Soul_Surfer

Usuário Growroom
  • Total de itens

    253
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

33 Excellent

2 Seguidores

Profile Information

  • Gender
    Male

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. A maconha tem sido usada há muito tempo como tratamento terapêutico efetivo contra alguns sintomas da Aids, como dores crônicas e perda de peso. No entanto, um estudo da Louisiana State University descobriu que a erva talvez poderia ser capaz de frear que a doença se espalhe ainda mais. Segundo informações do site The Huffington Post, os cientistas administraram por 17 meses uma dose diária de THC, um ingrediente ativo da maconha, em macacos infectados com uma forma animal do vírus HIV. Ao longo deste período, eles observaram que os prejuízos ao sistema imunológico dos estômagos dos animais, uma das áreas mais comuns do corpo que sofrem com infecções, tinham sido reduzidos. "Estes resultados revelam novos mecanismos que podem contribuir potencialmente para o controle da doença por meio da cannabis", afirmou a líder da pesquisa, Dra. Patricia Molina. Ela explica também que enquanto o vírus HIV ganha força se espalhando por meio de infecções que matam as células do sistema imunológico, os primatas que participaram da pesquisa mantiveram altas taxas de células saudáveis ao longo do tratamento. Estudos anteriores concluíram ainda que macacos infectados com o vírus HIV e tratados com THC tinham maior chance de sobreviver. Em 2012, outra pesquisa pontuou que componentes da maconha podem ser efetivos na luta contra o vírus HIV em pacientes terminais diagnosticados com a doença. Um oncologista do Reino Unido também divulgou um levantamento no qual diz que a erva pode matar células cancerígenas em pacientes com leucemia. No California Pacific Medical Center, em São Francisco, nos Estados Unidos, cientistas sugeriram que os componetes da maconha podem também combater outras formas mais agressivas do câncer. http://saude.terra.com.br/doencas-e-tratamentos/estudo-maconha-pode-impedir-que-o-virus-hiv-se-espalhe,29a10cb042624410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html
  2. Galera essa garantia de 10 anos do Pax by Ploom é somente se comprar nos eua e canada com revendedor autorizado né? se eu comprar com um vendedor no mercado livre por exemplo, essa garantia fica invalida?
  3. Depois que o mundo todo mundo legalizar ai o Brasil vai legalizar...periga ate a Coreia do Norte legalizar antes que o Brasil.
  4. Um hormônio natural age como defesa espontânea diante dos efeitos causados pela maconha no cérebro e pode se tornar uma nova arma contra a dependência a esta droga, informaram cientistas nesta quinta-feira. Um grupo de especialistas franceses descobriu, estudando os efeitos da maconha em ratos de laboratório, que o hormônio esteroide pregnenolona reduz a atividade de uma molécula particular do cérebro denominada receptor canabinoide do tipo 1 (CB1). A princípio, na se acreditava que este hormônio desempenhava qualquer papel significativo, mas descobriu-se que ele cancela o efeito causado pelo THC, o ingrediente psicoativo da maconha, segundo Pier Vincenzo Piazza, do Instituto Francês de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM). A descoberta "poderá levar a novos enfoques para tratar da dependência à maconha e permitir aos pesquisadores isolar as propriedades médicas da cannabis, enquanto bloqueiam seus efeitos no comportamento", destaca a revista Science, na qual o estudo foi publicado. Os pesquisadores descobriram este papel do pregnenolona ao administrar grandes doses de cannabis em ratos de laboratório, de três a dez vezes maiores que as geralmente consumidas por usuários da droga, disse Piazza à AFP. As altas doses de cannabis elevaram os níveis de pregnenolona do cérebro, que bloquearam os efeitos nocivos do THC neste órgão. Os pesquisadores também fizeram testes de laboratório com células humanas que mostraram um efeito de bloqueio similar. "Esperamos poder iniciar os testes clínicos em humanos no prazo de um ano a um ano e meio", disse Piazza. Se o efeito do pregnenolona for confirmado, será "a primeira terapia farmacológica para a dependência da cannabis", destacou Piazza. Ao menos 147 milhões de pessoas, em todo o mundo, consomem maconha, segundo a Organização Mundial de Saúde. Produtos a base de cannabis podem aliviar os sintomas da depressão, glaucoma, espasmos e enjoos associados ao câncer e à Aids, mas também afetam o desenvolvimento do cérebro, a memória, a função pulmonar e podem provocar dependência. http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2014/01/02/hormonio-natural-bloqueia-efeito-da-maconha-no-cerebro.htm
