Iniciado o processo de abertura do primeiro clube social de cannabis no Brasil

43
264087
Clube Canábico Brasileiro

Clube deve seguir a tendência mundial, para garantir um acesso a erva mais seguro e saudável aos seus membros.

Seguindo o modelo da ENCOD (European Coalition for Just and Effective Drug Policies), o Clube Social de Cannabis do Distrito Federal foi registrado em cartório e inicia agora a obtenção de CNPJ. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos, que une usuários de cannabis e produtores, de modo a garantir acesso à erva. O primeiro clube brasileiro terá sede em Brasília, e é uma iniciativa do Growroom.

Segundo a ENCOD, os clubes sociais de cannnabis têm como objetivo proteger os direitos de consumidores e produtores de maconha, estabelecendo políticas que beneficiem a sociedade como um todo. Todos os membros do clube devem ser adultos, e o cultivo deve ser limitado às necessidades dos consumidores-membro. Ou seja, somente será produzida quantidade suficiente para satisfazer o consumo pessoal dos contribuidores do clube.

Alguns princípios básicos devem ser seguidos na organização desses clubes:

  1. A oferta segue a demanda, e não o contrário: a quantidade de cannabis produzida é baseada na expectativa de consumo dos membros do clube.222
  2. Sem fins lucrativos: todo o dinheiro arrecadado pelo clube é destinado para a manutenção do mesmo e investido para alcançar seus objetivos, e nunca distribuído entre os membros do clube. Os clubes pretendem gerar empregos dentro da legalidade e fornecer produtos e serviços de acordo com as leis e devem ser taxados de forma apropriada.
  3. Transparência: os clubes sociais são associações legalmente registradas, com organização democrática e participativa. As decisões são tomadas em reuniões em que todos os membros estão convidados a participar e votar. Todos os votos têm o mesmo peso.
  4. Foco na saúde pública: os clubes sociais de cannabis somente utilizam métodos de cultivo aprovados pelos padrões de produção agrícola orgânica. São desenvolvidos e aplicados métodos de prevenção do uso problemático de cannabis e o uso seguro e responsável da erva é promovido. Isso inclui o fornecimento de informações factuais sobre a maconha para seus membros. Pesquisas sobre os impactos da maconha na saúde também podem ser desenvolvidas e as informações obtidas são prontamente repassadas aos membros do clube.
  5. Diálogo aberto com autoridades: os clubes devem estar prontos a dialogar com as autoridades (governo, polícia, etc) e implementar políticas que encorajem o diálogo.

Clubes como esse já são uma realidade na Espanha e estão começando a ser implementados em outros países europeus, como a Inglaterra e a Irlanda. Na América Latina, o Chile e o Uruguai já implementaram esse sistema. O Brasil agora dá um grande passo na direção de uma política de drogas mais inclusiva e justa.

 


Desde 2010 o Growroom está lutando por leis mais justas e racionais para cultivadores, pacientes e usuários da cannabis. Essa vitoria e muitas outras é graças a vocês que nos apoiam e nos incentivam. Contribua com nosso apoia.se

 


Clique nos links abaixo para saber mais sobre clubes sociais de cultivo:

43 COMMENTS

  1. Muito boa a notícia, mas não entendo o seguinte:
    O clube foi registrado e tem como intuito fornecer a nossa erva com um certo controle, qualidade e etc. Mas como eles poderiam fornecer se os usuários não poderiam utilizar, perante a Lei?

    • Caio : Diversas decisões judiciais já permitem o uso terapêutico. A formalização de um clube é um passo adiante. Muito cuidado obviamente será tomado com o ordenamento jurídico atual. Uma iniciativa

    • Boa noite, Caio.

      O uso não é proibido no Brasil, o que proíbe-se é a posse – sim, isso é um tanto contraditório.

      A Lei 11343/06 especifica que para uso pessoal de drogas proibidas, estará sujeito a algumas penas como advertência, etc:
      “Art. 28. Quem adquirir, guardar, tiver em depósito, transportar ou trouxer consigo”

      O mesmo ocorre para aqueles que cultivam ou semeiam, isto é, se é para uso pessoal, não configuram o tráfico (§1º do art. 28).

      Também estou com a mesma dúvida, tem uma outra matéria linkada a essa que talvez esclareça os meandros jurídicos.

    • Não poderiam, e tecnicamente é o contrario: perante a lei, o crime maior é fornecer; Usuário assina termo de compromisso e normalmente tem que ir no NA e cesta basica/trabalhos na cidade, ja quem fornece vai preso, via de regra. Acho que ainda estão longe de realmente começarem a operar…

  2. Gostaria de mais informações a respeito disso, sou da diretoria do movimento cannabico aqui na Paraíba. Amei a iniciativa e vocês estão de parabéns pela persistência e coragem.
    Se possível da um salve lá no meu email pra gente trocar uma ideia se possível.
    ???????????????
    Jahbless

  3. Este clube será para membros que residem somente no Distrito Federal?
    Há projetos para a criação de clubes em outros estado/cidades?

  4. Excelente notícia, mas como o Caio que comentou anteriormente, não entendi muito bem como esse clube funcionará dentro das leis brasileiras. Poderiam fazer outro tópico para elucidar essas questões..

