BudBrasil

Usuário Growroom
  • Total de itens

    1279
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    24

BudBrasil last won the day on March 30

BudBrasil had the most liked content!

Reputação

1528 Excellent

Sobre BudBrasil

  • Rank
    Cultive o bem, cultive cannabis!

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Jardim Livre
  • Interests
    Aprender sempre sobre cultivo de cannabis!!! Dividir meu cultivo com outros growers brasileiros.

Últimos Visitantes

2055 visualizações
  1. De Bud para Bud ...

    Era o @Saviovf + o Stuart enfim >>> as coisas por aqui tem uma pegada bem sentimental > foi tipo quando tive que servir o exercito sem ser voluntário >>> pelo menos atirei de bazuca e rastejei no mijo ... #%?f¹!

    Agora sou o @Bud Weiser.... Aguardando aquela sua letra sincera 

    Sds

     

    1. Mostrar comentários anteriores  %s mais
    2. Kblo Sujo

      Kblo Sujo

      @Bud Weiser devia ter mirado no sargento kkkkkkkkkkkkkkk

      se pa voce ate conheceu o bolsonaro, perdeu a chance de evitar um desastre kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    3. Bud Weiser

      Bud Weiser

      Ai @Kblo Sujo carai semana passada "nosso presidente " veio aqui na área ... fiquei a 10 metros do __________ !

      Tinha umas 50 esposas de milico gritando lindo! lindo! e um top Spiderman berrando viva a extrema direita ...

      Usando um termo do @F Punk ... loucuragem total !!!

      O caminho do Bem-te-ví tava fechado ... e  proibiram  o surf na Praia do Forte ...

      Não falei + granada é maneiro tb ..  voltei nos campos de Gericinó 30 anos depois como voluntário das Olimpíadas ...

      Pista de Mountain Bike que fizeram em cima ficou top ...  

