GandjaHempa

Usuário Growroom
  • Total de itens

    202
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

5 Neutral

Profile Information

  • Gender
    Male
  1. Fala Dumadera! 1ª: arruma um bom advogado. Como dito acima, pode ser através da Defensoria Pública, caso não tenha condições de pagar por um. 2ª: que mancada sair com tudo isso pra ir jogar futebol...se fosse viajar ainda vá lá... 3ª: sustente que é para consumo estritamente próprio, que é usuário habitual, art. 28 Lei de Tóxicos, que fuma bagarai por isso a quantidade, etc etc etc... 4ª: a quantidade, além do fato de estar dividido em porções menores, pode atrapalhar um pouco, mas não creio que resulte em algo pior...pelo menos já vi pessoas segurando mais e não foi pro tráfico. Abraço. PAZ!
  2. Acho que é bem o que o relator fundamentou, com uma ressalva: se o trabalho escravo inexiste no ordenamento jurídico, por certo existe em nosso país, mesmo que em condições análogas, e portanto poderia ser regulamentada. Mas não é essa a questão do projeto denegado e a legislação penal já pune o crime. O resto já está regulado. Ou seja, a lei negada provavelmente abriria um negócio muito lucrativo para o governo... Para o usuário não ocorre a desapropriação, excetuadas as devidas proporções do que é feito ali, por conta da função social da propriedade...normalmente é imóvel de residência e tal, diferente da propriedade destinada à produção de drogas com fins de tráfico, esta sim desapropriável... PAZ!
  3. Grande Sano! De boa, irmão?! Demorei um pouco na resposta pq quase não estou tendo tempo de entrar aqui...mas vamos lá: Dei uma estudada nesse assunto (ADPF), ainda meio por cima, e cheguei a algumas conclusões... A primeira delas é um problema de competência para propositura desta ação. Segundo o art. 2º da Lei 9.882/1999, que dispõe sobre o processo e o julgamento da ADPF, podem propor esta ação os legitimados para a ADIn, ou seja: "Art. 103. Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade e a ação declaratória de constitucionalidade: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) I - o Presidente da República; II - a Mesa do Senado Federal; III - a Mesa da Câmara dos Deputados; IV - a Mesa de Assembléia Legislativa; V - o Governador de Estado; IV - a Mesa de Assembléia Legislativa ou da Câmara Legislativa do Distrito Federal; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) V - o Governador de Estado ou do Distrito Federal; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) VI - o Procurador-Geral da República; VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; VIII - partido político com representação no Congresso Nacional; <a name="art103ix">IX - confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional." (art. 103 da CF/88) Sendo assim, segundo a doutrina consultada, a saída para quem não compõe este seleto rol é apresentar a proposta a algum deles e pressioná-lo a propor referida ação. Acredito que este seja o aspecto mais complicado de se resolver, mas não é impossível...o próprio Sérgio Vidal, que propôs o tópico, s.m.j., é membro do CONAD, que tem poder amplo para "engrossar esse caldo"... A segunda é quanto ao preceito fundamental descumprido...pelo que vi da jurisprudência analisada, o descumprimento deve ser direto, sob pena de não comportar conhecimento pelo STF...de plano, ainda não sei ao certo como utilizar a ADPF para "obrigar" a ANVISA a regulamentar o uso da cannabis ou a "legalizá-la" para fins de associação, pois não seria direto o descumprimento ao preceito constitucional fundamental, afinal, não é ela quem proibiria/negaria a associação...tem alguma luz ai? De qualquer jeito, continuarei pesquisando e pretendo rascunhar esta peça agora no período de suspensão do expediense forense, que graças a Deus foi aumentado pelo TJSP... É o que tinha a relatar... Hoje, só amanhã... que eu vou pingar meu colírio alucinógeno! Abraço! PAZ!
  4. Ae, cadê a galera para discutir esse assunto??? Na hora de falar um monte e mostrar a irresignação, na maioria das vezes infundada, a galera tá ae...na hora de discutir um assunto sério como esse, com muito mais chance de ter sucesso do que algumas iniciativas ae, todo mundo some ou vem aqui falar que não daria certo... É isso que torna nossa causa ainda mais difícil...é muito maconheiro falando demais e fazendo/se importando de menos...falar é fácil, se indignar é fácil, achar que conhece uma solução tb... De nada adianta #freesativalover, adesivos GR e "falação" (o que mais vejo por aqui) se quando surge um assunto como o tratado no presente tópico, com chance de ser levado a efeito, a galera não dá atenção ou simplesmente esconde a cara... É triste e frustrante ver que muitos de nossos "soldados" gastam tempo valioso construindo um cavalo de tróia contra a própria causa... Valeu Vidal pela iniciativa...tamo junto! E segue a Babilônia... PAZ a todos...