  5. A oferta segue a demanda. Até que um dia uma frase consciente e correta sobre essa interação.
    Nessa interação a demanda reina soberana e não o contrario como muitos querem alegar. Alias, as leis
    que pretendem coibir o consumo são baseadas nesta falácia: a de que a oferta é que determina a demanda.
    Frases idiotas tais como “com a liberação as pessoas ficam expostas a droga”. Ah é? Então por essa lógica obtusa
    o estelionatário pratica seus golpes porque está exposto a esse objeto perigosíssimo: “a caneta”. O consumo de maconha deve girar em torno de 8% da população. As pesquisas que são feitas para quantificar esse número
    são produzidas num contexto de insegurança jurídica, ou seja, as pessoas tem bons motivos para ocultar a verdade. Por isto, elas saem subavaliadas.

  6. Eu gostaria de saber o que impede a Polícia Federal de entrar no clube e levar todas as plantas e os jardineiros presos.

    Legal que tem CNPJ, mas e daí? Como o clube discriminaliza o plantio e estoque de grandes quantidades? Por que o clube pode plantar e a Pessoa Física não?

  7. Bom antes de mais nada PARABÉNS aos idealizadores dessa grande empreitada!!! assino em baixo aonde ????? muitos devem estar se remoendo de ódio e rancor por isso, mas, nada como um dia após outro ou o tempo continuo de mudanças e ter a oportunidade de ASSISTIR ao vivo e a cores todo esse enredo a se desenrolar, muito além da droga e seu uso ou não, está aqui uma pretensão a despretensão, fácil parafrasear a situação, mas de grande sentido nos anais dos tabus ainda existentes e inócuos de sentido, porque, grande parte dos odiadores ainda assim não iriam se permitir realmente conhecer o que é realmente a cannabis para poder opinar de forma verdadeira e acredito mesmo conhecendo tenho certeza que a grande maioria ainda manteriam-se contrários a essas possibilidades porque para a sociedade a cannabis ou maconha é uma droga perniciosa ao sistema de produção em massa e de grandes ganhos ela permite a visão autentica de cada personagem a interpretação é digna somente as possibilidades concretas dos olhos e dos sentidos e identifica facilmente as induções contrárias e sem sentido DAI O GRANDE MOTIVO DE SUA PROIBIÇÃO. É MAIS FÁCIL OBTER LUCRO COM GENTE IGNORANTE.

    Quanto a linda iniciativa acredito que esse tipo de clube deve espalhar-se pelo país sem retorno e quanto a preocupação do Caio considero que um pouco minha também, mas, acredito que como todo o clube com seus estatutos e por uma questão de bom senso como fato principal para a existência ou criação de tal clube , com certeza deve haver a possibilidade de de uso em seu interior, caso contrario seria o primeiro passo para sua existência, CONCORDDAM OU NÃO????????????????

  8. Ok, isso é ótimo, o primeiro clube social de cannabis em solo brasileiro.
    Mas… a maconha ainda é proibida! Queria saber como vai funcionar esse clube… Provavelmente vão legalizar o uso medicinal e o clube só vai ser frequentado por usuários permitidos.

  9. A Constituição garante o Direito à Vida, à Dignidade é controversa essa situação com o cultivo da CANNABIS. O cigarro é liberado, a bebida alcoólica é liberada e por qual motivo a CANNABIS não pode ser cultivada? Liberação Já! Saúde a todos!

  10. Este clube será para todo tipo de usuario ou só para quem faz uso de cannabis medicinal?
    Pergunto isto porque estou em vias de fazer uso da cannabis medicinal e seria bem interessante pertencer a este grupo.

  11. Boa pergunta Caio,como eles poderiam plantar,colher e distribuir se nao podemos consumir a erva??
    Pra mim isso ai e o começo de uma descriminalizaçao,no Brasil e sempre assim,de pouco em pouco a gente chega lá.

  12. Será que tem mesmo uma janela legal de funcionamento, esse Clube? E quase um sonho! Quero ser membro desse SCS assim que ele entrar em operação. Tenho vontade de colaborar e espero noticias.

  13. Pois é achei meio vaga essa informação. Talvez poderiam esclarecer melhor alguns pontos como o que o Caio levantou acima. Também, como fazer para fazer parte do clube, sobre os empregos gerados, qual seria a taxação apropriada… Mas é um ótimo avanço.

  14. Bom dia Caio, pelo que pude entender, o clube nao foi aberto, esta sendo iniciado, o passo que deram de registrar em cartorio foi apenas um pequeno passo diante dos grandes que ainda tem pela frente,eu tbm ja registrei o meu clube, e como ele atualmente com meus advogados estou buscando o CNPJ,e posteriormente o mais dificil e improvavel que é uma autorização da justiça e das autoridades, lembrando que ainda é totalmente considerado crime essa atividade, o que tentamos fazer, é nos valer do artigo 28, que ja nos resguarda como usuarios.

  15. Venham para CWB por favor!

    Sucesso galera, toda a fé de jah com vocês. Um pequeno passo para o homem, e um grande passo para os maconhistas.

  16. Growroom, nos mantenham atualizados sobre essa questão! É de grande interesse para todos.

    Principalmente porque se o primeiro der certo, o Growroom vai ter muito trabalho pela frente em razão dos diversos outros que seguirão! Boa sorte!

  17. Olá galera
    Alguém sabe como tá a RE 635659?
    Engavetaram mesmo a parada com o ministro Alexandre?
    É preciso aumentar a pressão sobre o STF para retomar o assunto!!!!

  18. Fantástico! Tenho interesse em contribuir com este projeto. Necessito de ajuda para conseguir a mavonha para fins medicinais. Por favor, disponibilizem algum tipo de contato. Parabéns!

LEAVE A REPLY