Bolsonaro defende a Cristolândia no combate às drogas, Freixo políticas de saúde

Será que a atual política de drogas é o caminho para uma sociedade mais pacífica e justa?

14
3187
Marcelo Freixo (PSOL) e Flávio Bolsonaro (PSC) durante debate dos candidatos à Prefeitura do Rio, realizado pela RedeTV
Marcelo Freixo (PSOL) e Flávio Bolsonaro (PSC) durante debate dos candidatos à Prefeitura do Rio, realizado pela RedeTV. (Foto: Reprodução)

Marcelo Freixo (PSOL) e Flávio Bolsonaro (PSC) talvez sejam os candidatos mais díspares no que concerne a ideologia, na disputa pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Um é de esquerda e o outro de direita.

Isso significa que Freixo tem o socialismo de sua sigla como principal aliado. Pessoas de esquerda tem ideais igualitários acima de outras considerações de ordem moral, cultural, patriótica ou religiosa.

Já Flávio Bolsonaro, afiliado ao Partido Social Cristão (direita), defende princípios conservadores, tradicionais e coloca valores religiosos acima de quaisquer projetos de reforma da sociedade.

Debate

No debate realizado pela RedeTV nesta sexta-feira (09), Bolsonaro perguntou a Freixo sobre a questão de dependentes químicos. Veja o vídeo:


Políticas antigas 

As mortes causadas pela criminalização das drogas, são sem dúvida, muito maiores do que por pessoas que tiveram overdose de entorpecentes.

Uma das principais causas de violência nas grandes cidades são causadas pelo tráfico. Quanto maior o poder do tráfico, maior será a guerra. E como se diminui o poder do tráfico?

Alguns podem dizer que mais investimentos no aparato policial é a solução. Os Estados Unidos gastam mais de 30 bilhões de dólares ao ano, e por lá, pouca coisa mudou com relação ao uso de drogas.

Um dos expoentes do pensamento conservador, Milton Friedman, Nobel de Economia, já propôs a legalização, diante das imensas despesas no combate às drogas. O montante economizado na repressão, daria para tratar dependentes químicos e ainda sobraria, segundo a tese.

Todos os esforços de repressão só mostraram o tamanho da impotência do Estado frente ao tráfico, em todos os lugares do mundo. Em nenhum país, o proibicionismo conseguiu vencer. Afinal, é uma regra básica da economia: onde há demanda, há oferta.

O que o Ministro da Justiça quer mostrar cortando pés de maconha?

Oferta e Demanda

A demanda (que tem a maconha como principal produto), vem de todos os setores da sociedade. Neste caso, a maconha está para sociedade assim como a cerveja, ou seja, não há distinção de classes, pobres e ricos, pretos e brancos, consomem a erva igualmente.

A oferta entretanto, na maioria das vezes se dá em periferias e favelas. Lugares onde a concentração de negros é muito maior do que nas regiões mais abastadas das cidades.

Deste modo, é possível entender o porquê de pobres e pretos sofrerem muita mais com a guerra às drogas do que ricos e brancos, apesar de ambos consumirem o mesmo produto.

6.630.507: entenda porquê os maconheiros estão escrevendo este número na mão

Freixo x Bolsonaro

Enquanto Bolsonaro é contrário a legalização de todas as drogas, mantém o argumento arcaico de que a maconha é a porta de entrada para drogas pesadas, faz chacota com políticos que enxergam o assunto de outra maneira, usando frases como ‘bolsa larica’ e propõe que o Estado invista em parcerias com entidades religiosas para tirar pessoas das drogas, com projetos como o Cristolândia.

Freixo, por outro lado, defende a legalização das drogas, com políticas públicas de saúde, investimento em prevenção e não tratar como caso de polícia.

Apesar da regulamentação estar fora dos domínios do município, as políticas de drogas podem sim entrar nos debates municipais. Existem vários vereadores que defendem a bandeira da legalização, procure os candidatos na sua cidade, veja as propostas deles com seriedade.

A descriminalização da maconha e outras drogas começa na urna!

14 COMMENTS

  1. Eu sou um maconheiro CONSERVADOR, jamais participarei de marchas da maconha, só tem trouxa de esquerda nessas manifestações… Vagabundos de Esquerda NÃO PASSARÃO!!!

  2. Maconheiro Conservador, sinônimo de gordinho portador de depressão debilitante que já passou dos trinta e vive em um quartinho na casa dos pais… Tem retardado pra tudo hoje em dia, bom era quando idiota só se expunha em mesa de bar ou estádio de futebol…

    • Tenho 35 de idade, não bebo, não curto futebol, sou casado e moro em casa própria conseguida através do suor do meu trabalho, e também odeio a esquerda, .
      Se for pra pensar que cannabis é exclusividade de quem é esquerdista, acho que você é quem precisa rever seus conceitos, num âmbito geral.