      Sobrou só o parquinho de guerrilha urbana  

      Guerrilha urbana .JPG

    4. Kblo Sujo

      Kblo Sujo

      Chance única de salvar o Brasil e vc deixa passar assim kkkkkk 

  2. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Sou Bud e to bolado Enrolado num papel O fogo a brasa aquece Fumaça, sinto o mel O fel de quem me julga Me medem com vara curta Olho gordo fera surda Sobra sombra e surra Planta culta, cultive, curta Não entendem, ciência pura Me largaram morto na guia Animais de mente fria Desce sangue, sobre conta Defendendo sua ignorância Eu espalho esperança Por todo o globo quero amar Amsterdã na Holanda Califórnia, Canadá Passa de 33 os Estados dos Estados Unidos Uruguai, Portugal e um total de 30 países distintos Cadê os cursos de maconha? O plantio ta sem vergonha É o remédio d senhora A alegria da galera O beat bate forte Pesado como uma moby Coxinha teme e treme frito Na peneira cannabis gemi Proibiram porque perseguiam Perseguiam e não assumiam Agora assumem? Mentira atrapalha Racistas, canalhas, canalhas Capoeira, candomblé Se pudessem proibiam a feijoada do José Empresa de coibir Falta reagir Precisava existir O serviço é reprimir Tudo é droga Brinda aqui No cortiço tem maconha Faz mansão inexistir Comprimido é minha ganja Hoje consigo extrair Grande alento o elixir Chapa quente, fico a rir Bola pra frente Gavião e Estopim Nossa vida não está a venda Não se resume ao que fumo Ao que carrego comigo Genética do sim Lírica até que enfim Insanidade em mim CBD mais THC Doença some Planta honestamente Preconceito é semente Na mente sem paz e amor Morte por dinheiro nãon paga o valor Aprendi nesse meio O existir é direito Existo com defeitos Melhorando passa aqui To lendo, boas novas tenho Escuta ai A ciência comprovou Menor dano que o álcool Antitumoral afinal Protege neurônios, não o contrário Dores crônicas, tremores involuntários Diabetes, insônia, depressão Baixa pressão sem pressão Opressão, não é pressão Fibromialgia, epilepsia Dezenas de dores de cortesia Estudos apontam Pro fígado é bom Nos países do velho mundo Todos eles gostam Popular entre os mais velhos Mas o 16 quem assinou? O 33 forjou Dores, quem trouxe dores? Pra dizer que das flores não falo Não falo, faço Faço em guerrilha no mato Mato plantado tá caro Manga Rosa Genética nossa Landrance vinda da África Negros, mais um obrigado Cabeça de preto Outro to devendo Haze, Chem, Hashplant Breeders e verdadeiros seed´s bank Comprei no Natal Me dei muito bem Germinação 100% Flores durante todo o ano Matos do Brasil Bud monstro Monstro gentil Rima de quem repetiu Curta o som do mano Jardineiro opcional Maconha é do bem eu clamo Fume sua flor do quintal Essa é a preza que deixo Estica na seda Que eu já to bolado O erro é fato Me passa vaga e acesso Aceso meu baseado Não leve a mal nosso gesto Queremos livre nosso remédio Conselho de amigo prezado Preso peço pelo advogado Fuma e planta com cuidado Pondera e coordena seus passos Rega as flores sossegado Busca a Deus e amparo Artigo 28 é claro Esquece as dores do parto O filho que cresceu sem cuidados Conheceu uma planta rara Seu talento ele tem afinado De vidro são todos telhados Eu vivo melhor com cigarro Maconha recheio sincero Recreio sem receio acendo Escola melhor é o tempo O vento o beck consome Divido com todos a sorte De ter plantas desse porte Crescendo paz em terra nobre Eu vejo grandes imagens Só os loucos são aqueles que sabem Experimentam poucos sabores Lagartixa pelas paredes sobem A lagrima correu Na primeira vez que me diverti O gosto verteu Chance de sentir Proibam o seu Calhordas ali Saindo por aqui Esquivo no breu Maldade de brinde Não quero seguir Inscrito no crime Cannabis Livre
  3. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Vish... valeu mano!!! Pesado e ácido! Gosto dessa linha meio que bate em quem esta perto. (no caso das roupas)... só que não, porque não somos (eu não) boy... mas gostamos da camiseta e o boné... kkkkkkkkk... da vontade de toma né? kkkkkkkkk... então inspirou muitão... deixa eu explanar também aliadow?! Se eu estampo o mesmo trampo só que pirata Eu fico igual os irmão na noia dando paulada Inspiram confusão e ficam pegos Suspirando aflição e desespero Breck de rota Uso estampado no peito Quanto mais dela usaram Menos bandido eu pareço? sou da favela esse é o termo Não to de graça Não cheguei primeiro Se fui pedreiro, cansei de tudo Câncer da sul Fumo memo Sofro sulfrágios Louco errante Mente instigante Sai voado Marginal Alado Minha vida em Deus eu ponho Se é de luz Nas trevas ando Nos tempos da lei áurea Fui ouvir sobre vidas negras Todo respeito e pra quem tem Então mereça Aqui é feio o bixo pega a hora é essa De escanteio sobe no centro E cabeceia Cabreiro como sempre quem tem farpas Me preparei para esse dia Em toneladas