha está revolucionando a medicina. E esse processo está só no começo. Narrated by Emmy-winning actor, Peter Coyote, and featuring interviews with... * Dr. Robert Melamede, Associate Professor and Biology Chairman, University of Colorado * Dr. Sean D. McAllister, PhD, researcher at the California Pacific Medical Center, San Francisco. * Dr. Jeffrey Hergenrather, M.D. * Dr. David Bearman M.D. * Dr. Manuel Guzman, Ph.D. Professor of Biochemistry and Molecular Biology, School of Biology Complutense University Madrid, Spain * Dr. Raphael Mechoulam, Professor of Medical Chemistry at the University of Jerusalem * Dr. Donald Abrams, Professor of Clinical Medicine and Integrative Oncology, University of California, San Francisco.
  3. Boa tarde, eu ja vi esse documentario aqui no forum mais se eu nao me engano ele esta hospedado no MEGAUPLOAD, que hoje em dia nao existe mais. Entao eu aproveitei que eu estava querendo assistir esse filme e depois de conseguir baixa-lo eu coloquei ele no youtube pra facilitar a visualizacao de terceiros... Segue o link das 5 partes: Parte I: Parte II: Parte III: Parte IV: Parte V: E se a maconha curasse o câncer? Os creditos desse documentario nao pertencem a mim. Country: USA Language: English Release Date: 5 July 2010 (USA) Poderiam os químicos presentes na maconha previnir e ainda curar vários tipos de cancer? Poderiam as propriedades de regulação de tumor dos cannabinoides substituirem as drogas cheias de efeitos colaterais, Quimioteramia e todo o mal que faz enquanto cura? Descubra a verdade sobre essa medicina milenar com renomados cientistas em pesquisas com cannabinoides. Andrew Weil, M.D. "A hugely important film" - Julie Holland, M.D. NYU School of Medicine Este excelente documentário de Len Richmond, narrado por Peter Coyote, reúne depoimentos de gabaritados médicos, cientistas, psiquiatras e botânicos, dentre outros doutores e PhDs, versando sobre uma temática das mais fascinantes da Ciência de hoje-em-dia: a utilização medicinal da maconha e as possibilidades de vencer o câncer por esta via. A investigação sobre o sistema endocanabinóide humano e a relação simbiótica dos neurônios com o THC é "uma das áreas mais quentes das neurociências" da atualidade, segundo Denis Russo Burgierman, que em seu livro "O Fim da Guerra" escreve: "...'é extraordinária a quantidade de coisas diferentes que a maconha faz num único paciente', declara Gúzman. Essa atuação múltipla, para certos pacientes, é uma dádiva. Para alguns doentes de câncer, por ex., ela ao mesmo tempo reduz a dor, diminui a neuropatia, que é um dano no sistema nervoso, favorece a reserva de nutrientes, melhora o apetite, inibe o vômito, aumenta o bem-estar, combate a depressão, ajuda a suportar os outros medicamentos e, se Gúzman estiver certo em sua hipótese, ainda contribui para diminuir os tumores. Normalmente, cada um desses sintomas seria tratado com um remédio específico e cada um desses remédios causaria diferentes efeitos colaterais e dano cumulativo no fígado." (BURGIERMAN, 2011, pg. 91-92) Além disso, como já é amplamente comprovado e conhecido, "muitos pacientes de câncer ganharam o direito legal de fumar maconha fornecida pelo governo. A cannabis reduz os enjoos terríveis e debilitantes causados pela quimioterapia. Essa pode ser a diferença entre viver e morrer, porque alguns pacientes só conseguem seguir com a quimio depois de se livrar desses efeitos indesejáveis. Além do mais, a planta diminui a dor e melhora o sono." (pg. 81) Só mesmo a cortina de fumaça formada pela repressão e pelo preconceito é que cega alguns homens-de-poder quadradões para as toneladas de evidências indicando que esta planta, tão demonizada pelos ignorantes e tão idolatrada pelas mais variadas culturas através dos milênios, sem dúvida alguma é um dos maiores prodígios terapêuticos que a Natureza têm a nos oferecer. É fato: a maconha está revolucionando a medicina. E esse processo está só no começo. Narrated by Emmy-winning actor, Peter Coyote, and featuring interviews with... * Dr. Robert Melamede, Associate Professor and Biology Chairman, University of Colorado * Dr. Sean D. McAllister, PhD, researcher at the California Pacific Medical Center, San Francisco. * Dr. Jeffrey Hergenrather, M.D. * Dr. David Bearman M.D. * Dr. Manuel Guzman, Ph.D. Professor of Biochemistry and Molecular Biology, School of Biology Complutense University Madrid, Spain * Dr. Raphael Mechoulam, Professor of Medical Chemistry at the University of Jerusalem * Dr. Donald Abrams, Professor of Clinical Medicine and Integrative Oncology, University of California, San Francisco.
