K2X

Usuário Growroom
  • Total de itens

    149
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

179 Excellent

8 Seguidores

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Rapaziada! Nao sei se trombei alguem que nao trocamos ideia do growroom mas sei que conheci o @Morenno mano sangue bom e mais uma puta galera. Deu tudo certo, uns 4L de fert advanced/gh e uns uruguaio, dichava usado, veio tudo! Inclusive as semillas e 2g de bho de tangie kush muito bom! Buenissima onda hermanos, ate ano que vem!!
  2. Salve rapaziada!!! Ta chegando, é nois no Santa Maria! Cola em nois vo ta com camiseta do GR!
  3. Santa Maria aqui tambem, eu e mais 2 parceiros jardineiros! Growroom vai ser maioria no quarto ja em hahahaha vamo bagunçar rapaziada!
  4. Uma boa notícia para os irmão: https://www.growroom.net/board/topic/61765-“é-a-primeira-vez-que-uma-instituição-como-o-mpf-defende-abertamente-a-descriminalização-para-uso-pessoal”-afirma-advogado/
  5. “É a primeira vez que uma instituição como o MPF defende abertamente a descriminalização para uso pessoal”, afirma advogado October 19, 2016 Harumi Visconti Em decisão histórica, o Conselho Institucional do Ministério Público decidiu que a importação de 12 sementes de maconha da Holanda não é crime. Conversamos com Alexandre Pacheco Martins, advogado que atuou no caso, que nos explicou os possíveis desdobramentos do julgamento. PBPD: Hoje, o Conselho Institucional do Ministério Público Federal (MPF) decidiu que a importação de 12 sementes de maconha não poderia ser considerada crime. Qual o impacto dessa decisão? Alexandre Pacheco Martins: É uma decisão muito importante. Ela muda o paradigma das acusações no país. É a primeira vez que uma instituição como o MPF defende abertamente a descriminalização [para uso pessoal]. Eu nunca tinha visto o Ministério Público falar isso publicamente. Um ou outro até falava nos bastidores, mas eles vão colocar a decisão no papel. Isso é impressionante, é dar autonomia para os procuradores. O órgão falou: “vocês não são mais obrigados a ficar correndo atrás de usuários”. Evidentemente, isso não significa que daqui para frente todo mundo pode entrar no site e começar a importar – mas as chances de elas serem denunciadas e o caso ser arquivado aumentaram em 200%. Se eu entrar agora no site e importar, muito provavelmente isso vai ser apreendido, vai ser encaminhado para a Polícia Federal, que poderá instaurar um inquérito policial, mas eu nem seria acusado de nada. Seria tudo provavelmente arquivado. Mas o que acontece é que a pessoa ainda não vai poder receber a semente, não vai conseguir fazer uso dela. A gente não conseguiu ainda legalizar – e não é no MP que isso seria decidido. Esse é o próximo passo: ganhar no STF e regulamentar o uso. A partir de agora, em qualquer ação semelhante o Ministério Público Federal deverá aplicar essa decisão acordada hoje? Alexandre Pacheco Martins: Não. Essa decisão não tem caráter vinculante, ou seja, ela não obriga os procuradores da República do Brasil inteiro a aplicarem a decisão. Qual é a função do Conselho Institucional do Ministério Público Federal? Alexandre Pacheco Martins: A função dele é traçar as diretrizes para o próprio Ministério Público Federal, ou seja, apesar de não ser vinculante, é esse o órgão que formula as diretrizes do MPF. A partir do momento em que o órgão entende que não é tráfico internacional de drogas nem contrabando, ele desobriga os procuradores que até não concordavam, mas acabavam denunciando pela obrigação funcional. A partir de agora só vai denunciar o procurador que concorda, mesmo, que é caso de tráfico. Enfim, as pessoas que entendem dessa maneira podem continuar aplicando isso, mas grande parte dos procuradores já entendia que não era [tráfico], mas batia na Justiça e alguns juízes falavam “Você pode até achar que não é, mas eu acho que é. Então vou mandar isso para o seu chefe”. E quando chegava no “chefe”, em última análise acabava indo para esse Conselho Institucional – que hoje tomou essa decisão. PBPD: Nesse caso específico, a chance desse réu ser absolvido na Justiça é grande. Alexandre Pacheco Martins: Na verdade, não tem como falar em absolvição porque ele não vai ser processado. Ele nem sequer vai virar réu. Ele foi mero investigado por tráfico internacional e, depois dessa decisão, ele é uma pessoa comum como qualquer outra pessoa do mundo. PBPD: O senhor acha que essa decisão de hoje pode ter impacto no julgamento do RE 635.659, que pode descriminalizar a porte de drogas para consumo pessoal? Alexandre Pacheco Martins: Acho que pode ter um belo reflexo. Ela influencia, mas não determina o resultado. Mas a decisão dá, inclusive, amparo para os ministros que estiverem inseguros: o próprio órgão acusatório oficial do Brasil entende que casos como esse não têm grande repercussão na vida prática das pessoas. PBPD: Um dos nossos seguidores comentou em nossa página que a decisão de hoje foi pautada pela inexistência de THC na semente da maconha. Como o senhor vê esse argumento? Alexandre Pacheco Martins: O julgamento foi bem mais profundo do que isso: eles definiram que não é nem tráfico nem contrabando. Não é tráfico pela inexistência do THC, de fato. Mas cada procurador foi aprofundando em um sentido. Alguns foram no sentido de não ter THC, outros falaram da interferência do Estado na vida privada. Cada um falou em