Eu aguentei mais de mil bronca e vi várias fita errada De quem no bonde cedo esteve Nunca achei graça Nunca de farda E nem brincando Balanço berço de filho Vi feto em vidro É de Calvin Klein que inimigo cresce o olho Sonares sonoros de luz verde Que brilha e mostra entre paredes Iphone, ipode, só não pode sem eles Então é assim, assim que é, não passo aperto Trema e teime A chapa esquenta loco O coro come Um dia eu venço E não esquece Isso é lema desde o começo Roubar é mato, não faço 12 Se for dos nossos até debato faço enfeite Pede por nós e pelos vizinhos que nos persegue Todos iguais, tipo no mesmo bairro pobre Pipas pro ar a gente voa como pode Se o vermelho aparecer é logo os homi Ajuda nóis o procedê só corresponde Elo ali O meu viver sempre foi drama Não sou negro Mas meu branco exclama Sou mais por ser pobre Porquê o branco É referência De Rei Bravo Descendência portuguesa Assassinos de indígenas Então prefiro minha mescla Do índio eu vim Terra pra mim Eu planto e pronto E pranto é choro Já ajudei sem nem ver quem Atravessei o mar vermelho Estudei com sábios reis E lutei em guerras demais Cansei do amor por loucuras Deixei renascer a brandura E não fui rei, não desejei, eu não sou desses Só quis o bem Moeda vem Preciso dela Carmem e Lidia Ajuda sempre tem gente na perifa Se eu fosse rei eu logo me destituía E colocava uma consultora de família O primeiro desejo é do filho e da filha Mora bem, nunca só pra ela Agora é a da vez, mas prefere passar de mãe e pai Ela é os dois Eu tenho dito Como é ser mais Deus é mais Está desfeito Nós somos como feras da quebrada com brinquedos Por onde andamos, cada cilada que entramos Vielas e Becos Falo no olho, o papo é reto Vizinho bebe fica breaco Bate panela, veste camisa e reza o terço Defende ditadura, pede exército, Entrega a pátria ao americano Com os dono com champanhe e cachaça Achando lindo depois vindo de dedo na cara Eu que sou um trap sujo e dou paulada Não aguentou nenhuma bronca e dou risada Tem rato que cospe chumbo em função Tem justiceiro solto ai de montão Como se fossem da lei os capturadores Juízes e executores Quando nos jogam dos telhados Caímos aos milhares Na verdade Busque a consciência verdadeira Todos nós somos Betinho e Marielles Morre de fome, mata o corpo Fica o nome O ideal é imortal A ninguém pertence Que a ganja seja livre E mais amor emerja Desse pesadelo De perder a prenda E a nossa voz é em rap A poesia sangra Capitão contente Onde o bicho cria, afia os dentes e nada come Suínos se esgueirando como podem Me desejam como carne no açougue Meu osso é duro difícil quem o roer Verso corroe, não corto os pulsos Não faço dor Não trago vultos Nem temor Sou mais um fruto Ou uma flor Que faz no fundo Muito bem Mas sempre tem e toda vez vem o suíno Bolota tem, mas comer a do vizinho Mostram os dentes e bradam alto, eu amo lixo. Eu to no luxo Do sufoco eu saio ileso Fecho a casa, mando embora, bolo um plano Peito de aço to ligado eu não tenho Mas se cair é como cair atirando De tantos avisos, tantos toques Tanto falamos É mãos pra cima Dedos pro alto Eu to cansado Eu lá em cima Mas o sistema é lá de baixo São só alguns instantes Irmão, dinheiro é mato Vem viver meus dias E meus traumas do passado Quem vive a vida Tão difícil e conturbada Acha que frio e fome hoje foi superada mal fadado Eu quero a brisa quem diria o Brow é fato Escreveria, cerca em cinzas, cena rara Vasos e flores de maconha pela casa Horta, plante, planto, plena, planta, pronta, pruma leve Cresce e rega, sobe folha, fuma flor, vaporiza Boa fama, muita gana, sem os furia, sobra sombra Esquece a trama Que na lama vc desce Deixo agora essa levada e vamo então pro que se segue Insegurança as vezes da lembrança esquece Constrói a cama, confia em Deus, não se desfaça Origem deu ao que veio ao que viveu faça o que faça Sempre tenho alguns dos meus zelando em casa Agora o fariseu apareceu Apontou o dedo chamou de pulia Comparça seu ajoelhou chupou de graça Nunca viveu Só sofredão Veio a farsa Que me cometeu Com mentira bem velada De como eu Não cometeu Nenhuma falta Cria do Crime Sou eu mesmo Independente do que tu faça Agora é eu que falo pelo meu comparça Nem forneceu Com fiscalize Agora passa Só aprendeu Não ouviu que eu digue Deve estar de brisa Desse beck meu Que roubou no outro dia Do crack o breu Custando meia lenharia Paulada é triste Abala o dia e a familia Para os filhos deles Dos próprios coxinha Mesclei o creme Pra fode sua vida Mesclando o verde Vendo mais farinha Caiu do avião Na guerra as drogas Depois quero ver vir Vê vir o espadachim Derretendo a mente Pedindo na rua barco sem leme Poeta sem cão O cão sem a bala Palavra em vão Aqui não se fala pra troca um montão tamo na área Valeu irmão Assim que se fala Cê é um dos meus Cola sempre na área
  4. E ai cara !

