Senador Petecão rejeita a SUG/25 para cultivo pessoal de maconha

10
1798
O Senador Sérgio Petecão (PSD-AC) ao lado do Dr. Emílio Figueiredo, durante audiência da CDH sobre descriminalização do cultivo da cannabis para uso próprio, em Brasília - 26/10/2017
O Senador Sérgio Petecão (PSD-AC) ao lado do Dr. Emílio Figueiredo (Growroom), durante audiência da CDH sobre descriminalização do cultivo da cannabis para uso próprio, em Brasília - 26/10/2017 (Foto: Fernão Rocha/Senado Federal)

O Growroom conseguiu, em primeira mão, ter acesso a decisão do senador Sérgio Petecão (PSD/AC) em relação a SUG 25/2017. O político vai rejeitar a sugestão legislativa discutida no mês passado em uma audiência pública, que debateu a descriminalização do cultivo de cannabis para uso pessoal.

A decisão barrou o cultivo em nosso país, mas só teremos acesso aos argumentos usados pelo político quando o relatório for disponibilizado. Mesmo com a determinação contrária, a nossa luta não vai parar e para William Lantelme, fundador do Growroom, a posição tomada pelo senador foi equivocada.

– Acho lamentável um senador não levar uma questão tão importante para o povo brasileiro à diante, era uma oportunidade dele fazer história e ser reconhecido por alguma coisa na carreira política, porque até hoje eu não tenho conhecimento de alguma coisa positiva que o Petecão tenha feito para a população. Vamos continuar na nossa luta pelas vias do judiciário, já que os nossos legisladores não querem chamar a responsabilidade pra eles sobre esse assunto, então temos que continuar buscando na justiça para continuar ganhando essas autorizações e avançando no cenário da cannabis medicinal, dando direito a outras famílias e pacientes de se beneficiarem da maconha.

DOC-Relatório Legislativo - SF176202958652-20170810 (1)

Download do relatório SUG25 

 

Leia também: Mãe não poderá ser presa por cultivar maconha para fins medicinais

10 Comentários

  1. Um absurdo, sou empresario, saúdavel, atleta de alto rendimento, faço alimentação restrita de industrializados 100% organica, não frequento bares, baladas, não consumo alcol e faço o uso responsavel da cannabis, até quando esse bando de politicos alcolatras vão atrasar a vida de cidadãos de bem ?

    • Pois é, Lucas. É revoltante que nos dias de hoje, esse tipo de decisão ainda seja tomada. Mas a nossa luta não vai parar por aqui.

  2. …” Acho lamentável um senador não levar uma questão tão importante para o povo brasileiro à diante”..

    TAO IMPORTANTE PARA O POVO BRASILEIRO? HAHAHAHAHAHAHAHHAHAHA

    …”avançando no cenário da cannabis medicinal, dando direito a outras famílias e pacientes de se beneficiarem da maconha.”

    Lute pelo direito de usarem os princípios ativos da maconha para uso medicinal, EU CONCORDO, agora parem de se esconderem atrás desse ‘uso medicinal’ para liberar, 95% dos usuários não tão nem aí pro lado medicinal, só falam isso pra ajudar no vício.

    • Uso medicinal e uma forma melhor de diferenciar traficante de usuário para diminuir o encarceramento de microtraficantes que não representam 0,1% do tráfico geral no brasil , e mudar essa forma de “educar” o usuario atraves de agressão fisica ou verbal de policiais pouco informados sobre o assunto, e quem sabe não perder a propriedade ou ser preso por ter uma planta em casa, me desculpa mas eu acho que é importante sim.