  4. Entao, na parte de cima do solo esta bem esquisito mesmo, mais no meio esta mais umido.... mesmo assim eu ja providenciei uma troca de solo... encontrei 3 opcoes diferentes que pareciam atender as necessidades da planta pelas sugestoes que voces me deram... Solo #2 - Orgânico 35% Terra Vegetal (Terra Petra) 15% Humus de Minhoca 10% Esterco de Boi (ótimo na textura) 40% Substância Aeradora (Perlita (Inerte)) O pH do solo estava meio acido sim, se nao me engano algo em torno de 5.5 a 6.0..... mais acredito que mudado o solo esse problema ja se foi... A temperatura esta boa, acredito que nao seja isso o problema, como eu disse fica em torno de 28 graus. Vou dar um tempo pra ver a reacao das plantas e qualquer coisa posto mais fotos aqui pra voces acompanharem a evolucao.. Obrigado a todos =)
  5. Boa tarde, Tenho uma caixa de 1 metro quadrado com uma lampada HQI 250W dutada e 2 coolers relativamente grandes pra fazer o fluxo de ar. As plantas tem quase 1 mes de vida, demoraram algo em torno de 5 dias para germinar no papel toalha e logo foram transplantadas para uma mistura inerte. Porem algum tempo atras (diria 15 dias) alguma folhas ficaram com a aparencia queimada, ja pesquisei em alguns livros e no forum e notei que pode ser falta principalmente de potassio (K) ou talvez calcio (Ca), porem no livro "Marijuana Horticulture the indoor outdoor medical growers bible" do Jorge Cervantes ele relata que para o periodo inicial da vida da planta, nao e utilizar fertilizantes, porque a planta nao pede. Embora eu nao tenha tido tempo de ler o livro inteiro. As plantas ficam a uma distancia de 30cm da luz, e a temperatura esta em torno de 28 graus (que se diz ser ideal). Notei tambem que a um tempo atras a terra estava muito umida, entao melhorei a drenagem, porem isso ja faz um tempo tambem (uns 10 dias). Gostaria de saber se alguem tem ideia do que pode ser. Obrigado, segue as fotos:
  6. Eu achei que por isso ser um fórum, e vocês estarem tão impulsionados por essa ideia de legalização e autonomia, não custaria fazer um novo post com algumas dúvidas que me pareciam essenciais, mesmo porque só responde aqui quem quer, ou alguém aqui foi forçado? Obrigado, vou dar uma olhada nesse livro. Então, já assisti ao DVD do Jorge Cervantes, e dei uma lida em 2 'bíblias' do cultivo e alguns (vários) tópicos desse fórum e de um outro (cannabiscafé). Porém, notei que existe muita coisa que não está discutida claramente, e algumas das respostas eu só encontraria em tópicos muitos específicos (teria que ficar utilizando a função busca em diversos temas, e daria um bom trabalho). Não, eu não acho que aqui é fórum de vídeo game e nem fiz um perfil fake pra causar raiva. Mais alguém interpretar uma pessoa com várias dúvidas dessa forma, isso sim é de causar raiva. Você ficou irritado porque tem um ou diversos post com gente fazendo perguntas bestas? Eu sou da filosofia de que se eu não sei, e não encontrei, eu pergunto, e quem quiser se disponibilizar pra responder, responda, caso contrário, ignora. Ou esses posts são só pra aumentar o número de reply's para que as pessoas pensem que você é um usuário ativo? Acho sua 'irritação' completamente desnecessária, mais se você continuar se irritando com isso, tenta fumar um pouco antes de vir responder dúvidas de iniciantes. Sim, eu fiz essa pergunta e entendo que possa ser até mesmo inoportuna. Porém eu acho que se um amigo seu chegasse na sua casa e você deixasse ele dar