    Meu first DW !!!Ontem...

    Ganhei uma chamada de moderação >>>  tipo merchan?!

    E fiquei orgulhoso quando comentaram que tb estavam lendo muito você man . Show!!

    Estou ativo no GR tem 4 meses.. A parada é louca ... Muita gente..

    Quem clica todo dia percebe ... Uns padrões ... Gerando vínculos ou não ....

    Vamos evoluir na filosofia !

    Aqui na área tá suave ... 

    Embora bem perto >>>  O que vale + 1 jovem negro ou 1 grama de pó ?

    Ninguém sabe mais morre uma pá 

    Pega visão 

     

    Por do Sol.JPG

    1. Saviovf

      Saviovf

      E o Dente de Leão ?

      Cultiva na borda do vaso ?

    2. BudBrasil

      BudBrasil

      Nossa irmão, falando em dente de leão. kkk... Hoje voltei do trampo metade de busão,metade a pé e no caminho fui catando dente de leão. Minhas coelhas e a iguana amam de paixão. Vish hein, voltei com um puta buquê!!!

      Show de bola... dá pra colocar na composteira também... ou só picar e por de mulch... serve também...

      Irmão, perdão a ignorância, mas o que é um DW?

      Os caras tão me lendo? kkkkkk... me senti agora... nada, somos nada, cannabis que salva!!! Minha intenção e ajudar a disseminar mesmo... cannabis pro Brasil... andei fazendo a alegria deuma galera da quebrada... fiquei bem feliz com eles tendo acesso ao bagui também..... kkkkkk,.... cannabis cura, alivia...

      muita treta por outro lado mano!!! As vezes parece eu(e familia) contra o mundo liga?!!! Foda pra kcete!!! Mas ta decidido, agora é isso e pronto. Fumo memo, sou quem sou e é essa porra que tem que mudar.

      Mas sempre protegido né?

      Que bom que no Rio ta assim a cena!!! Dos gambé pedirem pra apagar só e de boa. É assim que sempre devia ter sido. É assim que deve ser em todos os lugares. Show mano!!!

      A carne preta né mano, nossa sociedade é muito ignorante e preconceituosa, hipócrita.. gosta de viver atrás de uma imagem falsa... foda!!!

      Obrigado pela mensagem e abraço!!!

    3. Saviovf

      Saviovf

      Eai? Blz ? Koé ?

      DW >>>>  DAYS WON !!!

      Curte ?

       

