Foragida

Usuário Growroom
  • Total de itens

    31
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

6 Neutral

3 Seguidores

Profile Information

  • Gender
    Not Telling

Últimos Visitantes

389 visualizações
  1. Foragida

    IMG_5389.jpg

    27/05/2018 (53 DIAS).
  2. Foragida

    IMG_5409.PNG

    30/05/2018
  3. Foragida

    IMG_5339.jpg

    16/05/2018 (42 DIAS)
  4. Foragida

    IMG_5217.jpg

    03/05/2018
  5. Foragida

    IMG_5202.jpg

    01/05/2018 (27 DIAS).
  6. Foragida

    IMG_5201.jpg

    01/05/2018 (27 DIAS).
  7. Foragida

    Grow Can - White Widow

    01/05/2018 (27 DIAS).
  8. Foragida

    IMG_5102.jpg

    9 DIAS (13/04/2018)
  9. Muito bonita essa Girl Scout Cookies!👍🏼
  10. Vou eu aqui meter a miha colher anos depois do tópico ter sido aberto... Meu relato não tem intenção de convencer ninguém a fazer coisa alguma. É apenas o meu relato, minha experiência, sem enrolação ou moderação. Sou mãe de duas criaturinhas lindas, melhor do que eu poderia imaginar! Lindos, saudáveis. Quando descobri que estava grávida da minha filha mais velha (eu já para fazer 36 anos....), eu fumava (dava um-dois (tres-quatro) noite sim, noite não. Eu e o marido saímos atrás de informações sobre o uso da maconha nessa fase, e assim como muitos aqui, ficamos meio perdidões e por via das dúvidas, parei. Isso eu já estava com umas 15 semanas.... Filha nasceu bem, eu amamentei ela até o primeiro ano dela. Até os quatro meses dela, eu não fumei nada. DEpois do quarto mês de vida, comecei a fumar, geralmente aos finais de semana, e nunca um beck inteiro. Segundo filho, quatro anos depois. Fumei a gravidez inteira, quase todas as noites. Sim, bem mais do que eu gostaria, mas eu vomitava mais de uma vez ao dia, nada parava no estômago. Quando eu não estava vomitando, estava atirada na cama/sofá/cadeira, vontade zero de fazer alguma coisa. Ah, e claro, nao fumava um beck inteiro. Aliás, nunca fiz isso. Só quando estou com companhia para consumir um cigarro inteiro. Engordei quase nada nessa gravidez. O que me dava um alívio, quase que instantaneo era a maconha. Filho nasceu bem e está se desenvolvendo bem também, passados 8 meses do nascimento. Eu continuo fumando meu beck (não fumo cigarro e bebida de álcool tem passagem livre por mim...) normalmente á noite. Tem vezes que dou uma parada de um semana, duas semanas, mas acabo voltando a fumar porque eu curto a chapadeira e acho também que eu sou mais produtiva/criativa/mais relax depois de dar um tapa. Eu não amamento mais meu filho porque eu trabalho bastante, em horários alternados e acabou que eu nAo tenho mais leite. Mas , o que eu queria dizer é que nunca percebi nada de anormal nos meus filhos. É óbvio que algo do THC deve ir para o leite, pois tudo o que uma mãe ingere/consome, vai passar para o leite. Acho que fumando com moderação, não deverá afetar a criança. E depois, com tanto veneno nas comidas, bebidas, poluição, não creio que o THC no leite materno seja o pior que pode acontecer... Bem, era isso. Repito o que um usuário falou aqui nesse tópico: se vai ficar na dúvida, ou com sentimento de culpa com relação ao seu filho, não use o beck na gestação ou amamentação. Não que eu ache que realmente a maconha vai fazer algum efeito negativo, mas como acredito que o pensamento toma forma, melhor não fazer algo que te deixe ansiosa, ok?