Ir para conteúdo
Growroom

oaaway

Usuário Growroom
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Últimos Visitantes

640 visualizações

oaaway's Achievements

Newbie

Newbie (1/14)

2

Reputação

  1. " [...] O jardim é um vínculo concreto com a vida e a morte. Seria mesmo possível dizer que existe uma religião dos jardins, pois eles nos ensinam profundas lições espirituais e psicológicas. Qualquer coisa que possa acontecer a um jardim pode acontecer à alma e à psique — excesso de água, falta de água, pragas, calor, tempestades, enchentes, invasões, milagres, ressecamento, reverdecimento, bênçãos, cura. Durante a existência do jardim, a mulher escreve um diário, registrando os sinais de doação de vida e de retirada de vida. Cada registro ajuda a formar uma sopa psíquica. No jardim, adquirimos prática para deixar que pensamentos, idéias, preferências, desejos e até mesmo amores vivam e morram. Plantamos, arrancamos, enterramos. Secamos sementes, fazemos a semeadura, protegemos as plantinhas. O jardim é uma prática de meditação, a de dizer a hora de alguma coisa morrer. No jardim, podemos ver chegar a hora de desfrutar e a hora da regressão. No jardim, estamos nos movendo de acordo com a inspiração e a expiração da grande natureza selvagem, não contra ela. Através dessa meditação, reconhecemos que o ciclo da vida-morte-vida é natural. Tanto o lado da mulher selvagem que dá a vida quanto aquele que distribui a morte estão esperando um contato amigo, esperando ser amados para sempre. Nesse processo, nós nos tornamos como a natureza selvagem cíclica. Temos a capacidade de infundir energia e reforçar a vida, sem atrapalhar o que vai morrer. [...] " Clarissa Pinkola Estés sobre mulheres e jardins, no capítulo 3, página 76 do livro Mulheres que Correm com os Lobos Achei legal trazer esse trecho aqui, porque resume bem a jornada de entendimento que você adquire ao ter um jardim, principalmente de marihuana... Beijos
  2. oaaway

    Dúvida

    Vish, filho... complicado. só tive vibes boas até hoje, com os dois. É fato que a lombra com um natural vai mais longe... Mas tu tem que estar bem pra fumar, com pessoas com a mesma energia que você. Pode ser que com o natural vc fique tão em paz que nem tenha nada... Mas pode ser que seja mais foda pra tu voltar (acho difícil), mas ae... Conta mais dessas experiências. Por que acha que rolou? Quem te pesou?
  3. oaaway

    Viajando por dias

    Eu sei que se eu fumar eu fico meio truvado por dias e sei que a sensação é gradual, vai passando aos poucos. É uma condição, né? Uma consequência do uso. Pra mim, não é uma consequência boa ou ruim. É uma consequência, sabe? Vantagens: estou menos acelerado, um pouco mais criativo. Desvantagem: estou meio lerdo e indisposto. Mas é exatamente isso que você falou: sem excessos. De nada. Tudo em excesso faz mal. Eu estou conhecendo a maconha, então não sei se vou parar ou continuar. A maconha entrou na minha vida depois de muito conservadorismo. Eu sou um ativista anarquista, e uma coisa que não podem falar a meu respeito é que eu sou hipócrita. Na verdade, as pessoas brigam comigo justamente por não ser. Eu moro na periferia e vi e ouvi muitos casos de pessoas que o tráfico condenou das piores maneiras possíveis, então eu sempre procurarei manter distância dele, inclusive pra evitar o menor incentivo que eu possa exercer: a compra. Pra mim, isso e efeito da droga parecem os ingredientes perfeitos pro Governo/Estado foder com a gente o tanto que eles quiserem, porque eles não fumam maconha. A droga que eles usam é bem diferente da maconha. Então nós ficamos aqui chapados, escapando dessa realidade fodida enquanto eles fodem cada vez mais com a realidade, e quando o efeito da droga passa, estamos frustrados demais pra fazer alguma coisa então vamos acender outro baseado pra relaxar. Entende? E algumas pessoas caem pesado nessa onda. Sigo fumando a erva, comprando da mão de gente que sei que cultiva e que não tá alimentando o sistema que mata as crianças da minha rua. Quando terminei de fazer tudo que tenho pra fazer e quero dar umas risadas antes de cair no sono, eu fumo. Uma vez, duas, três no mês. E é isso. Não sei se a maconha veio pra minha vida pra ficar. Só o tempo e a experiência dirá. Não tive experiências negativas, até então. Tive experiências interessantes, que testaram meus limites e eu os conheci. Mas é impossível pesar a minha lombra. kkkkkkkkkk nada me pesa. Então é isso. Tô curtindo a vibe. Fico feliz que você atrás de um estilo de vida mais saudável e é uma pena que a nossa querida mary jane tenha entrado na lista de vícios a serem erradicados. Seja focado no seu objetivo, mas mantém a mente e o coração abertos. Se sentir o chamado, vai em frente. O que não nos mata nos fortaleceee!!! <3
  4. oaaway

