Ir para conteúdo
Growroom

Desconexa

Usuário Growroom
  • Total de itens

    5
  • Registro em

  • Última visita

Profile Information

  • Gender
    Female

Desconexa's Achievements

Newbie

Newbie (1/14)

2

Reputação

  1. Estou precisando muito de ajuda. Já fiz um tópico e já aprendi bastante aqui no fórum. Minha situação talvez não seja tão grave quanto a de muitos aqui (tenho TPB), mas no momento está insustentável e esgotei o tratamento "tradicional" (10 anos tomando diversas medicações, internação, ECT). Gostaria muito de poder conversar com um médico e, principalmente, outras pessoas que tenham TPB e que já façam uso da cannabis medicinal. Obrigada.
  2. Oi PPerverso, tudo bem? (um consultor jurídico com esse nome? medo! rs) Com certeza já estou encontrando muita gente bacana e nesse pouco tempo já aprendi muita coisa. Quero fazer isso de maneira gradual, sem mexer os medicamentos; a não ser que os médicos achem necessário. Não vou deixar o meu tratamento e eu sempre falo tudo pros meus médicos. Vocês são ótimos! <3
  3. Oi Ganjah Man, tudo bem? Entendo suas dúvidas. As doenças psiquiátricas ainda são muito desconhecidas da população geral e, por não serem doenças "visíveis", aparentam não terem tanta gravidade. Concordo com você que os médicos muitas vezes se enganam, e acredito que mais ainda na psiquiatria, exatamente pela falta de sintomas que aparecem em exames. Não sou psiquiatra e não quero passar nenhuma informação errada. E só posso falar pela minha experiência, que não é a mesma de todos os borders. Se você jogar no Google vai encontrar bastante informação. http://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_de_personalidade_lim%C3%ADtrofe O que posso te dizer é que passei por uns sete médicos até chegar no lugar onde estou me tratando hoje, que é referência no mundo em tratamento de transtornos de personalidade. Cada médico me deu um diagnóstico diferente. Medicações diferentes. Um deles me viciou em determinado tipo de medicação. A vida com TPB é um inferno e eu sofro desde criança. Minha primeira tentativa de suicídio, que eu me lembro, foi por volta dos oito anos. Até hoje sou dependente da auto-mutilação, às vezes é a única coisa que alivia minha angústia. Perdi amigos, amores, trabalhos... Perdi meu futuro. Já não posso mais praticar a profissão que estudei nem trabalhar fora de casa. Atualmente não consigo sair sozinha de casa. Há mais ou menos dez anos, antes de ser internada, fiquei seis meses sem levantar da cama (só para ir ao banheiro e olhe lá!). Nessa época comecei a dissociar: acordava nua no meu quarto após desmaiar. Ao abrir os olhos percebia que tinha escrito pelas paredes (e até pelo teto) do meu quarto. Tem vezes em que "apago". Simplesmente perco um pedaço do tempo e não sei o que fiz em um determinado período de tempo. Quando fico muito nervosa, minhas mãos e braços adormecem até um ponto determinado, assim como meu rosto. Perco o controle das pernas, começo a tremer sem controle, vomitar. Também sofri de uma surdez histérica. Posso ficar agressiva do nada, normalmente com pessoas próximas a mim. E você não tem controle sobre nada disso. As crises vem e não tem como parar. A tristeza vem e, por mais que você saiba que está tudo bem, que não existe motivo, ela fica e te corrói. A angústia é o pior. E tudo isso te enche de vergonha, porque você sabe que não tem motivo, que é só levantar e viver a vida, que suas atitudes não fazem sentido, mas sua cabeça e seu corpo parecem ter vida própria. O borderline é basicamente um ser sem casca. Sem proteção emocional. Qualquer coisa afeta em uma proporção gigantesca. Boas e ruins. Coisas boas me deixam muito feliz, muito mesmo! Coisas ruins, principalmente frustrações, podem me levar à