Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation on 10/30/12 in all areas

  1. 5 points
    http://www.naosalvo.com.br/outras-incriveis-novas-descobertas-da-medicina-apos-a-capa-da-veja-sobre-maconha/ Satirizando a Veja.
  2. 4 points
    Brazilian troops patrol a shantytown in Rio de Janeiro. (CHRISTOPHE SIMON/AFP/Getty Images) Brazil has been struggling with drug violence for years. The problem got so bad that the country passed a law in 2006 to distinguish between dealers and users in handing out sentences, meant to reduce the overwhelming pressure on the justice and jail systems and to better single out dealers. But since then, the number of Brazilians in prison for drug charges has more than doubled and its total prison population has grown by 37 percent, according to official statistics. Now, a prominent Brazilian think tank called the Igrapé Institute has released a surprising list of policy proposals to address the problem. The think tank had organized a special committee called Pense Livre (“think free” in Portuguese) to rethink the country’s drug policy. Its four-point plan, translated by the folks at Riorealblog and flagged today by GlobalVoices, starts with drug decriminalization: • Decriminalize all drugs and invest in a public health approach to drug use • For cannabis, regulate medicinal use and home cultivation for personal use • Invest in programs for youth at risk, and offer alternative sentencing for non-violent first offenders • Make medical and scientific research possible, for all drugs. The report doesn’t seem to argue that these policies would reduce drug use, which is high in Brazil. Rather, it argues that they would reduce violence related to drug use, as well as the need for expensive and burdensome incarceration and policing, which have helped to marginalize poor and minority communities, particularly in the city’s infamous slums. These policies might find a number of supporters in Brazil, where large numbers march every year on “Marcha da Maconha” to call for marijuana decriminalization. Former Brazilian president Fernando Henrique Cardoso, who chairs an international group that lobbies for drug liberalization that held a conference in Poland today, called for governments to “experiment with different models of legal regulation of drugs, such as marijuana, similar to what we already have with tobacco and alcohol.” The public policy of drug decriminalization is hotly debated around much of the world. Portugal’s experience may have resonated in Brazil, as the two countries share a common language and history. In 2001, Portuguese leaders decriminalized drugs in a desperate attempt to curb skyrocketing drug use and related crimes. And it seems to have been effective. The New Yorker’s Michael Specter explored the policy’s effects in-depth last year. The article is behind a pay wall, but here’s a relevant excerpt from the summary: In most respects, the law seems to have worked: serious drug use is down significantly, particularly among young people; the burden on the criminal-justice system has eased; the number of people seeking treatment has grown; and the rates of drug-related deaths and cases of infectious diseases have fallen. Surprisingly, political opposition has been tepid and there has never been a concerted repeal effort. Yet there is much to debate about the Portuguese approach to drug addiction. Does it help people to quit, or does it transform them into more docile drug addicts, wards of an indulgent state, with little genuine incentive to alter their behavior? By removing the fear of prosecution, does the government actually encourage addicts to seek treatment? Unfortunately, nothing about substance abuse is simple. fonte: http://www.washingtonpost.com/blogs/worldviews/wp/2012/10/24/could-drug-decriminalization-save-brazils-slums/
  3. 4 points
  4. 4 points
    Fumar maconha não influencia nem durante a gestação, quanto mais na amamentação. Queria saber com base em quê foi baseada essa decisão... devem ter usado a Revista Veja né, só pode.
  5. 3 points
  6. 3 points
  7. 3 points
    a é??? me explica a diferencia... por favor... um da o dinheiro o outro aceita o dinheiro? pelamor hein mais proibicionistas no GR
  8. 3 points
    Renato Malcher e Sidarta Ribeiro sobre a possível diminuição no QI: Renato Malcher sobre a esquizofrenia e a maconha: Esses argumentos rebatem os dois artigos cientificos q a veja usou, ou seja, o resto é groselha, aliás, a matéria toda da veja é groselha, um dos artigos q eles usaram é la de 1970... Sem falar que o cidadão ali que diz na veja ser admirador do Carl Sagan, nem deve saber dessa citação dele, pq se soubesse não estaria falando merda... O maior verme dessa história é o Sr. Reinaldo Azevedo, ele que construiu essa merda toda através de achismos e informações avulsas, se alguém se animar ir nos blogs da vida dele aí contra argumentar, mas já vou avisando que é que nem brigar com porco na lama, até os proibicionistas e leigos no assunto discordam das idéias dele hahaha
  9. 3 points
    Aff que babaquice, Cannabinoides endógenos são encontrados no leite materno, não existe fundamento nenhum nessa condenação, deviam proibir os ingredientes trangênicos que estão em tudo que é alimento, inclusive nos alimentos das crianças, pra falar em trangênicos não aparece nenhum filha da puta com ´´diploma``....