  5. Liberação total é impraticável, assim como a proibição total... Tb não acho uma boa conceder direitos de exploração às megacorporações e indústrias como a do tabaco...só geraria mais uma fonte de corrupção, tráfico de influência e muitas outras mazelas, talvez diferentes das do tráfico, ou talvez não, mas por fim o usuário "pagaria o pato" denovo... Nada contra fomentar a indústria têxtil, de óleos e resinas, etc...para isso seria necessário regulamentação muito estudada... O caminho das associações canábicas é mais fácil, para um primeiro momento, até porque há certo respaldo constitucional às associações: CF/1988 "Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar;" Aliado a isso o abrandamento trazido pela lei de tóxicos (art. 28) ao usuário e a necessidade de evoluir a maneira de tratar (sentido amplo) o usuário, a discussão torna-se bem mais palpável, volto a dizer, para um primeiro momento... Art. 31 da lei de toxicos: "Art. 31. É indispensável a licença prévia da autoridade competente para produzir, extrair, fabricar, transformar, preparar, possuir, manter em depósito, importar, exportar, reexportar, remeter, transportar, expor, oferecer, vender, comprar, trocar, ceder ou adquirir, para qualquer fim, drogas ou matéria-prima destinada à sua preparação, observadas as demais exigências legais." O próprio art. 33 e 34 (tráfico e fabricação) põe a salvo o caso de haver autorização ou lei que regulamente tais práticas. Nesse caso, creio que a licitude para fins da associação, mencionada no art. 5º, poderia ser discutida no próprio Poder Judiciário, via Ação Declaratória...há argumentos de sobra... Pense verde! PAZ!
  6. Ótimo texto! Proibicionismo não funciona com absolutamente nada! NADA! A proibição legal pura e simples ofende a racionalidade humana. Debates e estudos técnicos LIVRES DE PRÉ-CONCEITOS são a chave! Quando a Lei nos diz que NÃO podemos, insinua que não temos capacidade de discernimento necessária para tomarmos a decisão por nós mesmos, capacidade esta que supostamente os legisladores têm de sobra, via reflexa. E todos sabemos que o "NÃO" não funciona nem com crianças, quem dirá com adultos, caso contrário não haveria se pensar na prática de crimes em território nacional. E o mais indignante é a falta de capacidade de nossos governantes de aprender com os erros passados. Como diria Zé Simão: "É mole?! É mole, mas sobe!" Rarararara "Hoje só amanhã, que eu vou pingar meu colírio alucinógeno."
  7. Acho que 4 ou 5 horas de luz direta do sol + o restante do período de 12 horas com bastante claridade, s.m.j., é suficiente...outro dia vi um cultivo por aqui com essas características e a colheita foi muito boa! (infelizmente não lembro qual é o tópico)
  8. Se o recipiente onde fica a água/gelo for lacrado, não interfere na umidade não... Pelo contrário, esses com radiador acabam por condensar a umidade do ar no radiador, soprando um ar frio e seco (como acontece nos aparelhos de ar condicionado).
  9. Salve Pai do mato! Fmz? Há um tempo atrás tb encanei de montar um ar condicionado faça vc mesmo...eis as minhas considerações: No 1º video, deve funcionar super bem, mas é inviável pq usa motor de geladeira (mta energia) e é uma estrutura mto grande (o cara fala que o resto fica no porão dele, ligado por tubulação específica). O 2ºparece bom e não gasta mta energia não, só do cooler (e da geladeira que provavelmente vc já tem ligada)...só não sei se a quantidade de ar frio é suficiente (no meu grow tem bastante ventilação, acho que ia espalhar e adiantar pouco) e quanto tempo dura o bloco de gelo... Assim tb no 3º...refresca, mas o gelo dura pouco... Acabei construindo um adaptado do 3º, sem o ventilador e os tubos de cobre...só o isopor (reservatório), um radiador de ar quente de carro (parecido com o do 1º video, mas menor...cabe 2 coolers de 120mm lado a lado), um bomba d'água de aquario para circular e os 2 coolers... Ficou bom, mas tem o problema do gelo...durou algumas horas somente... To projetando outra versão, mas to meio sem recursos para concretizá-la (tempo e $$$)...inclui esse sistema que montei, só que em vez de gelo, pretendo usar uma placa termoelétrica para resfriar a água numa bandeja de metal... Vo ver se dou um adianto nesse projeto ou se consigo postar aqui umas fotos do projeto atual e do novo... PAZ!
  10. Cacilllldss...os tópicos novos de hoje tão f***...tem que dar uma lidinha né galera...

