Ir para conteúdo
Growroom

Browman

Usuário Growroom
  • Total de itens

    29
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutral
  1. Olha corsário, infelizmente não podemos tirar sempre bons exemplos das leis brasileiras. Esse negócio da OMB é realmente uma bost*. Eu acho que quem deveria escolher quem toca ou não é o púublico, e não a OMB. Só vejo o pessoal reclamando. A OMB deveria ser uma associação, um sindicato, e não um orgão fiscalizador das atividades de músicos. Pois é um trabalho único. Seria o mesmo que ter ordem das tecelãs. Mas por outro lado, temos conselhos que servem para fiscalizar. Imagine que um médico faça trocentos erros médicos. Se ta errando demais, é por que não têm competência para ser médico. Se não há um conselho, quem punirá o médico e impedirá que o mesmo exerça a medicina? O que você fala, sobre manutenção do sistema, eu concordo plenamente. É a manuteeção do status quo. Mas ainda sim eu sou a favor de respeito as leis que tem sentido. Quando alguém dirige a 120 km/h na cidade, ele está botando a vida de um monte de gente em perigo. Quando alguém suborna um guarda por causa de ipva, há o aval para que as leis vão para o espaço. Não concordo com os impostos abusivos que existem aqui no Brasil sob nenhum aspecto, mas no momento em que damos o nosso jeitinho brasileiro, tal qual os senadores pois a lei não protege os mesmos e sim eles mesmos se protegem, damos oportunidade para um monte de situações, como gente andando a 120 km/h na cidade pq sabe que o guarda é subornável. Mas no final, ele vai bater em alguém naquela esquina ou vai subornar o guarda. Eu me pergunto se corromper o guarda para não pagar IPVA caro pra caramba é melhor do que levar multa. Coisas como essas transgressões podem ter efeito em cadeia. Eu acho que esse discussão não vai chegar a muito lugar, pois temos diferentes opiniões, sendo que respeito a sua inteiramente. O que eu acho que acontece é que nenhum de nos dóis tira um bom exemplo desta lei anti-drogas e de boa parte das leis brasileiras.
  2. Bem corsário, quero dizer que a lei realemente pode ser em muitos momentos discriminatória, revoltante, e até concordo que a democracia ainda tem quê de ditadura. Mas convenhamos... a ditadura não serve de comparação ao momento atual. Ali havia um força autoritária, os militares, que se utilizavam de força. Aqui estamos falando de um processo democrático nefasto. Mas ainda reitero o que eu disse. A culpa não é da lei. Enquanto grower e usuário eu quebro a lei. Sem dúvidas. Mas estou tranquilo a saber que prejudico apenas a mim, no ínfimo limite que a maconha pode trazer. Quanto a lei funcionar para minoria, é verdade. Mas porque não erguemos nossas vozes. O povo brasileiro não tem consciência política. Eu fico feliz toda vez que eu vejo algo de podre do congresso aparecer na mídia. É um começo. Fico feliz toda vez que abrem espaços para o diálogo sobre a legalização. É um começo. Aos poucos eu vou percebendo que uma hora vou ter que pegar esse bonde andando e aproveitar-me deste processo democrático nefasto para fazer algo de legal, na medida do possível. Já cansei de ficar esperando no sofá reclamando que tudo é injusto. As coisas estão melhorando e não querer ver isso, ou perder a oportunidade dada pela mínima abertura existente, é perder oportunidade.
  3. Realmente a propaganda feita de lá é outra.
  4. Caras, na boa... Essas colocações estão muito tendenciosas. Acho que a ONG se sentiu ofendida, mas não será com tais notas que vai mudar a opinião das pessoas, que eu acredito, só estavam direcionadas para o que o filme aponta. Afinal, a receptividade do filme advém da não da situação limite vivida pelo BOPE, e sim da situação limite vivida por boa parte dos brasileiros diante da criminalidade. A guerra no Rio de Janeiro é uma opinião apenas? Pode até ser. Os corpos estendidos no chão são fatos.
  5. Não estou afirmando. O corsário ou outro, realmente pode ajudar a dirimir esta questão.
  6. E se as leis não funcionam tão bem quanto deveriam, a culpa não é da lei. É de quem deveria respeitar, de quem deveria aplicar, quem deveria fiscalizar. Vai botar 10.000 pessoas gritando no congresso pro Renam sair. quero ver a minoria absolvê-lo. Mas aqui do nosso sofá é mais fácil e confortável ficarmos indignados.