      Marijuano Loco.jpg

  5. BudBrasil

    Poemas do Bud

    "E ai pessoal, antes de mais nada um abraço. Sabem, acho que toda poesia precisa ser trabalhada durante o tempo e lapidada com os dias. Então fico sempre me travando em publicar aqui. Parece meio responsa né não? Não quero o status quo que moveu a minha geração, não quero o status quo que move essa... não quero fama, só quero moeda. Quem muito na lama vive, resseca. Sou contra o sistema, mas não amo a miséria. Quem viu desde nascença a morte, não se comove com falta de sorte. Ser correria é sobrevivência, está no gene, nasce na gente. Sou brasileiro filho de quem rouba. Se arromba. Arrombado!!! Fiz essa hoje Meio boca torta, ta ligado? Segue, abraços..." Poesia é tipo fluoxetina Tira a depressão Me faz ligado tipo farinha O bolo no rolo da vida O papo é reto não inclina Nem direita, nem direita Só resista sinistro se vira Explanando a lírica No braço o corte, de quem não respira Soco forte, pinote, estica Pega o que tu pede E não pira A bronca é sua Se volta, é sabidão A bronca é sua Se marca, é sumidão Nem me pergunta Não é minha culpa Nem do dedo que puxa É do sistema que mata Dia de glória É Dia de luta Dia de festa A pernada foi dura Corri pelo beck Fui preso, malefeito Marginalizado desde cedo Fez de mim mais eu mesmo Obrigado o defeito O efeito foi pior Aprendendo sigo cego Enxergando o melhor Com o tempo Eu tenho tempo Que o tempo Intentar E que vento Sopre forte No moinho a beira mar É meu truta É meu amigo Esse velho Com respeito Vem chegando Cola o peito Pra isso agora Fomos feitos Dixava na palma Que acalma a alma Não fala na rua Só dentro de casa Que pala em familia É sempre risada Palavra de benção Amor sem dinheiro Não passo pano Não apadrinho Não compro fiado Faço meu caminho Do crime eu entendo Disso entendo bem Quantos kits eu levo Clientela já tem O centro da cena A hora o momento Aqui não vacilo É jogo num é treino Faça você mesmo Eu não posso um erro Não tremo na beira Não temo oceano Aqui as canetas que falam Leis e valores Os poetas são loucos Bandidos juizes O castelo é funk Isso só me fascina Batida de corações E as do DJ Cia Faça isso agora, vai lá traça o risco Só somos sábidos Sabiás sempre amigos Entendo o vôo, entenda os riscos Tem experiências Que só a rua dá Lição que faz de criança Homem Ritmo pesado Portal popular Porta de saída Cansei de entrar Não fico em festinha Arroz tem quem dá Eu não dou ideia Pra trouxa Esperança, destreza Esquerdas vivências Revoltadas certezas Prejudicadas cartas na mesa Aprendi desde nascença 89 Racionais era lema Hey Boy, Pânico na zona sul Consagração nos anos 90 Cia das letras Sequeladas destrezas De um disco de ouro Que eu tive a certeza O valor discutia Eu me punha em empreita Que Cypress Hill e maconha Eram coisa benéfica Com 15 anos consegui No Olimpia eu vi B-real, Sem Dog Primeira fila marcante Dispara e acaba com tudo Pernada Pipocada correndo sem rumo Serra pelada Corpos no chão Vazando a pala Justiceiros surgiram Quase do nada Policial não ajuda pretada Favelada Gente de vida jogada Dificuldades expostas na cara Agora querem o fumo Que ele trouxera O negro é tudo É homem vivência O monstro é a multidão Multidão que dispara O dedo na televisão Mas devia quebra-la O que não se expressa Também se confessa Que seja pro bem Tudo que a gente lidera Libera a erva lidera Libera Lidera Libera pra gente deveras Libera pra ela Lidera Business Money Pondera Natureza mais sabia Que Albert Einstein Fez a maconha que você absorve Relaxa seu corpo, sua mente sobe Cabeça balão Falaram as vozes Sou eu cabeção Sempre quero o pote Se fumo sozinho Então fico legal Mas quando divido Eu caso, é fatal Se coloco o meu verde Me arregalam os olhos Eu digo é presente Não estou muito errado O Malote é meu Eu sou o malote Levaram pro breu Seu filho sem sorte Eles querem eles pedem Eu digo que plante Mas eles tem medo Do brilho ofuscante O cheiro distante Eu digo eu sei Escolha o que plante E diga achei Sem cheiro já tive Mas gosto bastante Não plante no chão No chão eu não planto Gigante gigante Que quero pra mim Aroma não menos É muito marfim Não mate elefante Pra moeda extrair Duas ou mais médias Cota a definir A vega escolhe Escolhe a flora Se liga na cena Muda tudo de hora Deixa uma florindo E mano, espera Depois de um ventinho O cheiro dispersa No mais tenho uma dama Toda noite a espera Ela é linda, inteligente e sincera Cheirosa à vera Não é daninha a porra da erva A sálvia e temperos Aproveita essa linha Organiza sua vida Com qualidade do orgânico Fumo um todo dia Daquele que trata o corpo A mente em fadiga Então você que proíbe Fica aqui uma dica Não cola na banca Minha vida não é rifa Chupa essa manga E o caroço enfia Coloca na sua lista Maconha e bom dia! Do meu lado a ciência A dita na tua Eu coerência Vc truculência e tortura Erva santa, engole outra Sexo com amor É bem melhor Experimente Somos todos gernes do mesmo cerne Cercamos mentes Geralmente perenes Passeios por vezes Cem vezes menores A américa do norte Descobre E usa cannabis Como pode A sua bussola Aponta onde? Fato que adorne Geração que consome Percebe? Depende? Ninguém me entende Todos consomem Eu quero que queime O circo se forme Pra que doa neles Nos que se julgam melhores Se fosse a chuva azeda E o ácido fervesse Queria ver A beleza permanente Estou fora, sou feio Mas sou foda no feito No cartaz “Maloqueiro” Pra saber mais que todos eles Sobre a vida Entre a Arte e o crime Sabota ensinou pra mim Não vamos desistir Resisto pois existo É tudo em mim São vozes assim Não negue o mel Sem conhecer o seu fél Cruel, cuidado com ex coronel de quartel Ex fuzileiro naval O justiceiro afinal Que faz vitima e sai Só por "sermos nós marginais" Filho de desembargou tráfica arma na moral Senador narco traficante, normal Tudo a pampa na maior Enquanto eu que sou o homem mal? Trancafiado tremulo trepidante Trepidado Tribulação Espancamentos e enclausuramentos Torturas e inação Os anos não passam As horas também não O perigo aumenta Conforme aumenta opressão Faltou minha cor Sou branco/ não creio Filho da burguesia/só vendo A palavra nível Nivelando tudo Disniveladamente Desvelamos tudo Dissolutamente Sequestramos tu Pensamentos pesadelos Pesando o luto Fui a expressão mais racista: A ovelha negra da familia! Agora devíamos chamar branca Caucasiana a Maldita Abracei o estigma Aprendi a cartilha Se com 12 mais do que os de 30 sabia Com 39, meto o pé no paradigma Cheguei pros cria Tardio, atrasado Essa é minha sina Novidade no fim do Ato Coloca na seda Destribui e estica Passa a goma primeiro na parte de cima Enrola com maestria Coloca uma piteira, liga Tra pronto o cone Apresenta na mesa Arrepia Aroma, terpenos Sabores amenos Comparças sorrindo Amigos cannabis fazendo Primeira bongada é minha Maconha contra o câncer Maconha anti-tumorigena Fuma, da um dab ou então vaporiza Maconha no almoço De entrada E saída Respeita a aula Memória que fica Em ação, agia Adrenalina Me anima Passagem Ta no meu nome Não preciso de sorte Proceder é o creme Não é crime ser gente O crime existe competente Ele tem seu lugar Já que a miséria Insiste Em ocupar lar Não arrisque Se liga parceiro Olha lá o acinte Bud Brasileiro Fim da tripe.
  6. BudBrasil