  10. 2 points
    semSemente é isso aí, igual menstruação! Atrasa, mas qdo vem todo mundo fica feliz Crédito da capa vai pro nosso ilustríssimo Jahbaa, que graças as suas colaborações a revista consegue atingir um alto nível gráfico. Sem contar com todos os outros colaboradores que tornam esse projeto possível! Valeu a ajuda de todas e todos AMÉM!
  11. 2 points
    galera quando for menor declarado nao devemos dar a menor atenção,sei que ja enfrentamos isso mais o forum nao é para menores e tao pouco para darmos conselhos a aqueles que por sua vez nao respondem por si perante a justiça. fica chato pro forum e ótimo para os proibicionistas de plantao para fazer sensacionalismo em cima disso. Lembre-mos que nos users levamos tbm o nome GROWROOM na camisa e tudo que fazemos aqui pode refletir bem ou mal perante a midia e a sociedade em geral. abração HarryBud
  12. 2 points
    q merda! d menor, quem manda é eles, quem dita as regras sao eles, quando vc completar 18, sair de casa e mandar no seu nariz ai vc volta.... se não é legalizado em casa, não se fuma em casa!!!
  13. 2 points
  14. 2 points
    Brother mettalph, com todo o respeito, acho que aqui estamos discutindo ideias e não me sinto ofendido caso você não concorde. Só por favor, não me peça consenso. Deus me livre do consenso, porque o consenso fácil é burro. E, depois de toda essa discussão, acho que na verdade chegamos a um consenso: O de que a lei deve regulamentar o comércio de Cânabis. Agora, quanto a uso dos termos traficante para criminosos e comerciante para cultivadores/vendedores, não podemos discordar mais, porque a questão semântica já impede que nós atribuamos um preconceito a uma palavra. Eu não sou indiferente à violência gerada pelo tráfico e é exatamente por essa razão que eu defendo a legalização do comércio da Cânabis. Mas dizer isso na minha opinião é dizer: Eu defendo a legalização do traficante. Não é um jeito de por a coisa, é a coisa em si. Traficante é o comerciante ilegal. A violência que você é contra eu também sou. Se nosso ideal é lutar contra a violência, estamos do mesmo lado. Mas eu associo a violência ao contexto gerado pela proibição que extrapola um caso específico de um traficante mal. Eu acredito que exista traficante mal porque a proibição favorece esse contexto. Acredito que se você for em um dispensário na Califórnia dificilmente vai ser recebido com bicuda na perna ou vai ser assassinado. Então, quando eu defendo o traficante, eu não eximo ele de qualquer crime que ele possa ter cometido sob o pretexto dessa conduta. Mas eu não posso, pela minha própria ideologia, condenar ele pelo crime de tráfico. Mas tamo junto, brow! Essa questão que a gente discorda é só acessória. A questão principal é que nossos direitos sejam garantidos e que a lei seja justa e aplicada de forma justa a todas as pessoas.
  15. 2 points
    Indo no pensamento do CannaSP, e partindo do pressuposto de que esse tema já foi mais que discutido diversas vezes aqui no GR, acho que deveríamos chegar a um consenso e encerrar por aqui, sob pena de enfraquecer nosso ideal. Tráfico associado ao crime: RUIM Comércio sem associação com o crime: BOM Cultivo: BOM Lei diferenciando traficante/criminoso de cultivador/comerciante: BOM Uso dos termos "traficante" para criminosos e "comerciante" para cultivadores/vendedores: BOM Encerro aqui.