  5. Comprei esse Grow : http://www.ebay.com/itm/190766212616?var=490120957745&ssPageName=STRK:MEWNX:IT&_trksid=p3984.m1439.l2649 fui buscar nos correios ontem e a fiscalização colocou como barraca de camping na descrição e taxaram em 700 reais....mandei de volta pra revisão pra esses fdp taxarem o valor correto.
  6. unico mal q demoram muito p/ responder os emails.
  7. Os porcos sabem que se todo mundo plantar acabou o arrego deles, investigar grower virou a prioridade desses lixos.
  8. meu cao faleceu dia 30/05 de em decorencia do cancer, tava com varios tumores pelo corpo, cheguei a comprar um oleo de hemp no ebay mas ate hoje nao chegou(se é que vai chegar), governo maldito.
  9. LAS VEGAS - Em pé fiel à sua posição sobre a regulamentação do uso da cannabis no esporte, o UFC decidiu aumentar o limite permitido para os testes de metabólitos da cannabis de 50 ng/mL a 150 ng/mL - uma marca que a Agência Mundial Anti-Doping (WADA) também considerou suficiente recentemente. O vice-presidente de Assuntos Regulatórios do UFC Marc Ratner, revelou a decisão da empresa durante a reunião de hoje do Painel Consultivo Testing and Drug Steroid da Comissão Atlética de Nevada (NSAC), em Las Vegas. "Quando nós tivermos a responsabilidade de nos auto-regular em todo o mundo, nós seguiremos a norma WADA de 150 ng/mL", disse Ratner. "Então, nós estamos começando isso imediatamente." O UFC muitas vezes age como seu próprio corpo regulador quando em eventos no exterior e não existe uma organização oficial de regulação. Tal foi o caso no UFC on FUEL TV 8, em março no Japão, quando Alex Caceres testou positivo para metabólitos de cannabis após sua vitória por decisão sobre Kyung Ho Kang. Ratner disse ao MMAjunkie.com que a Comissao Atlética Brasileira de MMA (CABMMA), orgão que regulamenta os eventos do UFC no Brasil, também concordou com o mesmo padrão e já adotará a mudança na próxima semana UFC on FUEL TV 10 em Fortaleza. Representantes da CABMMA confirmaram mais tarde esta decisão. O objetivo da mudança é fazer um esforço mais concentrado para pegar os usuários de cannabis que estão competindo sob o efeito da planta e não aqueles que a usaram nos dias ou mesmo semanas anteriores a uma luta e ficam com o metabolito em seu sistema. A Agência Mundial Anti-Doping (WADA) recentemente fez a mesma alteração em seu código, o que sugere que "a alteração do limite significa que os atletas que usam a substância em competição serão detectados" ao invés de atletas que usam a cannabis em um ambiente fora da competição, quando ela não é considerada uma substância proibida. Antes das observações de Ratner, o Painel da NSAC Steroid and Drug Testing Advisory passou 40 minutos discutindo sua posição sobre o uso da cannabis no esporte. Por enquanto o painel ainda tem que desenvolver uma recomendação oficial para a NSAC considerar, as conversas preliminares parecem indicar que o grupo pretende também sugerir elevar limite de testes da NSAC para 150 ng/mL. "Pode ser daqui a 10 anos que a comissão vai dizer que este não é o número certo, ou daqui a dois anos, porque eu posso facilmente ver onde isso iria mudar", disse o membro do painel Dr. James Nave. "Talvez seja 400.. É um jogo totalmente diferente agora. A Sociedade é diferente e tudo é diferente". O estado de Nevada, que em 2000 aprovou a posse e uso da cannabis medicinal, atualmente está estudando uma lei que irá oferecer aos pacientes um método legal de compra da cannabis medicinal, com a total legalização dos dispensários de cannabis em todo o estado. É apenas mais um sinal de uma rápida mudança de postura na política sobre o uso da cannabis em todo os EUA Ratner, que estava diante do painel do NSAC em março, para incentivá-la a tomar uma posição mais suave contra a maconha, aplaudiu hoje o progresso que já foi feito. "Quero elogiar o comitê", disse Ratner. "Isto está de acordo com o pensamento do UFC, assim como o meu, que estamos nos movendo progressivamente para o futuro, e os tempos estão mudando." O Painel Consultivo Testing and Drug Steroid da NSAC também discutiu possíveis sugestões para a revisão da política da Comissão em drogas que melhoram o desempenho, incluindo a Testosterona e PED’s (performance-enhancing drugs). A comissão deverá elaborar uma recomendação oficial nas próximas semanas na esperança de trazer todos para a reunião geral da comissão em julho. Entre as modificações que estão sendo consideradas são a redução do nível aceitável de níveis de testosterona para epitestosterona de um atleta de 6 para 1 de 4 para 1, a adição do teste de Gonadotrofina coriônica humana (hCG), recomendações para exigir um passaporte hematológico (ou hematócrito) e o requisito de testes fora de competição para incluindo tanto as amostras de sangue quanto de urina. FONTE: http://www.mmajunkie...rs-similar-move
  10. foda mesmo, frequento lá e dá até nojo de certos comentários, e o pior é que os moderadores de lá parecem ser coniventes com o preconceito e ignorância dos users.