  7. contra o tráfico. Plantamos e dormimos com a cabeça tranquila por não financiar a violência. Mesmo essa velhinha não podendo fazer mal a ninguém, de quem ela compra e ajuda a financiar surgem estragos. Não sou a favor desta lei que reprime alguém que não faz mal, como o usuário. Não seria contrário a alguém que vendesse sem provocar violência. Mas, mais cedo ou mais tarde, gente inocente se corrompe em um sistema falido. Por isso, NO COMÉRCIO.
  8. Heeheheh... também não sou muito fã deles, tirando algumas particularidades apenas. Mas corsário, como é a relação da violência lá? acho que com sua experiência tu pode contribuir.
  9. A polícia americana pode realmente ser uma bosta. Nem vou discutir isso. Mas convenhamos, os americanos em sua imensa maioria não experienciam, acredito eu, duas sensações: 1ª sensação: Insegurança enorme ao sair a noite, andar de dia em bairros tidos como perigoso, medo de roubarem carro ou serem assaltados a cada cruzamento ou esquina escura. 2ª sensação: Ser parado em uma blitz, não ter nada de errado (todos os cidadãos, não apenas nós), e ainda ficar nervosos. Uma coisa é certa, a polícia de lá consegue lidar com a criminalidade.
  10. Aliás, imaginem se chegássemos com uma proposta para os legisladores: -Defendemos a liberação por estes motivos e queremois a liberação total e irrestrita da maconha. Agora imagine se chegássemos com um proposta: -Defendemos a liberação por estes motivos e queremos que o uso seja regularizado desta forma. Mas, realmente É SÓ A MINHA OPINIÃO. Respeito quem pensa diferente.
  11. LFAC, eu também acredito que a proibição não é, nunca foi e nem será o melhor caminho... Mas você realemnte acha que a maconha será liberada que nem o cigarro e o álcool? Porque eu acho que nesse caso estaremos falando de UTOPIA. Opinião minha, respeito a dos outros. Nem na Holanda como podemos ver a maconha foi liberada de qualquer modo. Não adianta, o ser humano é hipócrita. Sobre ética de não se fumar em público e sobre máquinas de extorsão, bem talvez vou ser chacotado, mas é o que eu acho: o Brasileiro médio não conhece a palavra ética. Tem uma rapaz que estuda na minha sala e é PM, faz vigilância em bairros perigosos e uma vez ao ver um carinha fumando foi abordá-lo. Sabendo da nova lei mais benéfica, vocês sabem o que o usuário fez? segurou fumaça e soltou na cara dos PMs. Pra que isso? Consegue me responder? Caras, eu sei que tem porcos e não PMs (existem pessoas que são honestas na polícia, não adianta generalizar também), mas o cara só tava fazendo o trabalho dele. E o pior é que os caras nem deram uns tapas num otário desses (que merecia) porque sabem que eles que iam se dar mal. E com certeza haveira um maquinário extorsivo, pois há porcos e não PMs. Mas isso não é culpa da lei. Isto é culpa dos Brasileiros. Aliás já vimos até growers, que acreditamos normalmente serem pessoas mais instruídas e politizadas, que normalmente defendem a legalização, dizendo que plantar é só para ter "um fuminho melhor"... Adoro o Brasil, mas o povo escolhido para a terra prometida... O que eu estou colocando aqui desde o começo é que eu prefiro gente apenas me incomodando sobre minha parada do que a polícia federal batendo o pé na porta do meu apê e gritando "Tá preso seu traficante com 4 pés mirrados!". Eu acredito que a legalização não virá sem restrições. Logo, defendo restrições que tentem colaborar.
