Detrois

Usuário Growroom
  • Total de itens

    68
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

36 Excellent

1 Seguidor

Últimos Visitantes

315 visualizações
  1. Eu tbm, por enquanto. Tô com três lampadas LED de 40W luz branca, 6400k, pra fase vegetativa. Juntas elas me fornecem 10800 lúmens de acordo com a caixa, ou seja, é disso pra baixo; mas suficiente pra manter uma planta na fase vegetativa. Ela cresce e se desenvolve bem com esse quantidade de luz. Mas para a floração, eu troco pŕa uma hps de 250W, aí já sobe pra 28000 lúmens; gasta muito mais, mas é necessário pra se conseguir o máximo possível na floração.
  2. Deixa te falar, esse lance de variação da banda espectral que ocorre na mudança das estações do ano (luz ficar avermelhada no outono e branca no verão) ocorre mais em altas e médias latitudes. Mesmo que vc more um pouco abaixo do trópico de capricórnio(que passa bem em cima da cidade de São Paulo) nos estados do sul por exemplo, não acho que essa variação seja significante. Lembre-se que a maior parte da literatura cannábica que a gente tem acesso, é escrita pelos gringos, que vivem em regiões de médias e altas latitudes. Logo essas "leis" sobre iluminação poderiam ser vistas com um pouco mais de reserva pela gente, habitantes da zona tropical. Outra coisa, acho que vc está confundindo os conceitos de temperatura de cor. 4000k, 5000k e 6000k (luz azul e claro) e temperatura de cor mais baixa 2700k-3000k (luz avermelhada). Esse termo, temperatura de cor, é só uma unidade de medida que indica a variação do espectro luminoso, não tem muito a ver com a temperatura ou o calor de fato que ela produz nas plantas ou nos objetos. Uma coisa que já cansei de ver por aí é que não é na fase vegetativa que a planta precisa de mais intensidade de luz, mas sim na fase da floração. É na floração é que o cultivador tem que caprichar na luminosidade pros buds se desenvolverem mais e se produzir o máximo possível. Outra coisa (aí já é viagem minha) quando vc acende uma fogueira, qual a cor da luz do fogo? Meio amarelada né. E quando vc observa a luz do sol entrando na janela do seu quarto, qual a cor dela? Branca né. Então, qual a temperatura da fogueira? Uns 1500 graus. Qual a temperatura na superfície do Sol? 6500 graus. Imagino que quanto mais alta é a temperatura de um corpo que emite luz própria naturalmente, mais essa luz tende pro azul ou branco. E quanto mais baixa, mais tende pro vermelho. Posso estar viajando, mas é o que me parece. Abraços.
  3. Fala galera! Também usei Sal de Espsom (sal amargo) nos meus últimos cultivos e aparentemente fez muito bem. Ontem pesquisando mais sobre o assunto, me deparei com essa página: https://www.gardenmyths.com/epsom-salt-for-plants/ O cara basicamente afirma que jogar Sal de Espom no solo, principalmente nos que contêm terra vegetal, não surte efeito algum no desenvolvimento da planta. Começa dizendo que o magnésio é um nutriente muito pouco usado e aproveitado pela planta, e é muito difícil terra comum possuir alguma deficiência de sulfato ou de magnésio que realmente faça falta para a planta de cannabis. Se por um acaso seu solo for muito arenoso ou muito ácido talvez ele possua deficiência desses elementos. Depois afirma que é muito difícil de se identificar deficiência de magnésio apenas analisando as folhas, e mesmo que exista o fato de se jogar ele no solo junto com a água, de nada adianta, pois o fósforo presente no solo neutraliza totalmente a absorção de magnésio pelas raízes. Sou muito novato no cultivo, mas vejo com atenção esses textos. Não me soa absurdo, pois realmente o solo, é um meio arenoso granular, semelhante a uma solução, e com uma infinidade de sais minerais, de diferentes tipos, vários PHs, tudo misturado e revirado. Logo existem elementos que possuem a propriedade do efeito tampão anulando totalmente alteração de ph e tal. Esse tópico é muito foda: Acho que o que ele diz tem a ver com o que muito está sendo discutido neste tópico. Um grande abraço a todos!
  4. Citar

     