  16. 2 points
    Comerciante de maconha = Traficante de maconha. / Criminoso = Criminoso. Estas coisas só são associadas pela proibição. Concretizar essa diferenciação é tão simples quanto cria-la: Basta a lei regulamentar o comércio de Cânabis. Qualquer estereótipo de traficante bad boy é preconceito. Quem mata, agride, corrompe crianças (?), cospe na cara (?) e dá bicudo nas pernas comete os crimes de assassinato, agressão, assédio de menores (?), injúria e agressão novamente. Nada disso configura tráfico.
  17. 2 points
    Então mettalph, eu acho assim... é evidente que eu também queria que o comércio de maconha fosse dissociado de qualquer outro crime. Mas isso só vai acontecer quando o próprio comércio for legalizado. Você diz que o cara PODE ser envolvido em outro crime e por isso é preciso ter ressalvas. Pra mim isso não quer dizer nada, ou ele cometeu outro crime ou não. No caso, por qual crime ele será enquadrado? O de tráfico, e só. E isso se segue a outra coisa que você falou. Você disse que se quisermos nos valer da lei brasileira devemos fazer essa diferenciação. Acredito que essa diferenciação exista, independentemente da nossa vontade. Ou ele só usa, ou ele moveu a droga. Mas o que eu estou criticando é justamente a lei. Pra mim zona é o cara cultivar 10 plantas pra consumir sozinho e ser enquadrado no 33 em vez de no 28. Então pra mim essa lei é injusta, em todos os sentidos. Na sua letra, pois pra mim se o uso é permitido o comércio obviamente tem que ser também. Se eu e você podemos fumar por que eu não posso fornecer pra você? E ela também é injusta na sua aplicação, como no caso das 10 plantas. O que eu critico e chamo de hipocrisia é o ataque ao estereótipo do traficante. Sem ele ninguém aqui teria conhecido a maconha. Pra mim o problema não é o traficante e sim a violência resultante da proibição do comércio, que gera o traficante nesse contexto. Mas como eu disse, e deixo bem claro: Se no caso desse carinha ele não está repassando prensado, ele está plantando e vendendo maconha, onde ele contribui com a violência? Onde esse cara prejudica a sociedade? Eu acho que esse cara está fazendo um bem e compraria dele com o maior prazer, porque ao comprar também não estaria prejudicando a ninguém. Eu também acho que se deve dar um passo de cada vez, mas isso não impede que pensemos livremente de preconceitos.
  18. 2 points
    O site do instituto que eles citam na entrevista: http://igarape.org.br/ e o que eles defendem, via google tradutor: • Descriminalizar as drogas e investir em uma abordagem de saúde pública para o uso de drogas • Para cannabis, regulamentar o uso medicinal e cultivo casa para uso pessoal • Investir em programas para jovens em risco, e oferecer penas alternativas para infratores não violentos primeira • Fazer pesquisa médica e científica possível, para todas as drogas.
  19. 2 points
    Rapaz ficar cego nao deve ser mole !!!!!!!!!!!!!!!!!!!to aqui torcendo por vc, força e fe que tu vai melhorar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!EU ACREDITO!!!!!!!!!!!!!!
  20. 2 points
    Chupem essa teta, proíbas! Os caras nem sabem se vai alguma coisa pro leite e prendem a mulher, deixam a criança sem mãe! Vão fazer o quê com a criança agora, doar? É o Estado quem vai ferrar com essa criança, não a natureza! Intervenção do Estado no âmbito familiar com base em preconceito é o abuso na enésima potência! Pra mim um Estado que faz isso é sociopata!
  21. 2 points
  22. 2 points
    Porra e ainda tem gente que recrimina o cara por plantar e vender! Se o cara não tá repassando prensado, tá plantando e tá vendendo, que Deus abençoe ele! O MUNDO PRECISA DE MACONHA! DEIXA O MOLEQUE VENDER! Não entendo alguns aqui... se plantar e fumar, você é lindo! Se plantar e vender, você é uma abominação! Hipocrisia pra caralho! Eu quero plantar, eu quero comprar, eu quero vender, trocar, experimentar, passar a bola, quero a maconha LIVRE, porque é REMÉDIO e só usa quem QUER!