  11. Salve irmão! Aparentemente sua planta é bem sativa (é semente de pren?) e tá no começo da flora, eu diria 2 ou 3 semanas... Acho que ainda vai quase 2 meses...mas espera que vale a pena! Sucesso ae!
  12. Cara, eu já vi bastante por ai, inclusive em videos famosos (não lembro exatamente quais), que o melhor tanto para vega quanto para a floração seria uma mistura entre os dois tipos, sempre pendendo para o padrão (azul/branca=vega; amarela/avermelhada=flora). Ex.: 1x 400W e 1x 250W no grow, sendo a de maior "wattagem" para a cor predominante do período. É que como a galera tá usando hqi/hps, normalmente 1, e já dá um bom trabalho com calor e $$, acaba ficando só com aquela mesmo, uma cor ou outra... Acho que isso se deve ao fato de que na flora a planta também cresce e esse complemento ajuda.
  13. Salve nação! Isso é um começo...nossa "guerra" depende de mtos outros aspectos, além desse... Com todo o respeito ao nobre colega acima, acho que a carteira é necessária, embora eu não ache que pode/deve ser "obrigatória"... Para se ter direito, é necessário ser rotulado como alguma coisa... Por exemplo, para se ter direitos políticos (votar e ser votado), é necessário ser cidadão brasileiro (e comprovar essa situação), além de estar quite com as obrigações eleitorais e outros requisitos. Para ter direito ao seguro desemprego, são vários requisitos, mas ninguém reclama de ser rotulado como "desempregado" para receber o benefício. Não podemos querer a legalização incondicional. Para ter direito ao uso, circulação e plantio, é necessário se declarar usuário. Importante ressaltar que legalizar significa "criar lei reguladora", e não "liberar geral". Eu sei que esse assunto é polêmico, mas esse é meu humilde posicionamento humilde. De qq jeito, apoiada a iniciativa! Think Green! PAZ! É o que interessa!
  14. Salve! Acho que cada um é um. Já estudei fumado e mandei bem, demora um pouco mais para engrenar, mas depois vai sussa. Tb já parei de fumar pra estudar e mandei bem. Às vezes, para quem fuma todo dia, parar para estudar tira um pouco da concentração, fica ligado no 220. O melhor é vc fazer o SEU teste. Como vai ser um estudo longo, vc pode estudar fumando por 1 ou 2 semanas. Depois se cobre a matéria. Para mim, acho melhor fumar a cada 3-4 dias, estudando todo dia. PAZ!