    Boa noite irmão, meu primeiro post aqui.E infelizmente essa primeira postagem está se dando por um motivo similar. Há umas duas semanas tomei duas colheres de extração de cannabis em óleo de coco. Cara, fiz a degustação às 11 hrs da manhã, pois como só tinha compromisso às 21 hrs imaginei que dava tempo da onda (que eu sei, que se processa de uma forma diferente em nosso corpo tornando mais longa e potente em alguns sentidos no nosso corpo) passar. Foi simplesmente a pior onda da minha vida, aconteceu quase tudo que o Adnelsinho falou, só não pedi ajuda, tive que aguentar tudo até o fim pois se pedisse ajuda pra galera conhecida por perto teria meu filme muito queimado com a vizinhança. A partir desse dia, em aproximadamente 80% das vezes que fumei senti alguns desses sintomas (da penúltima vez chegou perto do que senti no dia do óleo.) e no dia seguinte passei o dia com uma sensação muito ruim, acho que pela descarga de ansiedade do dia anterior. Sou um pouco hipertenso, e estava sem tomar os remédios de pressão nessas últimas semanas por um motivo besta. Voltei com a medicação e normalizei a minha pressão arterial que durante a minha última crise bateu nas alturas.

    Hoje quando estava me sentindo melhor, quase normalizado, resolvi fazer um fininho só pra testar. E num que a onda veio ruim pra cacete novamente com falta de controle de respiração, desequilíbrios e muita ansiedade. Não acredito que minha pressão tenha subido muito, pois to tomando os remédios religiosamente, mas o prazer de fumar um está quase que acabado nessas últimas semanas. Tomei um Diazepan agora a pouco e a vibe ruim passou por completo, to só lerdão por conta do back e do comprimido de diazepan. 

    Vi que vc já tem 35 anos de experiência e já passou por isso outras vezes. Quanto tempo você ficou sem fumar para as coisas no seu corpo se restabelecerem e as crises passarem? Tava com medo de ter que cortar a erva por completo, o que acho que seria uma grande sacanagem, pois ela me ajuda muito a relaxar, rir com a galera e fazer planejamentos de vez em quando. 

    Abraços!

  5. Boa noite irmão, meu primeiro post aqui.E infelizmente essa primeira postagem está se dando por um motivo similar. Há umas duas semanas tomei duas colheres de extração de cannabis em óleo de coco. Cara, fiz a degustação às 11 hrs da manhã, pois como só tinha compromisso às 21 hrs imaginei que dava tempo da onda (que eu sei, que se processa de uma forma diferente em nosso corpo tornando mais longa e potente em alguns sentidos no nosso corpo) passar. Foi simplesmente a pior onda da minha vida, aconteceu quase tudo que o Adnelsinho falou, só não pedi ajuda, tive que aguentar tudo até o fim pois se pedisse ajuda pra galera conhecida por perto teria meu filme muito queimado com a vizinhança. A partir desse dia, em aproximadamente 80% das vezes que fumei senti alguns desses sintomas (da penúltima vez chegou perto do que senti no dia do óleo.) e no dia seguinte passei o dia com uma sensação muito ruim, acho que pela descarga de ansiedade do dia anterior. Sou um pouco hipertenso, e estava sem tomar os remédios de pressão nessas últimas semanas por um motivo besta. Voltei com a medicação e normalizei a minha pressão arterial que durante a minha última crise bateu nas alturas. Hoje quando estava me sentindo melhor, quase normalizado, resolvi fazer um fininho só pra testar. E num que a onda veio ruim pra cacete novamente com falta de controle de respiração, desequilíbrios e muita ansiedade. Não acredito que minha pressão tenha subido muito, pois to tomando os remédios religiosamente, mas o prazer de fumar um está quase que acabado nessas últimas semanas. Tomei um Diazepan agora a pouco e a vibe ruim passou por completo, to só lerdão por conta do back e do comprimido de diazepan. Vi que vc já tem 35 anos de experiência e já passou por isso outras vezes. Quanto tempo você ficou sem fumar para as coisas no seu corpo se restabelecerem e as crises passarem? Tava com medo de ter que cortar a erva por completo, o que acho que seria uma grande sacanagem, pois ela me ajuda muito a relaxar, rir com a galera e fazer planejamentos de vez em quando. Abraços!