Ir para conteúdo
Growroom

bukergooney

Usuário Growroom
  • Total de itens

    933
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

265 Excellent

7 Seguidores

Profile Information

  • Gender
    Male

Últimos Visitantes

1262 visualizações
  1. Contra fatos não há argumentos... http://www.growroom.net/board/topic/55008-politica-uruguaia-de-uso-da-maconha-zerou-mortes-ligadas-a-droga-diz-secretario/ http://themindunleashed.org/2014/06/colorado-sells-19-million-cannabis-march-1-9-million-goes-schools-crime-10.html
  2. Isso é porque as fotos são usadas na divulgação da campanha e quando é manipulada digitalmente o usuário médio da net vai pensar que pegamos qualquer foto na net e nos apoderamos colocando a hashtag. A hashtag colocada na hora da foto de forma física proa a autenticidade, autoria e permissão para o uso da mesma...
  3. Acho que já equacionamos a questão da LC, vamos desmenbrar o porjeto em dois para satisfazer essa restrição. Você entendeu mal, não é fiscalização é cadastro anônimo, a função é unicamente colher dados sobre o consumo de cannabis no Brasil, a ideia disso foi nos proteger contra factóides e dados fabricados. Cara a ideia da junta já nos passou pela cabeça, mas pensamos assim se os médicos tem fé publica para prescrever morfina e outros remédios punk porque dificultaríamos tanto o tratamento de quem precisa nesse caso ? E ainda achamos que essa ideia da comissão poderia atrair a an
  4. Sinceramente eu não consigo, e nem sei se é possivel vetar a utilização de um medicamento dessa forma. "Olha esse remédio aqui pode melhorar sua vida 500% mas você só vai poder usar quando fizer 18 anos .... "
  5. Opa beleza irmão ? Com certeza, o que foi colocado aqui é a apresentação mais sucinta e o projeto apenas, precisamos montar ainda o texto pra ampla divulgação.
  6. Bem vamos lá, os 30 % seriam pagos na ponta sim, mas ai é que está, no cigarro o governo usa o IPI+ICMS como regulador da venda, na época o IPI/ICMS tinha acabado de ser reajustado, a ideia seria manter o IPI/ICMS no mesmo nível de outros produtos e a difereenciação se daria nos 30 % . Ou seja a ideia é que no fringir dos ovos é que a cannabis pagasse o mesmo volume de impostos dos cigarros, mas ao invés de ter um IPI/ICMS alto conforme o cigarro a diferença estaria no CCC, ou invés de num IPI superdimensionado. Eu discordo sobre o financiamento público de pesquisas particulares, eu cre
  7. Realemente a uma falha de nomeclatura na verdade, a ideia começou como agência, mas a medida que fomos estudando a legislação vingente fomos removendo uma série de coisas. Uma leitura mais atenta você nota que e fiscalizar não entram nas competências da ACB, isso porque pela legislação atual essas atribuições são da ANVISA, e não teria como fugir disso. Desta forma apesar da nomeclatura errônea de Agência ( e isso é uma das coisas a serem corrigidas) ela atua mais como uma secretaria e na prática gere o fundo da cannabis e suas aplicações assim como o Banco Nacional de Informações so
  8. Opa beleza ? Então eu lembro das críticas levantadas, acabamos não debatendo elas e lançando da forma como estava. algumas deles são bem pertinentes e vamos debater elas em breve, mas outras já posso adiantar aqui mesmo sem consultar ninguém. A limitação de venda por pessoa por dia : Isso vai contra os princípios pelo quais norteamos o projeto, qual a justificativa para essa limitação ? Existe alguma lei que proiba você de comprar 100 caixas de cerveja e dar uma festa na sua casa ? Ou comprar 5 caixas e beber durante o mês ? Se permitir vender 5 g por dia qual seria o problema de eu comp
  9. cara e aquela tua primeira dúvida lá sobre o plantio caseiro ? Desenrola ela ai pra poder ajudar... E outra, o consumo de cigarro já é proibido dentro de locais fechados, já existe legislação sobre o assunto nào é preciso incluir isso aqui.
  10. Cara isso é uma coisa a ser decidida quando se for fazer a redução penal não é o foco aqui, caso ess redução aconteça veremos o que é melhor fazer, por hora, menor é menor de 18. Entendo a sua visão e até compartilho dela não fumo cigarro, mas sendo o cigarro legal e qualquer um pode comprar em qualquer lugar não vejo o porque obrigar o cara a atravesar a rua e ir comprar o maço no buteco ou na banca de jornal mais próxima. Sobre as outras ervas na legislação nós incluímos análogos sintéticos. ou seja teoricamente estaria permitido desde que outras legislações não proi
  11. A parte do desenvolvimento não foi direcionado a você e sim um dos amigos que tinha acesso a ele nesse período, de qualquer forma as ideias básicas foram tiradas do tópico. Ajude O Growroom A Elaborar Um Projeto De Lei Para Legalização! Quando perguntei se tinha certeza realcei a incoerência da alteração, da uma olhada com cuidado que você percebe. Naquele artigo dizemos que fica permitida a venda na quantidade prescrita. Não fica estranho e sem sentido alterar pra "fica permitida a prescrição médica na quantidade prescrita "? Não vejo pobreza retórica nem estilística mas acho que se você l
  12. Opa cara sem ressentimentos, é para ser discutido aqui sim, só acho que na fase de desenvolvimento o debate seria mais dinâmico, a essa hora já teriamos a opinião de pelo menos outros 3 CJs sobre o assunto aqui alguns assuntos inevitavelmente vão se perder entre as homenagens e dúvidas, apenas isso. Bom que tenha ficado claro agora, entendo que a forma atual talvez não seja a melhor, mas é o que os debates nos levaram a apresentar. O legal desse tipo de dúvida é que explicita parte do processo de criação e debate pelo qual passamos até chegar aqui. Abraço qq coisa só perguntar..
  13. Sim o que eu não entendi é porque esses questionamentes não foram levantads por você nos 2 anos em que ele esteve em desenvolvimento interno ? Seria mais fácil debater por ter um número maior de pessoas qualificadas a opinar acompanhando mais de perto e as mensagens não ficariam dispersas pelo tópico. Vamos lá ok o texto pode ter ficado vago, vamos corrigir mas a ideia ser 30 % da venda bruta tal como cigarro, chegamos ao percentual de 30% apartir do cigarro, vimos que no cigarro usam o IPI para controlar a circulação assim como mais um que não lembro agora de cabeça, na ultima
  14. Jaspion acho que você leu com pouca atenção o texto da lei porque deixou passar bastante coisa. Não entendi qual a crítica aqui, no caso pela lei o governo vai interfirir nisso como interfere no mercado em geral, como falei já em outra resposta, apenas determina que o Estado faça pesquisas e levantamentos de dados, evitando que ambos sejam direcionandos apenas pelos interesses econômicos das empresas. Você quiz dizer assim ? II. A aplicação da contribuição sobre Cannabis não substitui outras taxas ou tributos impostos pela legislação em vigor. Art. 16 - Os recursos p
  15. uma coisa não impede a outra, no texto não vetamos essas possibilidades, apenas aparelhamos o estado para fazer levantamnetos, para que a aplicação e avaliação da efetividade da lei não esteja vuneravél a factóides e pesquisas particulares. E a parte de P&D propriamente dita a ideia é mais uma vez a desvinculação do interesse econômico, não vetamos que outros façam pesquisas só determinamos que o governo não pode deixar isso na mão unicamente de interesses financeiros
×
×
  • Criar Novo...