um tapa no seu cigarro, você também se converteria em traficante. Não é porque eu quero cobrar pelo meu serviço todo de plantar para algumas pessoas próximas a mim que me tornaria muito diferente de vocês. De uma forma ou de outra essa atividade ainda não é legalizada, então não adianta me acusar de tráfico porque creio que todo mundo aqui faz uso de 'entorpecentes', que de acordo com a lei, é crime. Acho que cada um aqui teria que pensar mais além, e fazer o que acredita que é certo. Se você acredita que é certo plantar, consumir e salvar uns amigos de vez em quando (quem aqui nunca dividiu ou fumou um do lado dos amigos?), e não acredita que é certo plantar, consumir e cobrar pra salvar esses mesmos amigos, que não tiveram nenhum trabalho para conseguir desfrutar do prazer de se fumar, ou nem tem interesse em ir atrás de uma produto de qualidade melhor, então você estaria sendo um pouco hipócrita. Eu acredito que mesmo que eu comercialize o produto com um ou outro colega, isso não seria uma forma de tráfico, tendo em vista que o dinheiro não vai pra crime organizado, tráfico de drogas pesadas dentre outros. Mesmo porque o comercio de substancias ilícitas faz referência não só a uma troca monetária, passar o baseado pro colega do seu lado na roda pode sim ser considerado como tráfico dependendo dos olhos de quem vê. Eu tenho muitas dúvidas sim, pois gostaria de fazer o trabalho bem feito. E dinheiro não cai do céu pra mim, eu sou estudante em uma universidade federal, faço física e ainda não tenho um emprego, vivo do sustento dos meus pais. Eu acho melhor ter uma boa ideia antes de plantar qualquer coisa, mesmo porque como eu disse, dinheiro não cai do céu, e se nesses mesmos fóruns dizem que a planta tem máximo rendimento quando exposta a uma certa quantidade de lúmens, porque eu vou querer aumentar em 60% a potência da minha lâmpada sendo que a diferença pode ser mínima? Vocês estão nesse ramo, vocês pagam pelo que usam, vocês sabem que não é nada barato. Só postei essas dúvidas porque quero saber quanto eu preciso gastar pra ter um retorno razoável. Porque de uma certa forma, é muito óbvio que quanto mais melhor. E quanto menos mais barato. Eu só não quero gastar 1 centavo a mais do que eu preciso, se a diferença de rendimento entre um projeto e outro for mínima, eu vou optar pelo projeto mais barato. Quanto a comercialização, sim, eu penso em faze-la para sustentar meus gastos com essa atividade, mais como já disse, seria apenas para pessoas próximas. Obrigado aos usuários que levaram o tópico a sério, e desculpe aos usuários que são muito irritados pra responder qualquer coisa. Da próxima vez vou pensar duas vezes antes de entrar em um fórum desses e perguntar o que eu não souber, vou optar por não irritar algumas pessoas e gastar 10x mais tempo procurando tópicos antigos, já que parece que o fórum tem limite de tópicos novos, porque num é possível tanta preocupação por causa disso. Realmente eu pensei que em um fórum desse eu encontraria muito mais apoio do que eu realmente encontrei, parece que a maioria aqui não parece pensar tanto no próximo como eu esperava. Abraços
  7. Desculpem o post duplo, mais desde já agradeço a todos os que postaram qualquer tipo de informação no fórum que estão sendo muito úteis nesse início de jornada, prometo que ainda vou retribuir tudo isso fazendo um bom post do acompanhamento do meu growroom e do cultivo assim que eu começar, afim de ajudar próximos.