  12. Eu até entendo o que você quer dizer BC-Bud, mas realmente eu acho MUUUITO difícil chegar para nossos atuais legisladores, mesmo com todas as pesquisas que demonstram as reais consequências do uso de maconha, e dizer: Pô, tem que Liberar Geral! Incutir na visão dos mesmos que maconha é igual a álcool e tabaco, drogas socialmente aceitas, é no mínimo IMPOSSÍVEL!!! Para mim as mudanças ocorrem de forma gradual, ainda mais sendo a humanidade tão moralista, e ter a maconha legalizada porém restringida como uma droga de uso privado é muito mais interessante do que ter um pé mirrado no quintal e ser enquadrado como traficante. Tem que poder plantar como já dito, feito alface, mas não em quantidades absurdas também. Cara, eu nem só de beber muito também, prefiro fumar um baseado a fumar Tabaco (que eu acho nojento o cheiro e me incomoda muito em festas). Mas a multa pesada com certeza seria uma forma de tentar se restringir o uso para outros horários que não o diurno, quando a maioria da população está presente. No caso, a noite, você simplismente levaria in natura o beck (porte mínimo), sairia do local, bolaria, fumaria e voltava pra dentro, no sussego (como aliás OCORRE hoje em dia). Com certeza poderiamos ter problema com policiais corruptos querendo achacar grana dos usuários, mas isso não é culpa das leis e sim do Brasil... Mas eu prefiro pagar uma multa do que dar dinheiro para algum bandido (tanto policial quanto traficante). Para mim não vai adiantar, a legalização só virá com uma regulamentação diferente do álcool e do tabaco. Infelizmente ainda há muito preconceito.
  13. Vale a pena a descriminalização, mas não a legalização ampla e abstrata: -Consumo APENAS em locais privados e permitidos (Em casa ou em Koffeshops) -Venda APENAS e POR locais permitidios (Koffeshop) (Nada de grandes redes como a souza cruz tomando conta do mercado.) -Permissão para plantar. -Multa PESADÍSSIMA para utilização em locais público. (se mecher no bolso o pessoal toma consciência) -Multa FUDIDÍSSIMA para quem não compra de locais permitidos. (Quem não pode plantar tem que arcar com os custos dos impostos) -Porte PROIBIDO levando a multas (sim porte proibido, apenas legalizado para quantidades MÍNIMAS e nunca na forma de cigarros) [isso para não haver grande movimentação com a droga e não ser permitida a leva de grande quantidades, como por exemplo para festas, ou para venda] -EXPULSÃO do usuário que utilizar em local público tais como bares e danceterias. -ADVERTÊNCIA ao empregado que vai chapado para o trabalho, independente de ser uma eventualidade ou habitual. Sentindo se onerado, o empregador pode demitir por justa causa. (O pessoal, é só não dar na cara e produzir, por favor. Com a habitual embriaguez funciona assim, então acho que com maconha também deve valer.) Acho que são idéias válidas, para que não exista o consumo desenfreado. Deve-se respeitar o limite de quem não quer conviver com a droga, e acho que se importariam menos em saber que existe mas não precisam ver. Quem quer um direito garantido tem que saber respeitar coisas como a moral alheia, pois no final a imposição forçosa de um ponto de vista não resulta em diálogo, e acabamos chupando o dedo.
  14. BC_Bud, concordo com você, mas eu acho que ninguém ia se importar de comprar mais para garantir o consumo depois... E essa história de o que é proibido é mais gostoso, é uma coisa muito relativa... Acho que ninguém ia achar mais gostoso fumar na rua pra levar uma multa dura, como eu acho que no país de primeiro mundo que você frequentou, ningué fazia isso... Quando começar a mexer no bolso o pessoal vai ficar mais consciente... Sendo uma multa civil, seria bem mais de boa do que ir na delegacia e esperar pro juiz falar se é multa, trabalho comunitário ou cursos sobre saúde ou tá liberado e perrengue atoa... Agora, se a droga fosse discriminalizada e controlada, seria melhor do que ela criminalizada como é hoje... E acho que seria menos gostoso haja visto que menos proibido... E com certeza, conversa é a melhor forma de se resolver qualquer situação... A parte mais importante... Controle governamental é apenas para fazer com que as coisas sejam sérias, pois não adianta conversa se chega nas ruas e é um caos...
  15. Denius, sou totalmente a favor do que você disse... Venda restrita e consumo em locais restritos (Koffeshops)... Nada de grandes reder como a souza cruz fazendo becks... Consumo restrito a locais privados, Multas pesadas para consumo em locais públicos... Porte proibido (sim, porte proibido... multa também, porém menor que no consumo...) (na minha opinião, só vão começar a revistar o pessoal se der muita bandeira. E ae ficaria aquela coisa e ser "proibido" [proibido porque só se pegassem] levar em festas e tudo mais, tornaria o consumo privado desta forma.) Sei que muita gente é contra as minhas idéias. Mas eu sou também totalmente contrário ao que foi feito na marcha da maconha, gente fumando na marcha. Temos que definir se somos um movimento político ou "uns maconheiros" querendo chocar a sociedade.
×
×
  • Criar Novo...