    Poemas do Bud

    poema, pomada, pondera, produza, por sorte, por norte, em protesto Pro verbo certo ao menos um resto Um beco sincero Movimento correto Um salve pro corre Aviso dos verme Medida sincera Quem liga é quem morre Se liga na área Caiu na rede é peixe Eu bato o penalti Compreende Cannabis sempre esteve Sempre estará Com a gente Mas claro Vocês podem levar algumas sementes Presente
  7. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Vish @Grilohk, e eu achei que ia reler essa pedrada e encontro a tijolada do Djonga na cena... fiquei atésatisfeito... Mas a ideia é te responder e o tema, já que se me mandou uma pedrada, é te mandar uma paulada... kkkkkkkk.... (vou te ler de novo, um dia a gente brinca junto de verdade... espero estar melhor até lá... kkkkk) é da um tempo, peguei o beat errado mas que fardo levo de onda de olho em fardado direitos humanos é direito dos manos mesmo E aí playboy arrombado sou eu quem preciso que não cuspam na minha cara Ta ligado? Sou eu o braço arrancado Pisado coturnos com ratos Mas eu sou safo Até samba faço Me põe uma caneta na mão Rebolo, Tantã, surdão Sempre me toca o grave Tragédia sinistra Grave conduta Gravado nos ossos A negra visão Sou um branco que adora a negritude me trouxeram a maconha Deus ilumine Manga Rosa, Cabeça Preta Primeiros homens com certeza Sobreviveram ao movimento das placas tectonicas Receberam a luz do sol por muitas gerações anteriores Não estou me excedendo Ferido gravemente A pedrada de 20 paus Uma paulada na mente A cada sinal A pasta derrete A luz brilha A mente aquece A luz silencia Sou excedente até em família Estigmas do emaconhado Drogado o fraco maior vulnerável até viado Sério, fato E se fosse era orgulho E não o contrário se liga malaco Encontraram-me jogado Mas nunca de quatro Pai mesmo Só se eu fosse outro filho De novo nascido Novamente gerado Menos revoltado Pediam-me a causa ferrado fodido e mal pago Gerido comuna Comunidades que nasço Pros que ainda se jogam um abraço Campo Limpo, Capão, zona sul São Cristovão Carandiru, Piqueri São Matheus, Vila Formosa Brasilândia, Pompéia Vila Ipojuca, Lapa Barra Funda Joaniza Pirituba, Paulista Uma São Paulo toda Zona profunda Tem canto que nem residi Mas sai dali mais foda Mais sujeito homem Responsa Sempre no jeito Papo reto E um corre de respeito Sempre me emprenho Força total no meu terreno Planto maconha eu mesmo Germino a semente no pano No dia seguinte o rabinho aponto Direto pro vaso orgânico Dois meses de luz complementando 2 meses de flora vai mano Não fuma essa porra Tem loco pra tudo Paraguaia é que vem colhida antes Ataque de ansiedade E vc para defumar maconha Tadinha, coitada Você nunca soube o que fuma Mijo, barata, conservantes Desgraças Energia que passa Que nem mal comparça Falou de mim pra mim mesmo o guela Cannabis boa remessa Deixa que seca, em 5 nessa nossa região Uma cura, menino bud vira o tal Um bud du bão Por menor que seja Resina e aroma Fortaleza Fortaleça cHapa qualquer um Faz qualquer cabeça Alegria em comum come on o que mais queria o que quer a periferia A cannabis é amiga É do bem essa pule Essa é a minha fita Nossa minha minha nossa Eloquencia essas hora Só citando Sabota "Pode cre mano Essa é a sigla Ae a quadrilha se une Pra fazer a fita É o enxame é a zica" A familia ta aqui Ta unida Pra fazer a cena E concluir o filme Primeira à esquerda Eu odeio seguir a direita Não ando direito E o que dela se aproxima de mim Eu bem sei É só manipulação e mentira Deacordo com vetos A nossa cannabis Eu que acordo Mais cedo Querendo Café e pãozinho Com pressa Sem medo Sereno Baseio Acendo Terreno Terpenos Veremos Pestilos queimados Tricomas âmbares Alguns ao menos Amenos Conselho Minha mente Meu cerne Pacifico Mas não tente Cannabis Pra mente Se mente Se mede As regras Quem sabe Pra sempre Semente Cê cresce E tese Ideias Diferente Natureza Da gente Tranforme Recicle Transborde Dividi Com a fome Nasce o crime E maconha É sublime Não profana è o seguinte Estuda essa porra E depois viralize poema
  8. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Brasil atrasado? Conservador de valores inúteis, preconceituosos e de diversas formas danosos? kkkkkk.... Valeu ai @Saviovf, 82 já estavámos no mundão... kkkk Se protege mesmo. Aqui ta limpeza, mesmo assim tem uns caras que não ficam. Mas vai saber o contexto que os cerca. Enfim... mano exterior Califa!!! Se é loco, sonho de qualquer maconheiro... ou não maconheiro também... kkkk... parabéns aproveita. Eu já to no insta também. Mas o e-mail é o do bud mesmo e com outra maneira de criação. Mesmo assim fico ligeiro e preocupado sempre. kkkkkkkk... foda-se a proibição. Ela acabou já. A ciência já derrubou. Agora só resta os conservadores que bradam como hienas suas palavras sem nexo algum, sem verdade, portanto são comos prego na areia. Vamos ventar nessa porra!!! Cai babylon cai... https://www.youtube.com/watch?v=Nt01A2fmA0c Valeu mano!!! Abração
  9. Mano, também vi a série. Já sabia que os caras romanceavam, óbvio. Mas conheci um irmão dono de growshop que esteve hospedado e trabalhando dentro de fazendas em Humbolt. E diz que esse cara que morreu era o maior boca aberta lá e que não é nada violento, cita a série (romanceada)... mesmo assim também gostei de assistir. Qualquer coisa com tema cannábico me faz a mente... kkkkk To com a Lemon Thai Kush com quase um mês, bem grande já... a Blue Dream já com quase duas semanas de vida. Uma seed de Blue Fire.. Acho uma cooperativa excelente e deve ser uma comunidade linda! Vlw abraço
  10. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Rio de Janeiro é show!!! Maior respeito pela periferia dai também, vixi... Poxa irmão?! Obrigado pelas palavras! Essa semana estou fechando minha proteção virtual, baguiu vai melhorar e ai vou habitar outros locais também. Por enquanto só fico aqui porque o GR nos protege totalmente. Não precisa nem ter anti virus, kkkk, to exagerando. É que pra ter acesso a nosso email eles teriam que fazer acordo entre países ou sconseguir passar a segurança do hospedeiro. Acho meio ruim disso acontecer. Então eu usei sempre sem medo. Agora to com umas pule ai e isso vai permitir que eu vá fazer login em sites hospedados aqui no Brasil mesmo. Ai sim... to pensando em fazer até canal no youtube, mas vou trocar ideia com a galera aqui do GR, se pá eles até ajudam... vamos ver. Tudo pela legalização dessa planta mesmo... deus ajude!!! obrigado e um grande abraço "Há homens que lutam por dias e são bons, há outros que lutam meses e são melhorres, porém há os que lutam a vida toda. Esses são imprecindíveis." b.b. (como ele usava, Bertolt Brecht)
