Ir para conteúdo
Growroom

Touro

Usuário Growroom
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutral

Profile Information

  • Interests
    maconha
  1. A verdade é esta: quem fuma maconha financia o narcotráfico ( http://www.jblog.com.br/realidade.php?itemid=16581 ) 17/10/2009 - 18:01 | Enviado por: Andre Balocco Quando anunciam algum projeto, as empresas costumam afirmar que ele vai gerar XX empregos DIRETOS e pelo menos X INDIRETOS. O número varia de acordo com o empreendimento e pode ser maior ou menor, dependendo da grandiosidade do mesmo. Os empregos indiretos são aqueles que vêm na cadeia produtiva, como consequência do investimento inicial, e não existiriam caso o mesmo não fosse feito. Na Olimpíada de 2016, por exemplo, o reforço na hotelaria pode ser considerado emprego indireto. Por isso, chegou a hora de deixar nua a relação entre quem consome drogas e a violência na cidade do Rio. Você, que fuma seu baseado todos os dias, comprado sabe-se lá de que forma, trate de assumir sua responsabilidade: é sim responsável, mesmo que não tenha subido o morro, pela onda de violência que tomou conta do Rio neste sábado. É responsável pelo forte armamento dos traficantes, que desfilam seus fuzis, granadas e pistolas pelas favelas cariocas; É responsável pela guerra do tráfico no Morro dos Macacos; É responsável pela queda do helicóptero da polícia na manhã de sábado, na Vila Olímpica do Grajaú, após ser atingido por disparos de armas de guerra; É responsável pela morte dos policiais que estavam na aeronave, carbonizados, que ficaram presos na mesma após serem atingidos. A sua responsabilidade não para por aqui. Num breve exercício de memória, é responsável também pelos meninos que você despreza ao encontrá-los sujos, maltrapilhos, zanzando pelas ruas em busca de um trocado para usar mais uma dose de crack, capazes de roubar, esfaquear e até mesmo matar pela 'pedra'. Não fuja, não pare de ler este texto! Encare a realidade, pague o preço, assuma que o que você gosta de fazer e que considera inocente é uma das pontas da desgraça que se abate sobre nossa cidade. Não dá mais para tapar o sol com a peneira. O Rio está em guerra e nesta guerra, a polícia não pode mais ficar nas ruas - tem de ir aos morros combater o narcotráfico porque você usa a droga. Tem de ir aos morros porque há mercado para o uso de drogas - apesar de você comprar o 'bagulho' no asfalto, nas raves, na rua. Este 'bagulho' que você compra, sintético ou não, e que em tese passa longe dos morros, alimenta a cadeia produtiva que termina no fuzil que os 'meninos' usam nas favelas. É o famoso 'emprego indireto' que está lá em cima no abre deste post. Você é responsável também, apesar de não ser o único, por alimentar a ambição destes garotos que trabalham no tráfico de olho nas oportunidades que a sociedade não lhes dá. Ou você acha que aquele que planta e produz maconha vai se virar para um narcotraficante e dizer, empertigado, que não vende sua droga para ele porque ele também vende armas; Que não vende a 'inocente' maconha para ele porque ele trafica mulheres e crianças; Que não vai vender sua droga porque ela é feita para jovens que apenas querem se divertir; Que não vende o 'bec' porque rezou muito antes de plantá-lo para que ele ajudasse as pessoas a refletirem sobre a vida e fizessem do mundo um lugar melhor para viver; Que não vende a maconha porque aquele narcotraficante costuma financiar as invasões de morros. Chegou a hora de cada um assumir a sua responsabilidade. QUEM FUMA MACONHA FINANCIA O BANHO DE SANGUE NO RIO! ( http://www.jblog.com.br/realidade.php?itemid=16581 ) Minha opnião está lá: thiago enviou em 18/10/2009 as 14:31: O argumento do autor faz todo sentido, a demanda sempre será culpada ou responsável pelo comercio do que irá saciar essa demanda. Isso faz todo sentido, é lógico e racional. O que não é lógico é criminalizar e marginalizar ou até mesmo responsabilizar uma demanda que para ser saciada não causa prejuízo a terceiros. O uso de drogas é diferente de pedofilia ou corrupção, atos estes que partem de uma demanda que para ser saciada necessariamente implica em prejuízo a terceiros. Na historia da humanidade nunca existiu uma civilização que não fizesse uso de substancias que alterem diretamente a química cerebral (aqui eu incluo todas as substâncias análogas a neurotransmissores ou que interfiram na dinâmica dos mesmos indo de cafeína a heroína passando por remédios para dormir, moderadores de apetite e muitas outras drogas legais que estão nos nossos jardins ou na farmácia e excluo as substancias ou ações que simplesmente estimulam esses transmissores como carboidrato, sexo ou jogo de azar). O ponto onde quero chegar é que negar essa demanda intrínseca, que não implica em nenhum mal direto a outra pessoa e que em parte nos define como seres humanos é algo totalmente irracional e fantasioso. É por isso que quando o autor liga a demanda por drogas a violência ele até parece ter razão, mas peca por não enxergar que não há nada que se possa fazer para acabar com a demanda e culpar ou responsabilizar o usuário pela violência não leva a lugar nenhum. É como a igreja católica e o sexo. Negar a existência dessa demanda que constitucionalmente é direito do cidadão é o maior erro da política anti-drogas e o responsável diretamente por toda a violência em que vivemos no Rio de Janeiro. É essa negação que coloca toda a demanda na mão do trafico que para defender seu comercio precisa usar de violência. É essa negação que alimenta toda uma rede de corrupção. É essa negação que gera essa violência que nos atinge e essa negação que enche o bolso de muita gente por ai que acirra tanto os ânimos das pessoas. Negar os fatos e botar a culpa nos outros não leva a nada. Todos nos somos culpados quem compra drogas e principalmente quem é contra isso. Por isso que a única coisa boa que o texto do autor proporciona é o espaço para a troca de idéias, fora isso só gera preconceito e acirra mais os ânimos, mas eu já ia me esquecendo dá muita audiência também. Quem tem opinão sobre o assunto e argumentos para sustentar sua opinão participe!!!!! Xingamentos e coisas do tipo deixem aqui.