  3. Eu fiz alguns comentários com opiniões próprias sobre o relatório do Senador Petecão…
    MINHA OPINIÃO SOBRE OS PONTOS DO RELATÓRIO DO SEN. SÉRGIO PETECÃO REFERENTE À SUGESTÃO LEGISLATIVA Nº 25/2017:
    1) A começar pela apresentação TENDENCIOSA do tema… Já expressando sua opinião e ideologia CONTRÁRIA: “Ao nosso ver, a Sugestão pretende que seja descriminalizado o
    cultivo da planta cannabis para a sua utilização como droga recreativa (popularmente conhecida como “maconha”). Embora o tema seja bastante controverso, existindo argumentos favoráveis e contrários à sua descriminalização, entendemos não ser conveniente e nem oportuna a apresentação de projeto de lei neste sentido.”
    2) Após dissertar sobre “…o mito de que a legalização das drogas acabaria com o crime organizado…”, NÃO FORAM APRESENTADAS ESTATÍSTICAS SOBRE ESSE TEMA, quais drogas são as mais vendidas? Quais mais consumidas? Das pessoas em condição de dependência química pesada, que porcentagem utiliza cannabis como droga principal? Que porcentagem utiliza apenas cannabis? Da porcentagem de dependentes químicos, quantos se utilizam de álcool e tabaco? EM MOMENTO ALGUM FORAM LEVANTADOS OU CITADOS ESSES DADOS! Simplesmente apresentaram argumentos ridículos como esse: “Ressalte-se ainda que, na audiência pública realizada na CE, o médico Ronaldo Laranjeira, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), alertou para os graves danos sociais causado pela liberação da droga. Como exemplo, citou a experiência de legalização da maconha no estado de Denver, nos Estados Unidos, onde o uso crescente da maconha incentivou o consumo de produtos alimentícios considerados prejudiciais à saúde (chocolates, biscos, bebidas energéticas etc) e também de cigarros eletrônicos.” OU SEJA = AUMENTO NO CONSUMO DE LARICAS… PASMEM, É ISSO! SÉRIÃO!
    3) Outro ponto ridículo, é utilizar as proporções geográficas do país, e “jogar a culpa” na incapacidade do Estado Brasileiro de gerir e controlar suas próprias fronteiras e saúde pública… Sim, agora a desculpa é a própria INCAPACIDADE DO ESTADO DE CUIDAR DE SUA POPULAÇÃO… “Pode-se destacar ainda que o Brasil é um país com dimensões continentais, o que prejudicaria a instalação de uma política antidrogas eficiente por meio da regulamentação e fiscalização. Com mais de 200 milhões de habitantes, o País precisaria de um controle eficiente das plantações e de sua distribuição, sob pena de ver mais pessoas experimentando os efeitos da droga sem qualquer instrução prévia sobre os seus efeitos danosos, do consumo de erva de má qualidade (às vezes misturadas com outras substâncias prejudiciais à saúde), dentre outras consequências.” OU SEJA = SABEM QUE FUMAMOS UM PÊLO DE MACACO, MAS A INCAPACIDADE DO ESTADO DE CONTROLAR A PRODUÇÃO DE CANNABIS É O PROBLEMA PARA CONTINUARMOS A FUMAR O PRENSADO PARAGUAIO… PUTA QUE ME PARIU, CADA DESCULPINHA ESFARRAPADA…
    4) Por fim, e não menos importante, é apresentada uma “pesquisa” do DATASENADO de julho de 2014, onde foram ouvidas pouco mais de 1100 pessoas, não foi informado o local nem as classes sociais das pessoas entrevistadas… Mas os argumentos são os seguintes, PASMEM: “Finalmente, cabe destacar pesquisa de opinião de abrangência nacional, promovida pelo Serviço de Pesquisa DataSenado, da Coordenação de Controle Social da Secretaria de Transparência, em julho de 2014, sob o título “Legalização da Maconha”, onde foram ouvidas 1.106 pessoas de 16 anos ou mais. Nessa pesquisa, 42% dos entrevistados são contrários a legalização da maconha,sendo que, em relacão aos demais, 48% é favorável à legalização apenas para fins medicinais e apenas 9% é a favor da legalização para todos os fins (inclusive recreacionais). Ademais, 67% discordam que, com a legalização da maconha, o tráfico irá diminuir, e 82% afirmam que o uso legal da maconha fará com que o usuário experimente drogas mais pesadas.” O PIOR DE TUDO É PEGAREM UMA PESQUISA COM 1100 PESSOAS ALEATÓRIAS PARA DEFINIR A OPINIÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA QUANTO A ESSE TEMA, MEU PAI AMADO DO CÉU!
    Obrigado para quem leu até aqui.
    Fontes: https://www25.senado.leg.br/…/ati…/materias/-/materia/129900 (sugestão apresentada no senado com mais de 20.000 assinaturas)
    http://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento… (relatório do Senador Petecão)

Deixar um comentário