LearnHow

Usuário Growroom
  • Total de itens

    163
  • Registro em

  • Última visita

    Nunca

Reputação

36 Excellent

4 Seguidores

Contact Methods

  • Website URL
    http://www.growroom.net
  • ICQ
    0

Profile Information

  • Location
    Fim do mundo!
  • Interests
    Cultivo de Cannabis
    Musica
    Publicidade & Marketing
    Viagens (sob efeito)
    e claro Fumar Cannabis

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. 14. A OMS não omitiu dados favoráveis à maconha por pressões políticas. Press-release da OMS: "A OMS não se curvou a pressões políticas ao publicar um relatório sobre a maconha" Recentemente, a revista britânica "New Scientist" publicou a denúncia de que a OMS teria suprimido informações favoráveis à maconha, na elaboração do documento "Cannabis: a health perspective and research agenda". A denúncia considera que os especialistas da OMS teriam omitido dados, em função de pressões políticas, no sentido de tentar evitar que grupos pró legalização da maconha utilizassem os dados, eventualmente, de "forma indevida". A OMS confirma a supressão dos dados. No entanto, alega que o fato se deu em função de um julgamento científico, não tendo qualquer relação com pressões políticas. Abaixo a tradução literal do Press- Release da OMS sobre a questão: Ao contrário do que foi divulgado no último número da revista "New Scientist", a Organização Mundial da Saúde (OMS) não "cedeu à pressões políticas" ao excluir, de um relatório recente, uma análise indicando que a cannabis seria mais segura do que o álcool ou tabaco. Esse documento, intitulado "Cannabis: a health perspective and research agenda", foi publicado como resultado do trabalho de um grupo de especialistas, em relação aos efeitos do uso da cannabis na saúde, que se reuniram em Genebra em maio de 1995. A informação contida no relatório final reflete um resumo dos aspectos, de artigos originais, considerados de consistência científica. A seção 13 refere a análise das possibilidades de comparar drogas lícitas, tais como álcool e tabaco, com cannabis. Entretanto, foi consenso que havia, por um lado, falta de confiabilidade epidemiológica dos estudos, e por outro, que as comparações eram mais especulativas do que científicas. Dessa forma, não houve tentativa de ocultar qualquer informação e a decisão, de não incluir as comparações na relatório final, foi baseada em um julgamento científico e não teve nenhuma relação com pressões políticas. A OMS está interessada nas conseqüências negativas de todas substâncias psicoativas, independentemente do critério legal. É sabido que existem 1,1 bilhões de usuários de tabaco no mundo e que 3,5 milhões de pessoas morrem todos os anos pelo uso de tabaco. Também é de conhecimento que o álcool provoca, pelo menos, três quartos de um milhão de mortes todos os anos e que o total de danos causados à sociedade é imenso. No que se refere a cannabis, tal avaliação global não é possível pela falta de informações confiáveis. É óbvio, entretanto, que o consumo de cannabis provoca inúmeros problemas à saúde e que o aumento de seu uso poderia piorar a situação. O artigo original intitulado "A comparative appraisal of the health and psychological consequences of alcohol, cannabis, nicotine and opiate use", cujas conclusões foram excluídas do relatório, continha várias contradições e conclusões sem consistência científica. Por exemplo, ele relata: "nós não tentamos apresentar estimativas do risco da cannabis para a saúde, no caso da prevalência de seu uso se equiparar às do álcool e tabaco. O que pode ser afirmado é que se a prevalência do consumo de cannabis aumentar ao nível do uso de cigarros e do consumo de álcool, seu impacto na saúde pública aumentaria. É impossível prever o quanto com qualquer precisão". Mesmo assim, os autores terminam o seu artigo dizendo: "existem boas razões para dizer que [a maconha] não seria páreo para o álcool e tabaco em relação aos riscos para a saúde pública mesmo se muitas pessoas passassem a usar cannabis como agora bebem álcool ou fumam tabaco". Tanto o artigo original quanto o relatório da OMS estão disponíveis através de pedidos para a Division of Mental Health and Substance Abuse, WHO, Geneva, Tel. (4122) 791.4791.
  2. como estava dito no post acima e uma BlackBerry..
  3. LearnHow