  3. Tb sou maconheiro de direita..Ja participei da marcha e concordo q tem muita gente de esquerda nela…
    Concordo com tudo q Freixo disse sobre maconha,e claro,discordo completamente da linha do Bolsonaro sobre o assunto… O estado tem q interferir menos na vida do cidadão…Logo,vejo o problema da proibição..
    Os argumentos sao varios…Faz mal,é “anti ético”,porta de entrada,entre outros argumentos vagos…
    Ta claro pra todo usuario q ela nao faz 1/3 do mal q todos dizem…Enfim,deixe q o individuo decida sobre sua vida,chega do estado dizer oq vc pode ou nao fazer…. é ai q mora o problema na escolhe entre esses 2 personagens da politica…Pq mesmo q a familia bolsonaro ainda seja ignorante em certos assuntos,é a linha de politica deles q + se aproxima de um estado com menos poder sobre o individuo,e ao contrario deles,a linha de politica do PSOL e seus aliados(PT e cia limitada) é de + poder no estado e menos no cidadão…
    Levando em conta esse ponto,ainda prefiro votar na familia bolsonaro…Direita precisa voltar ao poder…a esquerda ja ficou por muito tempo e nada fez pra melhorar,so piorar…Cidadão forte,faz um estado forte e nao o contrario…

    • Tem que ser muito inocente para acreditar que no brasil há políticos com interesse de chegar ao poder para então diminuir o poder do estado, não temos políticos de direita, temos políticos conservadores com mentalidades intervencionistas no pior sentido da palavra, e independente do que a vertente seguida pela família bolsonaro represente o que eles representam como seres humanos é digno de desprezo, tanto a moralidade distorcida quanto a incompetência que faz desta família um bando de parasitas que vive de política e até hoje não propôs nada que seja favorável ao cidadão comum. Brasileiro é um povo que precisa de ajuda, a esquerda acredita em carochinha feminista, repetem por aí mitos como o “wage-gap”, a direita acredita possuir o santo graal da moralidade mesmo que no brasil formem o pior ninho de cobras corruptas imaginável… “Sou Brasileiro e não aprendo nunca.” Este devia ser o lema local…

  4. Só um detalhe, Felipe, a família Bolsonaro não quer fazer o cidadão forte, ela quer fazer os amigos dela fortes, aqueles que já são donos do poder, patrões, donos de mídia, latifundiários, bispos, militares de alta patente, etc…

  5. Me desculpe,Antoine,pq vc acha isso? Sinceramente eu nao tenho certeza,so digo isso pq no nosso cenário politico,os únicos q realmente me passam alguma confiança sao eles…Posso ate quebrar a cara no futuro,so q no momento eles nao me passaram essa imagem,e gostaria de saber pq vc pensa assim pra eu poder trabalhar essa opinião com calma…

  6. Só vi hoje, Felipe, desculpa a demora. Bom, sem esticar a pesquisa para fora do tópico aqui apresentado, vamos tentar ficar no vídeo.
    O Bolsonaro enfraquece o cidadão quando ele pede a manutenção da proibição; ele não quer que o cidadão seja responsável pelo que fuma, injeta ou inhala. Pelo contrário, ele quer neste caso o estado proibidor, repressivo, forte. O que favorece o fortalecimento do tráfico e sua acumulação monumental de dinheiro ilícito, o fortalecimento da indústria das armas, a corrupção, a truculência policial, a desigualdade social e racial, um estado de guerra na sociedade e de pavor nas pessoas de bem, aquelas que não querem se meter na vida dos outros, nem levar bala “perdida”!… Será que ele está realmente desconhecendo tudo isso ou se aproveita de uma forma ou de outra desta situação? Quem são seus amigos?
    Ele enfraquece o cidadão outra vez espalhando preconceitos e mentiras de décadas atrás, alinhado com o pensamento moralista que incentivou o Volstead Act de 1920 nos EUA. Portanto, é mal informado e mal preparado para o debate OU age de má fé, procurando alguma vantagem pra ele e/ou seus amigos e afiliados (novamente, quem são eles?). Aliás, tá meio fraco neste cenário, e o deboche dele com a “bolsa larica” me parece um desajeitado tiro no pé.
    Ele quer tratar os dependentes químicos através de programas de instituições religiosas, particularmente da igreja dele, ou seja, ele é não é um democrata e sim um teocrata, pois quer difundir a ideologia da igreja em vez de valores republicanos por essência laicos. Muito provavelmente para captar algum recurso público, ainda por cima, sem a devida transparência, pode apostar. No caso, enfraquece o cidadão de novo, seja este usuário ou não.
    Enfim, desculpa eu sair um pouco do tópico, ele está seguindo os passos do pai dele em quase tudo (como pode confirmar facilmente), o qual é conhecido por suas posições ultra conservadoras, pra usar um eufemismo e não chama lo de fascista. Por exemplo, é radicalmente contra a reforma agrária, é um homenageador saudoso da ditadura militar, é apoiador da tortura, chame os refugiados de escória do mundo, etc, etc… Ou seja, ele se beneficie de uma sociedade injusta, cruel, desumana, e quer ascender no ranking dos brancos/bonitos/abastecidos e fodem se os pobres e os miseráveis que o sistema que ele defende cria. Sente se livre pra imaginar quem são os amigos dele. Não é flor que se cheira, mas é politico profissional (e grande parte da família dele tbm) há 25 anos, dá pra ter uma ideia do patrimônio, mesmo sem pensar em eventual ilícito. Essa família transmite confiança pra você? Pra mim, não.

LEAVE A REPLY