  11. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Pucha,solta... puxa prende solta... Meu canto trás revolta Criado a luz da lua Em volta só rotunda Solta a bola Prende passa Solta o preso Meu comparça Aqui a terra é cara, prende e puxa Mais que preta se prepara Recolhe a tua nem se compara Trabalho afinco e multimarca Brasil meu único visto Eu to em casa Mesmo que o mundo todo agora saiba Vamos então estampar na cara A policia para e peita e essa peita nem se compara Aguento o tranco, é só maconha seu senhor, remediada Eu casco o bico, o bico eu casco Tanta gente recriminava Agora aguenta A mesma ginga, ainda faço Eu do risada Maconha fumo, maconha eu faço Misturo as mina e esculacho O som do Brown na caixa eu bato O surdo fica pequeno perceba É grave Chemdog e uma onça Semente santa Anos 80 Skunk a venda 24k só no suporte Gorilla Ghost O time é forte!!! Tem até um tal ciclista Colando sempre Sobe centro, desce norte Bate dentro, bate forte Algumas são como tempero do norte Ou queijo de Minas No sul são como carne divina Semente que brota Que cresce sem zica Trazendo milhares De flores lindas O grosso do caule El gigante no México A chemdawg eu trago Resinando a décadas 88G13 ano que nasceste Hashplant Demente Derretendo a dor dessa gente Dispertando as mentes Pra gente É quente Semente Pra mim Gene Distante e dispare Incomum Mais antiga e comum Mas sem grilo algum Eu me meto no meio Eu lhe faço um atrito Assim vc passa e sinistro Se torna em afinco Mais um, mas nenhum Sonho no room Panos aos mil Sonata silenciosa Só com os lábios Ou em côncavo Contato entrópico Sangue que não vejo Seiva Dores distantes Saudades no vento Lamentos em enterros Sofremos, saímos, sentimos Entramos O senso é comum Mas nem tanto Não a espaço pro tempo Humano ou vegetal Só o ato no antro Nascente Escorre meu sangue por rochas lisas Mostrando ao homem a força da Bica Nascendo de novo em sofridas Matando mente de gente frívola Mesquinhos querendo o deus dessa vida Dinheiro e o metal que mais brilho reluza Sucesso é ser, ser é ter, ter é estar Estar e fugir, lutar e morrer, amar e amar Pedir pra ficar é ser ou ter pra ser sem estar Prefiro manter o distante Mesmo que entrasse Já entrei muitas vezes Passado do lado Futuro distante Heróis em naufrágio Voltando os grandes Profetas de bairro Rimadores sinceros Racionais do verbo É só o que eu quero Mas claro Uma gigante do lado Um disco rodando Familia brincando Todo mundo rindo Mas eu sinto e sinto Mudança de planos Mesmo porque A morte é dos fracos Eu ando e amo O corpo funcionando Rima a textar Eu lamento um dia ser, ter e estar Entendo agora o meu nem vem, nem vai Eu quero só beijos e sonhos amar Deslizei de skate na ladeira nascente da vida E entrei na gruta escondida A luz me tomou entenebrecida Focou no que fui saber A frondosa, cheirosa e divina Cannabis Sativa Sativa b.b.
  12. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Cannabis vida sina siga sempre siga Os racistas ganharam hoje e prosseguem Os suprematistas fazem planos para oito anos O mercado se acalma, tudo vai melhorar Nenhuma voz contrária mais O som é o das hienas Rasgando carne e rosnando pelo seu pedaço Risos frenéticos de canto, de lado Como algo malvado, ganho roubado Em toda terra burguesa Grande e extensa Se grita opressão Foi apenas dado início E luzes já se apagam Sem som de estrondo Som da dor que mãe sente O povo cala consente Silenciosa foi a volta do ronco no estomâgo E do grito de favelado do caralho!!! Cuidado Fique de canto, de ixe de lado Prefira a livros que armas Ta ligado? Prefira um limpo cultivo Que fumo de prensado Só volta O que foi enviado Ta ligado? Sou mago Profeta de religião libertária Sou só nessa humana seara Conto com familia E mais nada Te envio nesse pacote 20g Buds bem cuidados Mais tratados, resinados Frutado e outros fedorentos Daqueles que só a gente sabe o cheiro Dos que entortam também toma cuidado Cabeça gorda espero uma super dose Sei da sua dor e da sua fome Espero que melhore, por favor, melhore Cannabis alivia ajuste a dose Pra sua vida desejo viva Que o mais ela consome A vontade vc consome Ela vai exigir O melhor pra nossa vida Então vamo extrair To abrindo um pacote enviado por ti Chegou numa carreta, vai vendo o crime Só pode ser de mano distante sentimo sorrir Desperta minha mente o bagulho é assim O alerta pondera Traição é mato, anonimato é a meta Pseudo programado como homem bomba Mente aberta, pronta pra se fecha Penetra meu corpo, trás dor, faz chorar Palavra canalha, não faz eu falar Resistência prolifera como fungo em terra úmida Eu falo nessa porra bpm é coisa louca Deixo presa Estica na brasileira Acende esse cone Muda dessa casa Planta nessa seda O bud é de manga A Rosa ta acesa Acessa essa lenda Menina que brota na cena Amigo que se chama firmeza Familia na mesa a fartura Trabalho é coisa amena Maconha também sara Maconha também cura Maconha também alerta Maconha também satura Ninguém morre de tanto fumar maconha A gente só dorme e sonha Ataca a dona geladeira de noite Risada alta as vezes Acaso e sentenças Julgaram minha blusa Calça big e bombeta Meu bobo jaco do Bob nos anos 90 Único branco presente no Clube da Cidade No show dos Racionais Talismã de bonde São Bento era breque, até dancei break Curtia Hip Hop desde Kris Kross com jump e naught be nature's Hip Hop hooray treta naquele estacionamento com mais mil Aos quatorze, juventude interrompida E vc vem me falar que não é seguro E vc vem me falar que agora é mais seguro Compro lá do Paraguai o armamento Me livrem desse Paraguai prefiro livros Me perdõesm cidadão e país lindo Somos todos irmãos Mas porra de prensado do caralho Faz