Canabidiol: conheça as espécies de maconha ricas em CBD

0
17218
Variedades ricas em Canabidiol - CBD

O canadibiol (CBD) é um dos mais de 60 canabinóides presentes na maconha. O composto se destaca porque guarda as propriedades medicinais da erva sem a ‘onda’ causada pelo THC. Diversos estudos apontam que o CBD é eficaz no controle de epilepsia, dores crônicas, ansiedade e até na redução de células cancerosas.

Os avanços da medicina canábica ao redor do mundo explicam o boom no cultivo de plantas ricas em CBD, que contém mais de 4% do composto. Nos países e estados onde a cannabis é legal, seedbanks como a CBD Crew se dedicam especialmente a criação de espécies high-CBD. O cultivo especializado e os testes garantem que o medicamento esteja dentro da prescrição médica e livre de fungos e bactérias. Infelizmente, por falta de regulamentação do canabidiol, é difícil fazer esses testes no Brasil. Selecionamos algumas das espécies mais ricas em CBD desenvolvidas até agora.

CANNATONIC

cannatonic

A Cannatonic é uma das primeiras variedades que foi considerada medicinal. Filha de mãe MK Ultra e pai G13 Haze, é indicada para a aliviar dores e alterações nervosas. O percentual de CBD dessa strain pode chegar a 23%, enquanto o nível de THC paira nos 14%, o que garante relaxamento com efeitos psicoativos moderados.

AC/DC

acdc-strain

A Cannatonic deu origem a outra strain medicinal famosa, a AC/DC,  Seu alto teor de CBD (cerca de 20%) combinado ao THC baixíssimo ajuda muitos pacientes tratar a dor, ansiedade, epilepsia, esclerose múltipla e os efeitos negativos da quimioterapia, tudo sem chapação.

VALENTINA X

Valentine-3-CBD

Filhote da St. Valentine, já conhecida pelo tratamento de epilepsia, a Valentina é a rainha das espécies medicinais, contendo 25% de CBD. A espécie é um híbrido 50/50 de sativa e indica, indicada para o controle de epilepsia grave. A strain também é usada no tratamento de câncer, insônia e doenças inflamatórias.

HARLEQUIN

harlequin-strain-CBD

A Harlequin nasceu especialmente para o uso medicinal. Seus efeitos são indicados contra dores, ansiedade, convulsões e inflamações. A espécie é classificada como uma Sativa híbrida. Portanto, os efeitos medicinais são estimulantes, o que permite seu uso durante o dia, sem a sonolência típica das strains recomendadas para dor. Testes com a Harlequin apontaram que ela tem 11,6% de CBD e cerca de 8% de THC.

CHARLOTTE’S WEB

Charlotte's Web

A Charlotte’s Web briga pelo título de strain com mais CBD do mundo, as plantas contém cerca de 20% do composto e apenas 0,5% de THC. Em 2011, dois irmãos do Colorado desenvolveram uma variedade de maconha rica em CBD e com baixíssimo nível de THC para tratar pacientes com câncer. Depois de curar as convulsões constantes de uma menina de 3 anos chamada Charlotte. Em sua homenagem, a strain foi batizada de Charolotte’s Web, uma alusão à clássica fábula de mesmo nome. Rapidamente, pais de toda América vieram ao Colorado para conhecer a solução para a epilepsia dos filhos. O tratamento funcionou em algumas crianças, mas não para outras. Para resolver esse enigma, pesquisadores da Universidade do Colorado estão estudando as diferenças genéticas entre pacientes que reagiram ou não à espécie.

AVI-DEKEL

avidekel

Desenvolvida pelo dispensário israelense Tikum Olan prometendo , essa variedade é a favorita de pacientes de câncer em Israel. Com 16% de canabidiol e quase nada de THC, a planta tem se mostrado eficiente no tratamento de diversas doenças com mínimos efeitos colaterais. De acordo com pesquisas da Hebrew University, essa espécie enriquecida com CBD pode ser usada para tratar doenças como artrite reumatóide, colite, inflamações no fígado, cardiopatias e diabetes.