    Viajando por dias

    Pois é, véi... Não sei o que rola. Tipo assim, agora já tô normal, mas demorou mto pra lombra passar. Mds do céu. Queria era estar lombrado na verdade. Eu tinha comido, né? E quando come é mais forte... Mas olha só, dois becks são mais do que o suficiente pra me deixar truvado. Isso misturado com a menor quantidade de álcool que seja, já era. Fico rasgado por três, quatro dias. Mas relaxa, é mto mais psicológico, eu acho. Não podemos ficar repetindo na nossa cabeça que estamos bem, e tals. Só temos que seguir com a nossa vida, normalmente. No final, ninguém percebe que estamos chapados... Só estamos menos acelerados e isso é bom. Sabe? Sem grave, e tals. Relaxa que já já cê volta. Mas diz ae se vc já voltou!!
  5. oaaway

    universo

    Adorei o relato. Acho que você está no caminho certo. Acho que pra isso que a erva entra no caminho das pessoas, pra trazer esse tipo de esclarecimento, de lampejo genuíno de compreensão elevada. Assista Cosmos. É uma ótima série. Mas não fique preso naquilo que a ciência pode explicar. No que já está respondido. Procure uma brecha... Lembro que eu assistia algo assim, quando eu tinha uns quinze anos. Um programa que mostrava a explicação científica de algo e depois mostrava uma brecha, tipo, "a ciência já explicou tudo isso. Mas olha isso aqui que ela não explicou. O que está acontecendo aqui?" Essa vibe também é mto saudável. Boa sorte! Luz pra nós!
  6. oaaway

    Viajando por dias

    O relato é grande, galera... Então paciência pra ajudar o amiguinho aqui. Chapei pela primeira vez há mais ou menos um ano... Foi de um brisadeiro que comi na ocupação da Universidade. Comi sem saber. Vi um docinho verde em cima da mesa e comi, sabe? Curti pakas mas fiquei um bom tempo sem fumar. E nessa primeira vez eu tinha comido de noite, fiquei acordado algumas horas curtindo a lombra e fui dormir. Dormi umas dez horas e quando acordei ainda tava meio chapado. Fiquei o dia todo chapado na ocupação, quando foi umas 17 fui pra casa, tomei banho e dormi mais umas 14 horas. Depois disso passei meeeeeeses sem chapar nenhuma vez. Só voltei a fumar na viagem que fiz pra Chapada mês passado. Eu e dois amigos conseguimos 10g de um verdão natural por cinquenta conto. Chapamos demais. No primeira noite que chapamos, fiquei curtindo lombra um tempo depois fui dormir e quando acordei tava normal de novo. Da segunda vez tbm. Na terceira vez eu fumei um beck inteiro sozinho, e depois fumei metade de outro. Aí que as coisas ficaram estranhas. Fiquei chapado uns três dias direto... Não importa o quanto eu dormisse, ou o que eu fizesse... A lombra diminuía mas sempre tava lá. Ninguém percebia mais eu sabia. Aí voltei da lombra e tals, bem deboas. Uma semana depois, dei duas ou três bolas em um beck antes de ir pro almoço da minha família no domingo e só voltei completamente da lombra na quarta-feira! Fiquei duas semanas sem fumar e tals, e quando foi no sábado de noite eu estava num rolê na universidade e tinha um brisadeiro lá. Comi. E dei UMA bola num beck que tava rodando. E tô loco até agora. Dormi umas cinco na manhã de domingo, acordei deboas e tals, só mais relaxado mesmo, lentão... Quando foi de noite e lombra bateu pesadão de novo de um jeito! E eu nem tinha fumado de novo. Ainda era a lombra daquele brisadeiro que comi no sábado de noite. Segunda fui pra aula, mto lerdo. Ninguém percebe, mas eu sei que tô na lombra. Me sinto mto diferente. Cheguei da aula e fui dormir cedão, umas 21:00. Acordei dez horas da manhã, achando que tava deboas. Agora de tarde fui correr e percebi que ainda tava na lombra. E ainda estou!!! Por que diabos minha lombra dura tanto tempo??? Por que fica mais forte de novo??? Voltando da minha caminhada passei por uns mlks fumando um beck e senti mta vontade de pedir uma bola pra eles. Não pedi. Por escolha, decidi que posso chapar só uma vez por mês, mas vivo desejando extrapolar essa cota. O que eu faço? Brigado, gente!
×
×
  • Criar Novo...