caminho de luz ficar desnorteado Poço fundo de viciado Para Tenho hora Geste espera Amor que brota Boca’s Exemplo eu sei Exemplo pra ser Exemplo pra dar Exemplo se faz Preciso que saibam Preciso que entendam Essa boa nova lançar Cannabis maconha da boa “é o que há” É o que tá tendo É o que é Pronuncia comigo Me – di – ca – men – to Compreenda comprimido Cumprimento com sentido Comprimento consentido Os riscos desse nicho Pela planta nós lutamos E na liberdade de plantá-la Pra nós ela é Santa Não desprezem nossos votos sinceros I have a dream Da maconha somos seus adeptos Enquanto existe Ambev Alcóol insalubre Remédio só pra morte Enquanto a gente vaporiza Ou ingere com algo Brigadeiro quer que ensine Acompanha ao dormitório ou sofá Sobra sombra sem sentido E todos olhos comunicam Mas o vermelho é que é de vicio Abre o olho você ocidente O oriente não é nosso Escolheram presidente Agora acompanhe esse monstro O monstro aqui sangra a esmo Tudo é o agora, agora eu vejo Esse tempo é nosso, é nosso esse tempo Segurança faço eu mesmo Os que eu conheço Somam 3 De atitude e sujeito Sempre sem temer A voz de Rei se faz uma vez Só o forte que fala e faz Cintura pesada em periferia É arma guardada em cofre na gringa Opressão não prossiga Dependem de nós esses genocidas De nós nos calarmos diante das fitas De ficarmos estáticos, mortos em vida A força em cima da cinza Amarela a mente nada vazias Prosseguiam duros dias, duros dias Vocês não entenderam nada de mitologia Sisifu e uma tentativa infinita Rolando a pedra pra cima Tendia, sabia que a força existia E muitas vezes, muito antes desistia Em outras nem força fazia Sentia a terra tremer, mas sentia A Deusa mãe Terra Precisa, precisa Todos que plantam a alma grita Legaliza, legaliza O que entende sinaliza E fala e briga Cannabis é arte, cannabis é vida Cultive e plante ela zem Ela vem para o bem Ela tem muitos gene Liberem pra quem, faz qualquer coisa Como medicina a tem, e também Demora que atrasa a mente brasileira A sino no sino dos burros ressoa Já toca nos altos Olímpos, planetas O conservador militar Brasil Debruçado no ser hostil Se achando viril Por portar uma arma E um plano de vida imbecil Diante de uma cena se caga Eu tenho um sonho, um sonho eu tenho Quintais como sonhos certeiros Daqueles que se aposta o emprego A moral e o tal do respeito Hoje tem boy que grita fácil Eu só planto, não passo Sou homem de bem Não uso do tráfico Então muito que bem Continua o compasso Eu planto a mão na sua cara Eu chego e cuspo o aço Os caras sempre beberam do crime Agora querem só creme, quem vive Só nego pipoqueiro com herança de pai Agora se afogam no sangue e jáz Aqui quem come é só gueto E bebe e sabe o que ta bebendo Ta com fome Vai roda no terrero Que santo aqui nunca baixa E ninguém faz esse milagre De transformar playboy Em sujeito homem Chegou o dia do levante Dessa maca ambulante Da desinformação que trai E de vidas marginalizadas demais b.b.
  13. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Terra Amiga Foi foda ferrou fudeu tudo Eu sempre a ovelha mais negra do mundo De pele branca e cara de vagabundo Empilhei batalhas, inumeras pessoais As mais bravas? Contra o próprio sistema satanás Que logo que nascemos nos bordam emblemas Necessidades, religião e moral Tudo tudo tudo terceirizado Paga pra viver ai otário Familia pobre sem nenhuma condição Com tantos filhos a mãe não encontra mais trabalho não Somos todos filhos da exclusão Filhos da exclusão Exclusão Não Não O caralho!!! Pé na porta, peito é chumbo Se os cachorro aparece nos troca tudo Bate boca, puxa pino Bom bandido troca tiro E sai vivo Só que eles só falam dos que morrem Ficamos gratos E saimos Faz um dedo, pisa fundo Chega fofo, sem barulho Representa pra familia Ética e moral duramente construídas Favela, capacho, já fui Um em cada esquina Ainda sou... sistema show Derruba, pisa em cima, chuta Respeita a macumba Respeita a d5 Transformamos trevas em fogo e incentivo CInza Branca Negro Drama Negra Causa Falsa Fama Acompanhamos a trama O golpe seleto sincero direto no reto Do povo pudico, fudido e privado Em controverso e sinistros Rompem em flores com terpenos distintos Em musicos, atletas e agora mais doutores distintos Negras, negros, minorias e pobres em geral Os que são humildes Muitos estão escondidos São todos vocês meus amigos Sabidos Sentimo-nos como em círculo Chamamos nos pela mente em sentidos Obrigado pelas palavras em pensamento Luz pensante Translúcida e deslumbrante Me puxam adiante Me firmam no instante Me trazem amor Me avisam de dor Me preparam em ardor O estado da pele do braço Os pelos constantantemente semi arrepiados Carrego não contrário Contrario ao verso É como estar no escuro de zona desconhecida Sombras em curvas Aos lados só paredes enormes O escuro da viela Falta chama vela Luz piscando Só vejo bicho solto E moradores na responsa As vezes são roubados por algum porra louca Mas se contam lá pro 12 Tudo aquilo é resolvido No ato se pega a raposa Então o que faz a veraneio A Blazer, cavera QUando eu vejo penso que é zumbi Locos por mais uma cabeça Assim vão se sentindo iguais Porrada de policiais Primeiros que ensinam que bater ensina mais Ensina violoência violência ensiná O mundo me disseram é você quem faz Irmão eu to na paz Planto mato amadeirado no quintal sem satanás Pra quem já viu a morte tanto quanto viu natal Hoje ouve rap e ainda o olho brilha é demais A boca beija, a perna corre A mente cria, a mão percorre Plantas únicas O cheiro sobe A semente que germina e pá A terra precisa de tempo aindá Transformando a própria sina De ser consumida De sustentar um ecosistema Terra mãe, terra amiga b.b.
  14. BudBrasil

    Poemas do Bud

    Poxa Punk!!! quem fica quase sem palavras sou eu. Sempre aparece uns irmão, que parecem bater nas ideias e no "santo" né, como tu. Obrigado mano!!! É muito gostoso isso. Fico grato e honrado. As vezes fico montando uma festinha aqui no quintal só com a presença de irmãos como você. Aqui na real a gente não divide com ninguém né mano... kkkkkk... ia adorar receber a growera e familia. Um dia a gente faz essa cena. Tamo junto!!! Valeu a presença. Abração