Ir para conteúdo
Growroom

NoBaia

Usuário Growroom
  • Total de itens

    1
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutral

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Boa noite/dia amigos do growroom, Tenho 19 anos, experimentei meu primeiro baseado há 6 anos, mas faço o uso diário há dois anos. Gostaria de começar contando de forma breve a minha história com a maconha, já que facilita também a compreensão e talvez alguém do fórum se identifique com uma vida semelhante à minha. Há dois anos entrei em uma faculdade federal na minha cidade assim que saí do ensino médio, e pra minha felicidade(ou não) meu pai teve de trocar de empresa e se mudou, levando consigo minha mãe e me deixando só em casa, com carro na garagem e tudo o que era necessário para mim. Sempre consegui me manter um usuário sem dar pala em casa por um bom tempo, mas pais sabem quando o filho está mudado, e comigo não foi diferente. O que acontece é que há mais ou menos 1 mês meus pais descobriram que eu fumava cigarro, coisa que deixou minha mãe muito triste e me rendeu boas horas de sermão tanto dela quanto do meu pai. Desde antes de fumar um base eu já sabia que eles eram muito mais rígidos comigo do que em relação à amigos ao meu redor que eram usuários e já haviam rodado, mas acabei pagando pra ver. O caso foi que há 3 semanas atrás fui passar o feriado na praia com um amigo e toda sua família, e quando voltei meus pais me esperavam com todo o meu "kit"( que incluia 25g do melhor verde, 3 dichavas, caixas de seda e celulose, cinzeiro, isqueiros entre outros flagrantes) me esperando no sofá da minha casa.. Tive que jogar todo o meu green no vaso e martelar cada objeto que possuía. A decisão tomada pelo meu pai não poderia ter sido pior, além de colocar meu carro a venda, me mandou arrumar a mala e fui direto pra sua cidade.. A vontade dele era que eu trancasse meu árduo semestre e ficasse o resto do ano na casa dele com minha mãe (em cárcere) segundo ele me recuperando 'do vício'.. Percebo minha relação com eles está enfraquecida, minha mãe muito triste, não possui conhecimento algum sobre a droga, e meu pai possui uma visão retrógrada e ditatorial sobre a erva. Com muita luta consegui o convencer a terminar esse semestre e hoje estou de volta na minha casa morando sozinho, mas com todo o policiamento paterno, ligações, vizinhos caguetes e outros perrengues. A ajuda que vim pedir a vocês hoje está relacionada à minha ida no médico uma semana depois do acontecido: Fui com minha mãe com muito medo de tudo que ele poderia dizer a ela, mas para a minha salvação o Dr. já havia sido usuário em sua época de faculdade (), ele foi contra a visão da minha mãe em vários pontos, chegando até a afirmar que a maconha não viciava e que considerava tudo o que eu estava passando como uma fase da minha vida, que logo passaria. Fato é que peguei muita confiança com esse médico, e apesar de minha mãe ainda estar muito arrasada comigo, estar realmente em uma badtrip eterna chorando dia e noite desde o acontecido, decidi fazer o check-up geral e retornar ao mesmo médico, porém dessa vez só com a presença do meu pai. O médico se ofereceu pronto a esclarecer qualquer dúvida que eu tivesse quanto à maconha e justamente por isso eu gostaria de ir só com meu pai(que apesar de beber diariamente e fumar um careta daquele jeito, ainda tem uma visão muito externa sobre droga ilícita, tanto ele quanto minha mãe pensam que estou no mundo das drogas perdido em todos os sentidos). Quais sugestões vocês me dão no momento em que eu estiver com meu pai frente à frente com o médico? Quais perguntas devo fazer e como tentar deixar claro ao meu pai que a visão que ele possui é passada e eu tenho o direito, como adulto que sou de escolher meu próprio entorpecente? Peço desculpas caso tenha cometido algum erro, abraço pra toda galera do Growroom! Ah, e antes que eu me esqueça, meu pai tem um requerimento de exame de porcentagem de THC em mãos e pode usá-lo quando quiser contra mim
×
×
  • Criar Novo...