    futuro

    Extamente Lotus.. vc comandou.. se o cara faz por onde não sofrer tais "sequelas", utilizar a cabeça, ele nao tem problemas.. que tal ler um livro.. e estremamente importante a leitura para quem fuma.. pois exercita o raciocinio e a atenção durante o efeito.. a parada e curtir mais tambem nao eh se entregar! vamo se educar para educar o resto!
  4. Cara ela e boa sim ate por que e filha de dois bom breeders a dutch passion e a sensi seeds! o gosto dela ta muito bom bem skunk mais noa tao citrus assim.. a onda eu acho q não consigo explicar soh entendo q quando vc se da conta q vc nao ta mais doido jah se passou umA tarde inteira hehehehehe mais o bagulho ta bom... Valeu galera qualquer coisa estamos ai!
  5. Um camarãozinho recem colhido! Shaman (Dutch-Passion) x Shiva Shanti I (SensiSeeds)
  6. LearnHow

    Mistura de Solo ? ? ?

    Free o que eu tenho aqui ta sem caixinha mais vende em qualquer loja de jardinagem ou agricultura.. aqui por onde eu moro custa uns 4 reais o vidro q da pra umas 4 a 5 colheitas.. deixa eu passar na loja pra te dar o nome man fico te devendo esta!
  7. LearnHow

    Mistura de Solo ? ? ?

    Eu prefiro um solo diferente apenas Humus de MInhoca e Vermiculita, apos ela brotar as duas "folhas redondas" eu pingo 2 gotas de substrato para enraizamento para cada meio copo de água assim deixo ela por uns 30 a 45 dias apois isso faço outro solo, composto de terra preta, vermiculita, humus, casca de ovo moida e o que tiver de organico pela frente.. nessa terra soh ponho as femeas.. compro um adubo de florescimento e uso muito pouco soh para bombar um pouco a planta mais a ponto de nao ficar com tanto gosto de adubo!.. e estou satisfeito com minha produção Valeu!
  8. A idade para fumar maconha pra mim e quando a pessoa resolve depois de dizer milhoes de vezes nao para akilo ir atraz para esperimentar! ai sim ele ta com idade para fumar mesmo q atrapalhe o crescimento psicologico ou fisos oq for mais foi ele quem procurou ele quem foi atraz ninguem foi lah e induziu ele nem muito menos forçou.. ele quem procurou e se gostou e lhe causou algum dano foi ele conciente q procurou isso! pra mim e esta a idade de fumar quando a pessoa ta afim de verdade quando ela vai traz dakilo por vontade própria!
  9. LearnHow

