Gregorio Duvivier cai em piada e fala sobre maconha, amor e Eduardo Cunha 

0
844
Gregorio Duvivier em entrevista para a revista Serafina

…AS ESTUFAS

Gregorio gosta de fumar maconha e acha que, se todo mundo saísse do armário, as drogas seriam legalizadas. “As drogas só são ilegais, como o aborto só é ilegal, porque todo mundo que pratica não diz que pratica. Porque ou você prende toda a classe artística, ou pelo menos 90% da classe artística e também a classe política, ou você faz uma limpa. É a mesma coisa a operação Lava Jato. Por que a Lava Jato talvez não vá pra frente? Porque vai ter que prender todo mundo, cara! Você vai prender quem usa droga? Ou quem faz aborto? Você vai atrás? Não vai sobrar um.”

Quando contou à família que fumava maconha, lá pelos 14 anos, o pai retrucou: “Porra, fuma comigo, cara. Fuma em casa, fuma com a sua avó”.

A avó, conta Gregorio, começou a usar maconha, por recomendação médica, aos 80 anos. “Tipo… Mudou a vida dela. Ela disse: ‘Que pena que eu comecei a fumar tão tarde’. Porque deu uma alegria para a velhice dela, e ela viveu até os 94, fumando baseado.”

Mas agora há um novo problema rondando a erva proibida. “Tenho amigos que plantam em casa”, resume. Mas, como num filme B policial, esses amigos estão sendo presos, um atrás do outro. “A polícia bateu na casa deles por causa da conta de luz.”

Como é, Gregorio? “A luz aumenta, por causa de estufa. Eles percebem quem tem estufa porque o uso da luz tem picos de horário. De noite, em geral, o cara tem um pico, e a polícia saca por aí que o cara planta.”

“Sou contra o tráfico, contra você comprar com essa galera aí na rua, até pela qualidade, a qualidade é horrível. Os meus amigos plantam uma maconha de nível altíssimo. Mas tenho cada vez menos amigos que plantam…”…

» Leia a entrevista na íntegra
» Discuta esse assunto no fórum