Ir para conteúdo
Growroom

-Beronha-

Usuário Growroom
  • Total de itens

    138
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutral

Profile Information

  • Gender
    Male

Últimos Visitantes

758 visualizações
  1. Jubileu, sua idéia tem fundamento cara. A temperatura ideal dentro de um grow fica em cerca de 25 graus Celsius, certo? A planta, dependendo da espécie (sativa é mais resistente ao calor que a indica), não sofre danos se a temperatura ficar entre 21 e 30 graus Celsius. Então a temperatura média interna do grow geralmente é maior que a externa (fator iluminação). A iluminação produz calor por radiação, pois a luz é uma onda, que carrega energia. A madeira é um péssimo condutor de calor (isolante térmico). Já a condutividade térmica do metal é excelente. Sendo a madeira um mal condutor (a tro
  2. Pode crer Billy, a tendência é mesmo diminuir aos poucos o estigma que o usuário carrega. O nosso encargo é demonstrar aos "caretas" que é possível levar uma vida "anormal" (no bom sentido:) fazendo uso da cannabis. Que usuário de maconha não gostaria de andar pela cidade com os olhos vermelhos e ser respeitado por pessoas que você normalmente atravessaria a rua para não cruzá-las? Parar na banca de revistas e bater um papo descontraído, olhos nos olhos com um senhor de 65 anos? Pedir informação a um policial sobre a localização de um endereço? Nem é tão complicado assim. Um pouco de boa v
  3. A questão econômica frente a uma possível legalização é suja. Quem deveria plantar? Quem deveria vender? Plantações no nordeste, farmácias específicas para venda de drogas, maconha à venda em boutique, maconha em maço... me diz aí, onde é que essa porra vai parar? Não seria mais interessante racionalizar? Voar um pouco mais baixo? Por que não lutar primeiro pela descriminalização antes de discutir a "legalização"? Por que não exigir do governo uma maior tolerância quanto ao cultivo indoor? No momento eu não desejo nada mais que plantar a minha erva sem ser incomodado. Pensar a maconha
  4. O que acho inconveniente é que a mídia cai no imediatismo quando discute a legalização da maconha, onde deveria vir primeiro a discussão sobre a descriminalização do usuário, que seria um passo-chave para uma maior tolerância no que diz respeito ao cultivo próprio. No momento eu não desejo nada mais que plantar a minha erva sem ser incomodado. E outra coisa, é comprovado há milênios os benefícios terapêuticos que a cannabis pode oferecer, então qual seria a opinião mais sensata de um médico? Já falaram e eu repito: toda droga é remédio e veneno, tudo depende da quantidade administrada.
  5. Muitos adeptos das políticas proibicionistas comparam o sistema de smart bar ao das coffee shops holandesas, nas quais são vendidos, para consumo exclusivo no local, a marijuana, o haxixe e o skunk. A propósito, o “AK-47” (referência metafórica a um potente fuzil-metralhadora muito popular, inclusive, nos morros cariocas) está caindo em desuso por ser muito potente e levar à redução do número de tragadas. Os referidos críticos lembram que o primeiro café para venda de marijuana foi o Sarasani, inaugurado há 35 anos na cidade de Utrecht. Hoje, existem mais de 800 espalhados por toda a Holan
  6. -Beronha-

    O Barato Agora É Natural

    Revista Carta Capital, 25/08/2004 - Ano XI - Número 305 O BARATO AGORA É NATURAL Ervas, fungos, cactos e outros vegetais vindos “direto da horta” compõem a salada alucinógena do verão europeu. Por Walter Fanganiello Maierovitch Turim, segunda semana de agosto. Próximo ao Palácio Real, no centro da cidade, um grupo de turistas norte-americanos, composto por jovens e idosos, se divide. Os mais velhos estão interessados na chegada ao Duomo, que abriga a Cappela della Sacra Sindone, onde se encontra o Santo Sudário. Já os jovens dirigem-se à via Montebello dispostos a entrar numa sm
  7. Desenterrou bonito hein Clone, valeu mermão!!! Quem diria essa, o filho da rainha se pronunciando a favor da maconha para uso medicinal!! Parceiro, já faz tempo que as coisas estão mudando... Glaucoma, Esclerose múltipla, AIDS, mal de Alzheimer, mal de Parkinson, Câncer, Artrite, Epilepsia, Anorexia, Asma, Enxaqueca, Reumatismo...e a lista não pára de crescer... Abraço Tabela de referência para a terapia com cannabis: http://esmurruga.50g.com/cannabis/tabela.htm
  8. Produtos da indústria farmacêutica: 1859 - A cocaína é sintetizada pelo alemão Albert Niemman. O sucesso do produto foi tão grande que logo chegou aos Estados Unidos, onde era comercializado pelos laboratórios Parke Davis. A empresa orgulhosamente anunciava seu produto apregoando que "substitui a comida, torna o fraco corajoso, o silencioso loquaz e torna a dor suportável". 1884 - O uso anestésico da cocaína é popularizado na Europa. Dois anos depois, John Pemberton lança nos EUA uma beberagem contendo xarope de cocaína e cafeína: a Coca-Cola. A cocaína só seria retirada da fórmula em 1
  9. Aê Kurt, eu sofria de uma bronquite asmática que me deixava fulo da vida, a falta de ar me tirava do sério cara. Usava bombinha e aqueles xaropes gosmentos que me deixavam com taquicardia. Hoje, apesar de fumar a maconha, sinto que a minha capacidade pulmonar está bem melhor que antes, tanto que nunca mais precisei da bombinha e dos remédios, esses sim que eram as verdadeiras drogas. Falou
  10. A legalização da maconha e a polícia Por 1a527f56dde0a9c0adfe3f336614c0ed 02/11/2003 às 13:36 Como reivindicar nossa cidadania se não soubermos reconhecer que os policiais também são cidadãos? Nosso movimento é também pela vida do policial. Sábado às 14:00 no vão livre do Masp o único sinal de que existiria uma manifestação pela legalização da maconha era a quantidade de policiais e viaturas no local. Os manifestantes eram umas poucas pessoas tímidas lá no fundo. Aos poucos os dois grupos se aproximaram e entraram em acordo: a polícia colaboraria com a manifestação, mas não poderíamos
  11. Um roteiro chapado seria subir a Av. Paulista em direção a Pinheiros e descer a Teodoro Sampaio ou Av. Rebouças até a Benedito Calixto, onde já rola a bagunça normal de sábado. Viajei?
×
×
  • Criar Novo...