Como automatizar o cultivo para viajar ou sair de férias

Para as pessoas que não cultivam, sair de férias, viajar num feriadão ou a trabalho por vários dias pode ser algo simples. Mas para um grower, isso precisa ser melhor planejado, afinal, as plantas precisam continuar crescendo ou florando neste período, mesmo com sua ausência. O bom é que hoje em dia isso é possível com o uso de diferentes tecnologias, e por isso aprender como automatizar o cultivo de maconha é tão importante para quem quer realmente relaxar quando sair de casa.

Muita gente não sabe, mas é possível automatizar diferentes equipamentos do cultivo para funcionarem sem a presença do grower por diversos dias. E realmente dá para deixar tudo funcionando sozinho. Da iluminação até a rega, passando pela ventilação ou até mesmo exaustores, o que pode reduzir o trabalho do grower também no dia a dia.

Para isso, o cultivador só precisa entender qual a melhor maneira de automatizar o seu cultivo de Cannabis, pois isso também vai variar conforme o ambiente onde as plantas estão. O principal é planejar tudo bem para nada dar errado, pois como estamos falando de ligações e acessórios eletrônicos todo cuidado é importante, principalmente quando vamos ficar longe de casa. E isso vale para um grow indoor e também para outros equipamentos da casa.

Motivos para automatizar um cultivo

  • Diminuir as tarefas relacionados ao cultivo caso o dia a dia seja corrido.
  • Viajar tranquilamente de férias ou a trabalho sem ficar preocupado com as plantas.
  • Diminuir as chances de sequelar, esquecendo de ligar ou desligar lâmpadas, ventiladores, ou até mesmo regar.

Timers podem automatizar diferentes partes do cultivo

Os timers ou temporizadores, já utilizados por muitos growers para realizar o fotoperíodo das plantas, com o acionamento e desligamento programado das lâmpadas de um cultivo indoor, podem ser utilizadas também para automatizar outras funções. Um temporizador analógico ou digital não custa tão caro e pode ser instalado com o sistema de iluminação, em ventiladores, e até mesmo em outros sistemas, como de CO2.

Timer utilizado para mudar o fotoperíodo das plantas também pode servir para outras coisas.

Irritação automática do cultivo

A rega não costuma ser uma ciência exata. Por mais que o grower saiba que as plantas precisam de água, muitas vezes uma precisa mais do que a outra. Isso pode variar conforme a genética e o desenvolvimento de cada uma delas. Por conta disso, um sistema de rega automatizado precisa ser bem pensado, mas não é impossível ou inalcançável para quem quer viajar sem deixar as meninas passando sede.

O sistema mais comum de rega utilizado para automatizar o cultivo de maconha é o de gotejamento. Esse método envolve perfurar pequenos orifícios em um cano de água, garantindo que sejam posicionados nas raízes de cada planta do grow. A água goteja lentamente sobre elas, proporcionando um fluxo constante de hidratação sem afogar elas. A irrigação automatizada é uma solução barata pra se colocar em prática.

Sistema de irrigação por gotejamento.

Automatizando o sistema de temperatura, umidade, e ventilação

Imagine só a situação: o cultivador sai para viajar por uma semana, com uma temperatura de 23º C na sua cidade. Porém, nos dias em que ele ficou fora, essa temperatura subiu para 31º C e por mais que ele tenha deixado um timer para as lâmpadas, só isso não vai adiantar para controlar a temperatura e a umidade de um cultivo. Mas como falamos anteriormente, a ventilação é possível ligar e desligar desta forma, o que já ajuda a pelo menos refrescar o calor interno.

Só que quem pretende automatizar realmente todo seu cultivo da maneira adequada, precisa pensar também em como saber, de longe, a temperatura interna do grow e também sua umidade, para poder fornecer as médias ideias para as plantas. Dispositivos como misters ultrassônicos podem ser usados ​​para aumentar a umidade, enquanto os desumidificadores podem retirar a umidade do ar quando há excesso.

Para isso tudo, quem cultiva pode conectar sistemas de umidade e dispositivos de regulação de temperatura e até sensores, a fim de automatizar completamente essas variáveis ​​flutuantes. Em casos de cultivos em larga escala, nos países legais, os sistemas de monitoramento automatizados podem até monitorar pH do solo e o TDS (total de sólidos dissolvidos).

Cultivo outdoor exige menos automatização

Quem cultiva outdoor tem uma vantagem na hora de viajar e ficar muitos dias longe das plantas. Isso porque neste caso, a iluminação é determinada pela luz do dia, então não será necessário um timer para desligar ou ligar as lâmpadas. Além disso, as chuvas podem fornecer a água necessária para suas plantas, porém é bom ficar atento para que elas não fiquem longos dias sem receber uma rega. Principalmente nas altas temperaturas do verão.

Um cultivo outdoor, por ficar ao ar livre, também recebe uma ventilação adequada a maioria do tempo, diferente dos grows indoor, onde é extremamente importante controlar a entrada e saída de ar, e também o calor interno do cultivo. Por conta dessas características, tirar alguns dias de folga pode ser mais fácil para quem tem as suas plantas na rua.

Cultivo outdoor exige menos automatização quando o grower está fora.