  23. 2 points
    e aí amigão, infelizmente ser julgado erroneamente já faz parte do processo, mas lembre-se sempre que não está sozinho nesta triste estrada até a colheita da paz e tranquilidade não por acaso aqui do lado de casa, temos um país governado por alguém que passou 14 anos na prisão e hoje doa mais de 80% do seu salário, anda de fusca e pretende regulamentar o auto cultivo, os clubes cannábicos e a própria distribuição estatal essa onda uruguaia ainda inundará os hipócritas e ter umas plantas no quintal deixará de ser sem sentido, pois é engraçado o que a plantinha nos proporciona tanto em prazer quanto em ter que provar que não deixamos de sermos humanos fé aí velhinho, não tá morto quem peleia
  24. 2 points
    Galera, falei com o Fabrício e ele disse que a vida dele está voltando ao normal. Disse também que está muito bem representado e assessorado juridicamente e mandou agradecer a todos pelo esforço dispensado. Segue abaixo as palavras de agradecimento dele:
  25. 2 points
    estranho demais ..o cara tinha só 1 planta e abriu o jogo que plantava pra vender ? Estranho hein .
  26. 2 points
  27. 2 points
    Brother! Alguém dá o prêmio Dedo Verde do Século! COMO E QUE O CARA CONSEGUE ABASTECER O COMÉRCIO DO "ENTORPECENTE" COM UMA PLANTA??????? O cara não é traficante, ele é JESUS! Que peixe que nada, é o milagre da multiplicação dos CAMARÕES!!!! Tem que rir pra não chorar...
  28. 2 points
    Ser cultivador esta no sangue e nao da para mudar ... como disseram ... grower da um tempo, na para ... Mas cultivar e assim, as vezes tem que dar um tempo, as vezes perde tudo por causa de peste/bolor, as vezes a luz cai em cima de tudo, problemas familiares ... Ja fui preso 2x por causa da erva (ja fiquei guardado), depois que a paranoia passa, voltei a plantar ... a vida sem a erva e quem nem assistir TV em preto e branco ... da pra assistir, mas sem muita emocao/cor. Meus pais nunca me apoiaram em nada, para eles sou um 0 a esquerda ... trabalho desde os 15 anos, sou formado em direito, tenho mais de 1 propriedade. Trabalho 14 hrs/dia, tenho 1 dia/folga/mes ... mas nunca falei para os coroas que eu planto (o segredo do negocio e segredo). Na proxima vez, nao conte para ninguem ... eu tenho um irmao que fuma, mas nao sabe que planto ... nao dou a chance de ninguem me machucar/caguetar. A unica companheira, que nunca me traiu e sempre esteve ao meu lado nos melhores momentos e nos piores momentos da minha vida e minha querida MACONHA. Nao fica triste, a gente perde uma batalha, mas nunca a guerra ... a gente tropeca, mas nao cai ... e se cair, levante a cabeca e seja mais forte ... Boa sorte ...
  29. 1 point
    issu ai meu irmao posso ta com 120 anos q eh noix na ganja!!
  30. 1 point
    Na moral, não entendo o que a vizinhança vai ganhar com isso! Será que quem denunciou vai durmir mais tranquilo sabendo que fudeu com a vida de uma pessoa? Quanto egoísmo, ignorância, desinformação e preconceito na nossa sociedade...
  31. 1 point
    É gurizada, até idoso tá plantando!! Vamos ganhar essa luta.
  32. 1 point
    Puts cara, acabei de postar mas já mudei de ideia. Pensando melhor sobre isso cheguei a seguinte conclusão: Assim como é o preconceito com o maconheiro, com o usuário, que tem impedido até hoje que a lei garanta o direito do indivíduo de consumir o que quiser e fazer o que quiser com o próprio corpo (o que acredito ser um direito inerente ao ser humano), é o preconceito com o traficante que impede e provavelmente impedirá que o comércio da mesma substância seja também garantido pela lei. Vendo por esse lado esse preconceito é extremamente prejudicial. É por causa dele que vivemos a incoerência da nossa lei atual, em que podemos usar mas temos que fazer aparecer maconha do vácuo, e provavelmente por causa dele que a lei será alterada e o comércio ainda será reprimido, o que resultará no mantimento do contexto que propicia a violência. Sendo assim, justamente por ser contra a violência, eu sou oficialmente contra o preconceito contra o traficante, porque vai contra os meus ideais e o que acredito ser o caminho mais justo e mais benéfico para a nossa legislação. PS.: Deveria ter editado meu post anterior, mas só pensei nisso agora. Peço desculpas aos amigos.
