Canábis no tratamento de doenças em animais

Não somente os humanos poderiam ser beneficiados pela legalização da canábis medicinal. Um veterinário da Califórna vem utilizando a erva medicinal no tratamento de câncer em animais de estimação. Antes de alguém vir dizer que o cara deve ser um hippie doidão, é bom saber que Dr. Doug Kramer é um conservador engomadinho e de gel no cabelo que não fuma nem nunca fumou maconha, nem medicinal e muito menos recreacional.

“Meu objetivo é prover cuidado paliativo e prevenir overdoses acidentais que são resultado de boas intenções de donos tentando aliviar a dor e o sofrimento de seus animais”. Dr. Kramer vê como sua missão melhorar a qualidade de vida dos animais doentes aplicando doses seguras e efetivas de canábis.

O veterinário começou a se apronfudar no assunto quando sua Husky Nikita padecia de um câncer terminal. Depois de realizar e analisar os resultados de diversas pesquisas recentes sobre câncer e canábis, decidiu fazer um extrato caseiro da resina da erva. Não tardou para perceber como o apetite de Nikita aumentou enquanto suas dores pareciam incomodar menos. Isso não curou seu câncer, mas lhe deu o direito de desfrutar dos últimos meses da sua vida.

Após a morte da cachorra, Kramer decidiu utilizar o extrato que criou em animais na mesma situação. Um de seus pacientes era Sampson, uma Rottweiler que sofreu dois anos com uma forma rara de leucemia. Sua dona, Christine L., que não tinha condições de pagar pela quimioterapia, encontrou Dr. Kramer pela internet e tratou Sampson durante dois anos com o extrato de canábis. Ela afirma que sua companheira parou de perder peso e viveu os últimos anos livre de dor. “Ela era como um filhotinho de novo, feliz e brincalhona”.

Ao produzir e administrar o extrato aos animais, o veterinário coloca em risco sua reputação profissional e corre o risco de passar uns tempos atrás das grades. Ainda assim, Kramer afirma que a decisão de estar sujeito a essas penas foi fácil. “Eu me recuso a condenar meus pacientes à uma existência infeliz por autopreservação ou preocupações sobre o que pode ou não pode acontecer  comigo como consequencia dos meus atos”.

Assim como em humanos, a erva serve de suporte para outros tipos de tratamento e é utilizada, principalmente, em pacientes com câncer que buscam alívio nos enjôos causados pela quimioterapia e aumento no apetite. Ela ainda ajuda a relaxar as dores dos espamos da esclerose múltipla e o desconforto ocasionado pela artrite. Essas são doenças também consideravelmente comuns nos animais de estimação.

_____

Em tempo: antes de sermos mal interpretados, vale a pena deixar claro que não estamos falando pra você dar um baseado para seu cachorro, nem de comer, nem soprar no focinho. O extrato da canábis tem dosagens precisas para resultados efetivos, mas seu dog não vai curtir ficar chapadão como você curte e pode até passar mal.

Troque uma ideia sobre essa notícia lá no fórum do Growroom

Conheça a Semana do Grower!