    Decálogo

    Existe na natureza uma planta estratégica para o mundo moderno. Capaz de entrelaçar duas lutas vitais deste fim de século _ o desenvolvimento sustentável e as liberdades individuais. Cannabis é o nome da planta. Estratégica, porém proibida. A seguir, dez maneiras de dizer uma coisa só: Legalize! 1..... Não é de hoje que a cannabis é usada pelo homem. Em 2.800 antes de Cristo ela já era cultivada pelos chineses para extração de fibra. As caravelas usadas na descoberta da América tinham suas velas feitas a partir da cannabis (mais tarde, Napoleão tentaria liquidar a Marinha britânica barrando a chegada da cannabis russa). Estima-se que, no final do século passado, até 90% do papel usado no mundo provinha da cannabis, da qual foi feita a primeira Constituição dos Estados Unidos. Os primeiros jeans também foram feitos da fibra da planta. De uma maneira ou de outra, a cannabis atravessa toda a história da Humanidade. 2..... Seria, então, uma planta milagrosa? Quase. Da cannabis pode-se extrair 25 mil produtos de uso essencial para a sociedade moderna. Roupas, calçados, produtos de beleza, óleo de cozinha, chocolate, sabão em pó, papel, tintas, isolantes, combustível, material de construção, carrocerias de carro e muitos outros produtos fazem da cannabis uma matéria-prima valiosa para a indústria mundial. 3..... A cannabis sempre foi usada como instrumento religioso. Suas sementes eram queimadas pelos sacerdotes para produzir os transes místicos. Seu uso com fins recreativos começou entre os gregos, nos grandes banquetes. 4..... O uso industrial da cannabis foi em grande parte sufocado por uma campanha agressiva de um concorrente direto, a indústria do petróleo. Em 1940, Henry Ford chegou a produzir um carro com a fibra da cannabis e movido por óleo da semente da planta. Nos anos seguintes os conservadores norte-americanos procuraram estigmatizar a planta, atacando seu uso como droga e apelidando-a de Marijuana _ um apelo ao racismo contra os mexicanos. A campanha resultou na proibição da cannabis sativa nos EUA. 5..... Também no Brasil, as dificuldades para o uso industrial da cannabis provêm de uma campanha de viés racista contra a maconha. Os negros africanos que chegavam como escravos traziam as sementes em suas tangas e se reuniam à noite para fumar e cantar. Cientistas procuraram depreciar aquele hábito, tentando, sem sucesso, evitar sua difusão entre os brancos. 6..... A cannabis tem um grande poder medicinal. Na China era usada como anestésico. Hoje, é considerada um grande remédio contra o enjôo provocado pela quimioterapia contra o câncer. É aceita também no tratamento de glaucoma e pode ser usada contra a asma e o stress. Muitos pacientes com Aids a utilizam para abrir o apetite e ganhar peso, reunindo forças para resistir. 7..... As pesquisas médicas indicam que a cannabis faz menos mal que o tabaco ou o álcool. Diferente deste, é inofensiva para terceiros, pois não provoca agressividade ou descontrole emocional. Não há indícios de dependentes de cannabis nas clínicas brasileiras. Diz-se que a dose mortal de cannabis são dois quilos jogados do 25o andar de um prédio. 8..... A proibição do uso da cannabis tem sido o pretexto para uma das formas mais hipócritas de violência contra o cidadão. Pessoas de bem são abordadas como criminosas e arrancadas de sua tranquilidade, nos já famosos "teatros" de agressão e extorsão da polícia. A lei encaminhada no Congresso descriminalizando o usuário será um passo importante para abolir estas situações da vida brasileira. Mas a violência provocada pelo tráfico só será extinta com a liberação total da cannabis. 9..... Hoje, a cannabis é plantada na Hungria, França, Canadá, Inglaterra, Portugal, China e Espanha. Com pesquisas genéticas, o Brasil poderia produzir em três anos a semente da cannabis sem o THC (o princípio psicoativo), para uso industrial. 10..... A cannabis é uma matéria-prima estratégica para a sociedade sustentável. Ao contrário do petróleo, é um recurso renovável e limpo. Seu cultivo não necessita de agrotóxicos e tem alta performance produtiva, pois cresce em no máximo 110 dias (podendo ser associado a outras culturas). A cannabis favorece o princípio ecológico do desenvolvimento de regiões auto-sustentáveis, com plantações e fábricas lado a lado. A luta pela plantação da cannabis com uso industrial, já adotada por grifes internacionais como Adidas, Guess e Calvin Klein, é uma janela de otimismo para o futuro sustentável do planeta, após o fim do petróleo e seus derivados. A luta pela legalização da cannabis fumada por milhões de pessoas se insere no avanço das liberdades individuais, uma marca deste fim de século. As duas lutas já começaram no Brasil. Sinto-me orgulhoso por participar das duas e sentir que, no Brasil, já há as condições sociopolíticas para lançar a campanha que pode unir milhares de pessoas, iniciativas e criatividade política. É hora de discutir, agir e legalizar. Legalize!
  10. LearnHow

    BlueBerry!

    hummmm sem comentários...
  11. Ninguem, o crime nao compensa... tente fazer isso quem sabe vc tem mais e fala olha soh nao matei niguem soh me esforcei!
  12. LearnHow

    Dependencia ou não?

    A maconha causa dependencia ou não? Estudos realizados indicam que a Maconha causa sim dependencia quimica a quem se deixa depender por ela, pois, a primeira dependencia que a maconha da e a psicológica e você acha que precisa dela na verdade você quer ficar chapado.. mais com o decorrer do uso e quantidade a maconha, cujo principio ativo e o THC, retarda uma area do cerebro responsavel pelas vontades. Ai sim chegamos a dependencia quimica onde você percebe a "sequela" da pessoa. Este eo estágio critico mais comum, é aquela pessoa qe precisa de fumar um para beber um copo d´agua que precisa fumar um pra poder fazer alguma coisa. Mais mesmo esta dependencia quimica nao chega perto a dependncia de drogas (pesadas) quimicas, pois se a pessoa deixa de fumar o tanto q fumava ou para de uma vez (acho besteira) essa area do cerebro se recupera recuperando também a forca de vontade e animação da pessoa! KEEP SMOKING!
  13. A eu nunca fumei um fumo curado.. e que eu sou um cara muito apressado e nao consigo ver o fumo um tempo parado quero logo e fumar.. entaum deixa a cura pra ha e cura a mente com um bom e gostoso beck..