crises, auto-mutilação, agressão, depressão.. Quando comecei o tratamento eu não estava respondendo por mim. Fui levada ao hospital depois de uma tentativa de suicídio e internada. Já fiz tentativas com vários medicamentos, inclusive agora retirei vários deles. Há algum tempo estou pesquisando sobre a cannabis como alternativa, já que não encontro mais nenhuma outra. Mas, mesmo se eu conseguir benefícios com a cannabis, não pretendo abrir mão dos meus remédios logo de cara. Pretendo fazer isso de forma gradativa e com muito cuidado, com acompanhamento médico. Mas ficar sem tratamento, seja qual for, não é uma opção. Nunca será. Da forma que está agora já está insustentável.
  4. Zé Nunes e Bidi, muito obrigada pelas respostas! É realmente essa falta de consenso que me deixa confusa. Se liberassem as pesquisas... Eu faço tratamento no hospital e com o médico referência em TPB no Brasil. Confio muito nele. Mas é muito frustrante depender de tanta medicação que ao mesmo tempo que ajuda, prejudica tanto. Conversei de novo com meu médico sobre o assunto, ele não recomenda o uso da cannabis. Vou entrar em contato com o pesquisador que o Bidi sugeriu para obter mais informações. Obrigada novamente! <3
  5. Boa noite a todos! Bom, acredito que sou mais uma da grande leva que aparecerá por aqui "pós-fantástico", mas espero que possam me ajudar e que eu também possa contribuir de alguma forma. Dei uma olhada nos tópicos e encontrei "pinceladas" em alguns deles que se assemelham ao "meu caso", mas, obviamente, somente um medico poderia me orientar corretamente, mas, e pra achar algum médico (assuma) que entenda do assunto (espero que haja algum aqui!)?! rsrs Vou tentar dar uma resumida e se alguém quiser/puder conversar mais, seja pra ajudar, pra desabafar, pra trocar figurinhas, etc, deve ter um jeitinho de falar em privado, né? rs Há algum tempo andei pesquisando sobre o uso medicinal da Cannabis e não vi um consenso sobre sua utilização na psiquiatria. Desisti de me aprofundar no assunto porque esse é (era?) um sonho distante demais. Da mesma forma desisti do consumo recreativo, pois acho que o prensado que se encontra por aí chega a ser perigoso para ser consumido, pelo menos no meu caso, e não conheço ninguém que plante. Eu tenho TPB (Transtorno de Personalidade Borderline), que é um distúrbio de humor. Tomo muitos remédios e preciso saber o que estou colocando no meu corpo. Preciso saber como aquilo vai me afetar. A quantidade de remédios que tomo não é normal. Os efeitos colaterais... Engordei 42kg, devo ter perdido de 70 a 80% do volume do meu cabelo, dentes todos cariados, a pele ficou horrível, a capacidade cognitiva foi pro espaço, depois do eletro-choque perdi TODA a memória, curto, longo e médio prazo... Há dez anos que não sei o que é dormir uma noite inteira. Gastrite, esofagite, anorexia... Também tomo remédio pro estômago, fígado, intestino, ovário policístico, colesterol, vitamina d, pra emagrecer, coração... Quanto mais remédio eu tomo, mais remédio tenho que tomar. Se eu pudesse substituir pelo menos parte disso por algo natural, que não agredisse meu corpo dessa forma... Vejo na Cannabis, em suas diferentes strains (é isso?), potencial pra me ajudar a dormir, pra diminuir a ansiedade, pra me dar ânimo, pra diminuir o pânico e a fobia social... Ao mesmo tempo, tenho medo de várias outras coisas, mas acho que se for uma planta indicada pra mim, não terei com o que me preocupar, Eu sou péssima em resumir e tenho milhões de dúvidas e desesperos e frustrações... Se alguém puder me dar uma luz, agradeço muito! Ah, sim, já tentei outras "terapias alternativas". Homeopatias, florais, etc, etc... Não faz nem cócegas. Beijos e desculpem por tomar o tempo de vocês.
×
×
  • Criar Novo...