  33. 1 point
    Princípio de presunção de inocência. Bem lembrado. Infelizmente a lei peca muito nesse aspecto. Outra infelicidade é que se for provado que ele vendia, independente de qualquer outra coisa, é xadril. O pobre do SativaLover mesmo pegou pena porque vendia um ou outro acessório pra montagem de grow. E isso só porque ele confessou.
  34. 1 point
    Só um adendo: o cara pode ou não ser um "desses", até me provarem que ele É, pra mim é um dos nossos. Princípio básico de direito já falado pelo canadense.
  35. 1 point
    Loco deu porta fria nos cana para livrar o patrão dele falando que plantava e vendia ,e os cana adoraram! prenderão o loco e ainda queimarão o filme dos growers.
  36. 1 point
  37. 1 point
    Quem quiser escrever para veja o email é [email protected] A/C DIRETOR DE REDACAO - MACONHA ou fax 11- 3037 5638. As correspondências precisam ter Nome completo, RG e fone para contato de confirmação. Ligar Enviar SMS Adicionar ao Skype Você vai precisar de Créditos do SkypeGrátis pelo Skype
  38. 1 point
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ! ESSA FOI BOA! TADINHO DO COCO ! ELE NÃO MERECIA ! RSRSRSRS
  39. 1 point
    Galera, entendo a posição de vocês. Nem todos que plantam são growers, to ligado. O lance é que já passou tanta notícia bizarra de prisões por aqui que tem que ficar na espreita antes de tirar alguma conclusão. A reportagem fala de tabletes. Que tabletes? Quantos quilos? Ou eram dois tabletes de 25g? Tá ligado, falta informação na reportagem. O cara pode ser trafica mesmo ou pode não ser! Conhecemos bem essa imprensa sensacionalista... E a polícia corrupta e suja...
  40. 1 point
    Nem acho inclusive eu Vaporizo perto de minhas filhas(não por que acho certo ou errado mais por que acredito que o vapor não ofereça risco como a fumaça). Eu saquei seu ponto de vista também Agora que reparei também no APOS do titulo não tinha reparado antes Mais como também não acharia certo uma mãe ficar bebendo com uma criança sobre sua responsabilidade, também não posso achar certo uma mãe(ou um pai) fazer isso Fumando. Quem nunca deu um mole quando fuma? ou bebe algo? e melhor prevenir do que remediar principalmente quando trato de minhas filhas.
  41. 1 point
  42. 1 point
    Uruguay dando exemplo de democracia... Enquanto isso, aqui na terra brasilis...só lamento!! Keep growun'
  43. 1 point
  44. 1 point
    Se a Veja fosse uma revista séria e inteligente se chamaria "Leia" para as pessoas lerem, e não só "Veja" para ver.
  45. 1 point
  46. 1 point
    Não tem nenhum cannabinóide que prejudique nosso organismo, todos os mais de 60 são medicinais, aliaz li um artigo que falava que todos os 421 componentes quimicos presentes na planta e não apenas os cannabinoides são 100% não tóxicos para o ser humano. Dá pra ser o kief sim, porem ele será bem menos psicoativo por não descarboxilar(aquecer) os cannabinóides, dependendo do tratamento desejado é melhor o óleo por conta disto, insônia por ex. Pra render o alcool vc pode extrair o kief e por ele em uns 50 ml de alcool e dai por pra evaporar, o que sobrar de ganja da extração do kief vc põe em uns 150ml de alcool pra ver se ainda tira mais algo...
  47. 1 point
  48. 1 point
  49. 1 point
    Nenhum tempo, pelo que sei ficou todo o tempo na carceragem da policia civil!
  50. 1 point
    Rapadura boa que rolou esses tempos!!