  8. Boa noite, Estou interessado em me iniciar nessa ideia de cultivo.. Porém ainda tenho algumas dúvidas, dei uma olhada no site e não encontrei respostas pra todas elas.. Estou pensando em fazer um armário de aproximadamente 2 x 1.3 x 0.7 (altura x largura x profundidade). E estava pensando em fazer um sistema no qual eu tenha máximo de aproveitamento de espaço e no rendimento. Como a maioria aqui vou tentar dividir em 2 ou mais compartimentos e usar coolers para a ventilação e duto para a lâmpada HPS, provavelmente vou usar lâmpadas fluorescentes compactas para o estado vegetativo. Comprei já faz um tempo as sementes em um site (se não me engano foi no nirvana shop), 10 pra ser mais preciso (5 AK48 feminizadas e 5 White Widow feminizadas também). Enfim, aqui vão algumas das dúvidas. 1)Gostaria de saber se é possível mesmo fazer um armário com as divisórias para clonagem, estado vegetativo e floração. Porque pelo que eu li, a floração deve ter um fotoperíodo de 12/12 sem interrupção, e não creio que exista o bloqueio completo da luz de uma divisória do armário para a outra. Ou seja, a iluminação do compartimento vegetativo vai atrapalhar as plantas que estariam florescendo no compartimento ao lado? 2)Eu vi que muitos de vocês aqui usam lâmpadas de HPS 400W em espaços de 1m² pra menos. É realmente necessário? Porque nos mesmos arquivos que encontro pelo fórum sobre iluminação dizem que seria suficiente algo em torno de 250W, tendo em vista que 1W corresponde a aproximadamente 140 lúmens em uma HPS. 3)Quanto mais ou menos eu posso produzir nesse espaço? Melhor, em 1m² de plantação (somando todos compartimentos) quanto vocês conseguem colher por mês em média? Quantas plantas eu posso deixar florescendo nesse espaço? Essa é uma informação importante porque o tamanho do meu armário vai depender de quanto cada m² produz. No site onde comprei a semente diz algo em torno de 400g/colheita. É algo assim? 4)Qual seria a divisão mais inteligente dos compartimentos? Quanto de espaço eu precisaria para a floração? E para a clonagem e as plantas no estado vegetativo? 5)Notei que muitos não fazem referência ao uso de filtros de ar. É realmente necessário um filtro? A planta exala um odor forte e chamativo de fato? 6)A maioria faz a germinação no papel toalha e depois transplanta para a terra, isso é uma técnica usada principalmente para sementes que vem prensadas ou é necessário para sementes com uma boa procedência genética? Não me ficou muito claro como funciona o ciclo de produção dos buds. Primeiro vem a germinação, depois a muda, e então a planta entra no estado vegetativo 7)Qual é o período ideal para deixar a planta nesse estado? Qual deve ser o tamanho da planta antes de eu passar ele para a floração afim de ter um bom custo/benefício na parte de velocidade/quantidade/qualidade?. 8)E depois no caso eu escolheria uma ou duas plantas (as mais fortes e saudáveis) para serem as plantas mães para os clones e o restante eu posso florir já? Em média quantos clones uma planta mãe dá? Eu posso retirar clones mais do que uma vez ou depois de retirado todos os clones possíveis de uma planta mãe ela se torna inútil? 9)Os clones ficam em média quanto tempo no estado vegetativo antes de poder florir? 10)Se tudo estiver ocorrendo bem, funcionando perfeitamente, qual vai ser a periodicidade da colheita? Uma vez a cada 2 meses? 11)Quanto uma planta no estado vegetativo mede em média (eu sei que varia de espécie, mais só uma ideia de alguém que planta algo semelhante)? E na floração pré colheita? 12)A qualidade do fumo é realmente muito superior do que o normal que encontramos por ai? 13)Pretendo me servir e a alguns amigos, por isso a informação de quantas gramas se consegue por m² é importante. E outra pergunta, se eu for comercializar isso com os camaradas, quanto seria um bom preço pela grama desse fumo de alta qualidade? 14)Quantas plantas da pra ter em um metro quadrado de espaço? Vi em um DVD que é algo em torno de 16 a 32. Eu achei muito, mesmo porque a maioria dos post aqui de growing dentro de armário estão com poucas plantas. Talvez eu tenha mais dúvidas, porém por enquanto eu não consigo pensar em nada, espero não ter sido muito redundante quanto as perguntas se estas já foram postadas aqui. Estou fazendo uma cotação antes de começar a construção do Growroom e do cultivo, e só vou começar quando estiver com a maioria das dúvidas sanadas Obrigado a todos