um sentido, mas a decisão final foi a de que não é tráfico porque não tem THC e que, portanto, a semente de maconha não pode ser considerada a droga em si. Num segundo ponto, entendeu-se que não era contrabando também porque o que a gente chama de semente de maconha, biologicamente é um fruto. Se todas as sementes são proibidas exceto as permitidas, os frutos seguem uma lógica diferente: eles não necessariamente são proibidos de serem importados. Eu sustentei nesse sentido e uma das procuradoras até acolheu esse argumento. Mas a maioria entendeu que como a quantidade é muito pequena e o MPF entende que, num paralelo com o cigarro, pode-se importar até 153 caixas de cigarro sem configurar contrabando, não faz sentido você criminalizar todas as sementes de maconha. É muito pouco. Não tem relevância penal essa quantidade. PBPD: Era esperada essa decisão do Conselho Institucional do MPF? Alexandre Pacheco Martins: Esse julgamento começou em agosto. Quando eu fui lá para sustentar, eu estava meio sem esperança. Mas modéstia à parte, a discussão foi tão bacana, a gente trouxe pontos tão interessantes, que eu vi alguns procuradores nos questionando e depois concordando com nossos argumentos. E aí eu vi várias pessoas indo nesse sentido, foi impossível não se empolgar. http://pbpd.org.br/wordpress/?p=4110
  6. Conforme for chegando a data podíamos criar algum grupo ai da raça do gr pra trombarmos por la!
  7. @RaspaDura concordo contigo parceiro, mas ja levei em voo internacional e hoje me arrependo, mesmo nao tendo pego nada. Só de imaginar a dor de cabeca que poderia ter dado depois. É facil para os hermanos reclamarem de br atras de erva la, como se trouxessem a deles pra ca... ja salvei muito gringo de abstinencia por essas bandas. Mas entao, vamos ver como vai ta a cabeça em dezembro, mas provavel que deguste so a dos hermanos mesmo... Expocannabis po, nao e possivel que esteja dificil de conseguir algo.
  8. Salve mano @RaspaDura! Aqui ta fechadão tambem saindo de SP! Sobre levar a produça daqui pra la, estavamos na duvida aqui... Será que vale o risco? To achando que vou desfrutar das flores uruguaias por la mesmo pra não ter dor de cabeça! A ideia era voltar com seeds, quero ver como vamos fazer! Ah, lembrando que a EXPO não é uma COPA. Que eu saiba não tem essa de competição, degustação, etc.
  9. Fala rapaziada! Eu e um parceiro estamos fechando pelo tour daquele Micasa420, vamos ficar no hostel santa maria 420 em montevideu, vamo armar uma fumaça por la!
  10. @Ganjah Man achei que o intuito dessa parte do forum era esse, e nao sabia que tinha limite minimo de foto por topico, desculpa ai @userbr2016 e chines entao em watts reais nao chega nem perto disso, e tem mais 4 irmazinhas de outras cepas ali com ela. Todas igualmente lindas porem um pouco menos resinadas, ww sempre resulta em nevoeiro hahaha
  11. Salve rapaziada, segue foto que tirei da minha white x bb prestes a completar 5 semanas de flora! Led cob dominator 800w da bossled. To feliz com a menina, abs!
  12. Existe alguma técnica pra eu manter a planta pequena? Sim, pesquisar LST e CROPPING. Se logo no inicio da vega eu ja induzir floraçao pela luz, ela vai conseguir ter a flora em um porte pequeno? Sim. E em um porte pequeno seria melhor deixar ela crescer e florir pelo ramo principal ou fazer uma poda pra ramificar? Depende do seu espaço, porém eu sempre opto pelo LST (amarras) e cropping (podagem), pois aumenta muito o rendimento e diminui brutalmente a altura das plantas, caso essa seja o intuito.
  13. O risco sempre existe, porem voo Nacional costuma ser bem tranquilo. Ao inves do tenis recomendo o saco, abs!
  14. É complicado parceiro, esse ano faço 25 e completo 10 anos de chapação hahaha, sendo 6-7 de chapação intensa (cerca de 100grs por mês). A chapação intensa aumentou muito quando comecei a morar sozinho em outra cidade, mas dentro do possível não deixei de lado as minhas responsabilidades e, no mínimo, quando a água batia na bunda eu corria atrás e me formei numa boa faculdade há 2 anos atrás e hoje trabalho bastante. Porém como trabalho com produção audiovisual a fumaça continua intensa hahaha... Eu não fico nessa ladainha e admito que sou viciado mesmo, um vício psicológico, mas forte. Em algumas viagens de trabalho para lugares muito remotos/perigosos de portar erva eu cheguei a ficar 20-30 dias sem fumar e foi o máximo de tempo sem nesses 10 anos. Sentia claramente os efeitos tanto no "acelero cerebral" quanto na disposição do dia a dia, mas fazer o que, o chapado lifestyle me faz sentir muito bem hahaha era chegar no Brasil e voltar a chapação... Hoje vivo nessa busca do meio termo entre smoke two joints lifestyle e o uso mais consciente, como ja sou formado e tenho um bom emprego com uma boa renda acabo ficando "acomodado" e sempre adiando a diminuição do uso, mas já vi tantos casos de pessoas tão maconheiras como eu parando totalmente então por mais que ache difícil, nunca se sabe... No meu ramo mesmo eu conheço uns tiozão de 50-60 anos que me vê fumando ou sente o cheiro em mim e vem falar que na época deles fumava pra caralho etc e com a correria da vida acabaram parando. É engraçado quando rola confraternização e apresento as genéticas dos dias de hoje, os tiozão bêbado experimenta depois de 20-30 anos sem fumar e desacredita hahaha viagem, fico me imaginando nessa situação no futuro...