  2. Fonte http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20090908085015 08 de Setembro de 2009 Homem fuma maconha, dorme e acaba preso no estacionamento do Hiper Bompreço, na Capital. O estudante Adriano Souto Camilo, 32 anos, foi preso pela Polícia após ser flagrado dormindo no interior de um veículo modelo Fiat Pálio, cor Cinza, placas KMB 9305, parado no estacionamento no supermercado Hiper Bompreço, localizado às margens da BR 230, no bairro do Bessa, em João Pessoa. Nenhum problema, se no interior do automóvel a Polícia não houvesse encontrado uma pequena quantidade de maconha in-natura. Ao ser acordado pelos militares, o acusado apresentava fortes sinais de que há poucos minutos havia consumido parte do entorpecente. Adriano foi encaminhado à 3ª Delegacia Distrital, onde foi recebido pelo delegado Pedro José da Silva, que tomou as medidas cabíveis. Thiago Moraes
  3. Eu to mandando este texto que eu mesmo fiz com o objetivo de discutir com vcs a questão da descriminalização da maconha e de outras drogas. Eu acho que só pedir a legalização ou descriminalização da maconha sem discutir o por que e as conseqüências disso é besteira principalmente se a idéia é formar um movimento. Eu acho que agente tem que ter uma espécie de estatuto, algo que reflita a opinião do movimento e que sirva pra atrair a simpatia do maior numero possível de pessoas Esse ano tem a passeata mundial e o dia dessa passeata é o dia ideal pra a divulgação do movimento por aproveitar o espaço de divulgação dela na mídia. Eu acho que tinha que ser feito uma meta pra consolidação do movimento (principalmente a criação do site) e que essa meta poderia ser o dia da marcha mundial.... Nesse momento vivemos no Brasil uma verdadeira guerra contras as drogas ilegais, milhões de reais são gasto pelo governo na repressão ao uso de drogas, outros milhões de reais são gastos pelos traficantes em resposta as medidas governamentais na compra de armas, no pagamento propinas e na diversificação dos seus atos ilegais. Os usuários de drogas vivem entrincheirados no meio dessa guerra sendo ameaçados por essas duas forças, por um lado à violência sem limite do trafico e por outro a violência repressiva da lei. Esse texto visa colocar em discussão as questões relativas ou uso de drogas, seu abuso e o papel do estado nessa questão para que, se possível, cheguemos a um denominador comum onde sejam respeitados as liberdades individuais, culturais e o bem comum da sociedade como um todo. É evidente o fracasso da atual política antidrogas adotada pelo estado brasileiro, o trafico esta mais violento, os dependentes químicos não recebem o tratamento adequado, muitas vezes pelo estiguima de seu estado perante a sociedade que os tratam como bandidos e pervertidos, os usuários eventuais e os que possuem uma relação “saudável” com as drogas são muitas vezes obrigados a consumir produtos de qualidade duvidosa o que causam danos a saúde de seus consumidores maiores do que a própria droga em si, alem de estarem sujeitos a violência policial e do próprio trafico. Uma das alternativas a atual política de drogas é o que se chama política de redução de danos que olha a para a questão das drogas de um ponto de vista mais humanista buscando maneiras de diminuir os males sociais das drogas tanto do ponto de vista dos usuários como da sociedade como um todo. Uma de suas propostas é a descriminalização do uso e pose de entorpecentes. Alguém que fosse pego com uma determinada quantidade de maconha acima do permitido não seria detido e pagaria apenas uma multa, menores de idade poderiam ser convidados a participar de audiências com assistentes sociais juntamente com seus responsáveis. A venda seria controlada e uma das alternativas de controle poderia ser a criação de estabelecimentos de venda e consumo onde estaria presente um farmacêutico ou profissional da área de saúde com conhecimentos suficientes para orientar o uso e indicar como proceder em caso de abuso ou complicações. Também poderia ser criada uma rede on-line entre estabelecimentos onde os usuários seriam cadastrados o que evitaria a compra de quantidades acima do permitido e serviria como base estatística para as campanhas educacionais. Os impostos sobre a venda e as multas poderiam ser destinados ao tratamento dos dependentes e nas campanhas. Drogas como heroína e cocaína poderiam ser ministradas nos hospitais por enfermeiros aos dependentes onde também pode ser feito o próprio tratamento. Já to sem muito saco pra ficar escrevendo... vamos discutir as paradas com geral agente podia também juntar todas as reportagens, pesquisas e outras coisas afavor da causa como banco de consulta e pra consolidar a nossa opinião...
  4. Essa parada é seria... tu escreve interbio no google e aparece JA EXISTE O CANABIS CUP BRASIL ...INTERBIO!!!! Isso é foda... a sorte é q so procura quem conhece... mas quem procura acha...
  5. Touro

    Planet HEMP

    Ai galera dia 21 e 22 rola no canecão o show do planet, vale a pena aparecer lá o show é muito foda... fui no ano passado no show deles lá e só posso dizer q é um clima muito foda... compre seu ingresso antecipado... é isso ai...
×
×
  • Criar Novo...